Resultado da pesquisa (287)

Termo utilizado na pesquisa intoxicação

#31 - Ethanol poisoning in cattle fed with malted barley waste with brewer’s yeast

Abstract in English:

An outbreak of ethanol poisoning that affected a dairy cattle herd fed with the brewery by-product known as malt bagasse, wet brewery residue, malted barley waste or “barley”. The outbreak began about 24 hours after a new product of the by-product was offered to cattle that had an alcoholic odor. Chromatographic and microbiological analysis of this by-product sample confirmed the presence of ethanol and Saccharomyces spp., respectively, indicating the addition of another by-product brewery, brewer’s yeast or yeast. The main clinical signs observed were diarrhea, salivation, staggering gait and decubitus. Morbidity was 12.2% (5/41) and mortality was 2.4% (1/41). A cow that died after a 3-day of clinical course was necropsied. No significant macroscopic lesions were observed, but in the histopathology, there was acute, multifocal, moderate necrosupurative rumenitis with secondary bacterial and fungal colonization, indicating concomitant ruminal acidosis. In the chromatographic analysis of samples of rumen and liver contents of this bovine, variable amounts of ethanol were detected. The data from the present study indicate that the possibility of ethanol intoxication should be considered in cattle with neurological and digestive signs fed with RUC when added to brewer’s yeast.

Abstract in Portuguese:

O presente trabalho descreve um surto de intoxicação por etanol que afetou um rebanho bovino de aptidão leiteira alimentado com o subproduto de cervejaria denominado bagaço de malte, resíduo úmido de cervejaria (RUC), resíduo de cevada maltada ou simplesmente “cevada”. O surto iniciou cerca de 24 horas após ao fornecimento de uma nova partida do subproduto que apresentava odor alcoólico. Análise cromatográfica e microbiológica de amostra deste subproduto confirmou a presença de etanol e Saccharomyces spp., respectivamente, indicando a adição de outro subproduto de cervejaria, a levedura de cerveja ou levedo. Os principais sinais clínicos observados foram diarreia, salivação, andar cambaleante e decúbito. A morbidade foi de 12,2% (5/41) e mortalidade de 2,4% (1/41). Uma vaca que morreu após um curso clínico de 3 dias foi necropsiada. Não foram observadas lesões macroscópicas significativas, mas na histopatologia havia rumenite necrosupurativa aguda, multifocal, moderada, com colonização bacteriana e fúngica secundária, indicando acidose ruminal concomitante. Em análise cromatográfica de amostras de conteúdo ruminal e fígado deste bovino foram detectadas quantidades variáveis de etanol. Os dados do presente estudo indicam que a possibilidade de intoxicação por etanol deve ser considerada em bovinos com sinais neurológicos e digestivos alimentados com RUC quando a este acrescentado levedura de cerveja.


#32 - Spontaneous poisoning by Brachiaria hybrid cv. mulato I in goats and sheep and experimental poisoning of Brachiaria hybrid cv. mulato II in sheep

Abstract in English:

Described is the epidemiology, clinical signs and lesions of a disease that leads to photosensitization and death in sheep and goats. Spontaneous disease occurred in the municipality of Abelardo Luz, SC. From a flock of 350 sheep and 278 goats grazing Brachiaria hybrid cv. mulato I, 27 animals got sick, which 17 died and 10 recovered after being removed from the pasture. The disease was characterized by tearing, hyperemia, swelling of face, ears and eyelid followed by crusting, serous nasal discharge, ulcers on the cornea and sclera, and conjunctiva slightly yellowish. Six sheep and eleven goats were necropsied on the farm. The macroscopic lesions were brownish liver, distended gallbladder and lumpy bile, brownish kidneys with red dots on surface. Through microscopy was observed mild to moderate lesions in liver mainly characterized by swelling and vacuolation of hepatocytes, megalocytosis, periportal fibrosis, biliary hyperplasia; small clusters of macrophages and infiltration of eosinophils, neutrophils and macrophages were present in the periportal area. Crystal negative images were detected within bile ducts. Kidney tubules were dilated ranging from mild to severe with glomerular tuff contraction and distension of Bowman space. Four sheep experimentally fed Brachiaria hybrid cv. mulato II ad libitum for 90 days showed no clinical changes.

Abstract in Portuguese:

Descreve-se a epidemiologia, sinais clínicos e lesões de uma enfermidade em ovinos e caprinos que cursa com fotossensibilização e morte. A doença espontânea ocorreu no município de Abelardo Luz, SC. De um rebanho de 350 ovinos e 278 caprinos, de corte, mantidos em pastagem de Brachiaria híbrida cv mulato I, adoeceram 27 animais, dos quais, 17 morreram e 10 recuperaram-se após terem sido removidos do local. A enfermidade caracterizou-se por lacrimejamento, hiperemia, edema das faces, das orelhas e das pálpebras seguidas de formação de crostas, corrimento nasal seroso, ulcerações na córnea e esclera e conjuntiva levemente amarelada. Seis ovinos e onze caprinos foram necropsiados na propriedade. As lesões macroscópicas observadas foram fígado de coloração castanha, vesícula biliar com conteúdo aumentado e bile grumosa, rins acastanhados com pontos vermelhos na superfície. Na avaliação microscopia foram observadas no fígado, lesões de intensidade leve a moderada caracterizadas principalmente por tumefação e ou, vacuolização de hepatócitos, megalocitose, fibrose periportal, proliferação biliar, pequenos aglomerados de macrófagos, aleatórios e infiltrado de eosinófilos, neutrófilos e macrófagos na periferia do lóbulo. Na luz de ductos biliares encontravam-se imagens negativas de cristais. Nos rins havia dilatação de túbulos variando de leve a acentuada, contração de tufo glomerular e distensão do espaço de Bowman. Quatro ovinos receberam experimentalmente Brachiaria híbrida cv mulato II ad libitum pelo período de 90 dias e não manifestaram alterações clinicas.


#33 - Control of Senecio madagascariensis and Senecio brasiliensis by the use of sheep

Abstract in English:

In order to test different technics to control Senecio madagascariensis, three experiments were carried out. In the first, 40 sheep were placed in an area of four hectares for 90 days, with medium/high levels of infestation by the plant. The area after this period was desiccated with glyphosate (Roundup®) and seeded with Lotus corniculatus L., Trifolium repens, Medicago sativa and Festuca arundinacea Schreb. by direct seeding. After eight months, sheep returned to the area for another 90 days. The second experiment was conducted with 10 sheep grazing for 30 days and 60 days’ rest, in three areas of 0.5 hectares each, with low, medium and high levels of S. madagascariensis infestation. The third experiment was carried out using drying, plowing and cultivated pasture (legumes and grasses) for three consecutive times without the use of sheep in an area infested by the plant. For the control of S. brasiliensis and other species of the genus, a fourth experiment was performed on a farm with history of intoxication by Senecio spp. in cattle. Eighty-six sheep were used in an area of 90 hectares for a year. The results of these experiments demonstrated that sheep consume and decrease the amount of S. madagascariensis in infested areas. Furthermore, it also indicated that S. madagascariensis to be efficiently controlled requires continuous grazing with at least four sheep per hectare. Practices as drying the pastures with herbicides, tillage and pasture planting can help eliminate the plant in long-term plan. In areas with S. brasiliensis infestation mowing can be an effective practice, mainly due to the high size of the plant, since it facilitates consumption by sheep.

Abstract in Portuguese:

Com o objetivo de testar diferentes formas de controle de Senecio madagascariensis foram realizados três experimentos. No primeiro, 40 ovinos foram colocados em uma área de quatro hectares por 90 dias, com infestação média e alta por S. madagascariensis. A área após este período foi dessecada com glifosato (Roundup®) e semeada com Lotus corniculatus L. (cornichão), Trifolium repens (trevo branco), Medicago sativa (alfafa) e Festuca arundinacea Schreb. (festuca) por plantio direto. Os ovinos, após oito meses, retornaram a área por mais 90 dias. O segundo experimento foi realizado com 10 ovinos em pastejo por 30 dias com 60 dias de descanso em três áreas de 0,5 hectares cada uma, com infestação baixa, média e alta por S. madagascariensis. O terceiro experimento foi realizado utilizando-se dessecação, aração e plantio de pastagens (leguminosas e gramíneas) por três vezes consecutivas, sem utilização de ovinos em uma área invadida pela planta. Para o controle de S. brasiliensis e outras espécies do gênero, um quarto experimento foi realizado em uma propriedade rural com histórico de intoxicação por Senecio spp. em bovinos. Foram utilizados 86 ovinos, que permaneceram em uma área de 90 hectares durante um ano. Os resultados destes experimentos demonstraram que os ovinos consomem S. madagascariensis e diminuem a quantidade de planta em áreas infestadas. Por outro lado, evidenciou-se também que S. madagascariensis para ser controlado de forma eficiente necessita de pastejo contínuo com pelo menos quatro ovinos por ha. As práticas como dessecação com herbicidas, aração e plantio de pastagem podem auxiliar na eliminação da planta a longo prazo. Em áreas de infestação por S. brasiliensis a roçagem pode ser uma prática eficiente, principalmente pelo porte alto da planta, pois facilita o consumo pelos ovinos.


#34 - Toxic plants affecting the nervous system of ruminants and horses in Brazil, 37(12):1357-1368

Abstract in English:

ABSTRACT.- Riet-Correa F., Medeiros R.M.T., Pfister J.A. & Mendonça F.S. 2017. Toxic plants affecting the nervous system of ruminants and horses in Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(12):1357-1368. Laboratório de Diagnóstico Animal, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Rua Dom Manoel de Medeiros s/n, Dois Irmãos, Recife, PE 52171-900, Brazil. E-mail: fabio.mendonca@pq.cnpq.br This review updates information about neurotoxic plants affecting ruminants and equidae in Brazil. Currently in the country, there are at least 131 toxic plants belonging to 79 genera. Thirty one of these poisonous plants affect the nervous system. Swainsonine-containing plants (Ipomoea spp., Turbina cordata and Sida carpinifolia) cause numerous outbreaks of poisoning, mainly in goats, but cattle and horses are occasionally affected. The poisoning by Ipomoea asarifolia, a tremorgenic plant, is very common in sheep, goats and cattle in the Northeastern region and in the Marajo island. Poisoning by the pods of Prosopis juliflora are frequent in cattle in Northeastern Brazil; occasionally this poisoning affects goats and more rarely sheep. Some poisonings by plants, such as Hybanthus calceolaria, Ipomoea marcellia and Talisia esculenta in ruminants and Indigofera lespedezioides in horses were recently described and needs to be accurately investigated about its occurrence and importance. Other plants poisonings causing nervous signs in ruminants and equidae are less important, but should be considered for the differential diagnosis of neurologic diseases.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Riet-Correa F., Medeiros R.M.T., Pfister J.A. & Mendonça F.S. 2017. Toxic plants affecting the nervous system of ruminants and horses in Brazil. [Plantas tóxicas que afetam o sistema nervoso de ruminantes e equinos no Brasil.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(12):1357-1368. Laboratório de Diagnóstico Animal, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Rua Dom Manoel de Medeiros s/n, Dois Irmãos, Recife, PE 52171-900, Brazil. E-mail: fabio.mendonca@pq.cnpq.br Esta revisão tem por objetivo atualizar as informações sobre plantas neurotóxicas que afetam ruminantes e equinos no Brasil. Atualmente sabe-se que existe no país pelo menos 131 plantas tóxicas pertencentes a 79 gêneros. Trinta e uma espécies afetam o sistema nervoso. As plantas quem contém swainsonina (Ipomoea spp., Turbina cordata and Sida carpinifolia) causam numerosos surtos de intoxicação, principalmente em caprinos, mas bovinos e cavalos são ocasionalmente afetados. A intoxicação por Ipomoea asarifolia, uma planta tremorgênica, é muito comum em ovinos, caprinos e bovinos na região Nordeste e na ilha de Marajó. A intoxicação pelas vagens de Prosopis juliflora é frequente em bovinos no Nordeste do Brasil; ocasionalmente são afetados caprinos e mais raramente ovinos. Algumas intoxicações por plantas, como Hybanthus calceolaria, Ipomoea marcellia e Talisia esculenta em ruminantes e Indigofera lespedezioides em equinos foram recentemente descritas e precisam ser investigadas com precisão sobre sua ocorrência e importância. Outras intoxicações por plantas que causam sinais nervosos em ruminantes e equídeos são menos importantes, todavia devem ser consideradas para o diagnóstico diferencial de doenças neurológicas.


#35 - Embryonic death and abortion in goats caused by ingestion of Amorimia septentrionalis, 37(12):1401-1404

Abstract in English:

ABSTRACT.- Silva L.C.A., Pessoa D.A.N., Lopes R.G., Santos J.R.S., Olinda R.G. & Riet-Correa F. 2017. Embryonic death and abortion in goats caused by ingestion of Amorimia septentrionalis. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(12):1401-1404. Departamento de Microbiologia Veterinária e Departamento de Patologia Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Av. Universitária s/n, Bairro Santa Cecília, Patos, PB 58700-970, Brazil. E-mail: layze.cilmara@hotmail.com Amorimia spp. are sodium monofluoroacetate (MFA) containing plants causing sudden death in ruminants. In a previous study, Amorimia rigida caused abortion in one of the five pregnant sheep that received the plant suggesting that it may cause reproductive losses. This work aimed to study the embryotoxic and fetotoxic effects of Amorimia septentrionalis in goats in the Brazilian northeastern semi-arid region. The effects of A. septentrionalis on pregnancy were studied in 16 goats, divided into four groups according to their gestational period. In Groups 1, 2 and 3 the administration of A. septentrionalis at the daily dose of 5g of leaves per kg body weight was started on the 18th, 36th and 93th days of gestation, respectively. Goats from Group 4 did not ingest the plant. When the goats presented severe signs of poisoning the administration of the plant was suspended. Groups 1, 2 and 3 ingested the plant for 7.25±2.87, 9.25±2.21 and 12.50±0.57 days, respectively. All the goats recovered 7-12 days after the end of the administration of the plant. In Group 1, all the goats had embryonic death 6.25±3.59 days after the end of the ingestion of the plant. In Group 2, three goats aborted at 53, 54 and 78 days of gestation. Two goats from Group 3 gave birth normally and the other two aborted at 114 and 111 days of gestation. It is concluded that Amorimia septentrionalis is a sodium monofluoracetate-containing plant that causes embryonic deaths and abortions in goats that ingest non-lethal doses of the plant.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Silva L.C.A., Pessoa D.A.N., Lopes R.G., Santos J.R.S., Olinda R.G. & Riet-Correa F. 2017. Embryonic death and abortion in goats caused by ingestion of Amorimia septentrionalis. [Mortalidade embrionária e abortos em cabras causados pela ingestão de Amorimia septentrionalis.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(12):1401-1404. Departamento de Microbiologia Veterinária e Departamento de Patologia Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Av. Universitária s/n, Bairro Santa Cecília, Patos, PB 58700-970, Brazil. E-mail: layze.cilmara@hotmail.com Amorimia spp. são plantas que contém monofluoroacetato de sódio (MFA), responsáveis por causar morte súbita em ruminantes. Em estudo prévio, Amorimia rigida causou aborto em uma de cinco ovelhas prenhas que receberam a planta, sugerindo que pode causar perdas reprodutivas. Este trabalho teve como objetivo estudar os efeitos embriotóxicos e fetotóxicos de Amorimia septentrionalis em caprinos na região semi-árida nordestina brasileira. Os efeitos de A. septentrionalis na prenhez foram estudados em 16 cabras, divididos em quatro grupos de acordo com seu período gestacional. Nos grupos 1, 2 e 3 a administração de A. septentrionalis foi diária, na dose de 5g de folhas por kg de peso corporal, iniciada nos dias 18, 36 e 93 da gestação, respectivamente. As cabras do grupo 4 não ingeriram a planta. Quando as cabras apresentavam sinais severos de intoxicação suspendia-se a administração da planta. Os grupos 1, 2 e 3 ingeriram a planta por 7,25±2,87, 9,25±2,21 e 12,50±0,57 dias, respectivamente. Todas as cabras se recuperaram 7-12 dias após o final da administração da planta. No grupo 1, todas as cabras apresentaram quadros de mortalidade embrionária 6,25±3,59 dias após o término da ingestão da planta. No grupo 2, três cabras abortaram aos 53, 54 e 78 dias de gestação. Duas cabras do Grupo 3 deram à luz normalmente e as outras duas abortaram aos 114 e 111 dias de gestação. Conclui-se que Amorimia septentrionalis é uma planta que contém monofluoroacetato de sódio e pode ocasionar mortes embrionárias e abortos em cabras que ingerem doses não letais da planta.


#36 - Epidemiological, clinical and pathological aspects and early diagnosis of bovine seneciosis in the Western region of Rio Grande do Sul, Brazil, 37(12):1423-1429

Abstract in English:

ABSTRACT.- Krabbe A.A., Gonçalves M.A., Silveira C.S., Morais R.M., Quevedo L.S., Ribeiro P.V.R. & Anjos B.L. 2017. [Epidemiological, clinical and pathological aspects and early diagnosis of bovine seneciosis in the Western region of Rio Grande do Sul, Brazil.] Aspectos epidemiológicos, clínico-patológicos e diagnóstico precoce da seneciose bovina no Oeste do Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(12):1423-1429. Laboratório de Patologia Veterinária, Universidade Federal do Pampa, Uruguaiana, RS 97500-970, Brazil. E-mail: anjosbl@gmail.com The ingestion of Senecio spp. (ragwort) is perhaps the leading cause of death of cattle in central and southern Rio Grande do Sul, Brazil. Considering the limited information about this condition in the Western region of Rio Grande do Sul, Brazil, this paper describes main epidemiological clinical and pathological aspects of seneciosis in cattle. The assessments were made through questionnaires on 16 rural properties which had suspected cases of poisoning in cattle, from August 2011 to March 2014. During the visits were evaluated epidemiological aspects of poisoning and performed sample collection of Senecio plants for botanical identification, as well as collection of liver samples using transthoracic biopsy for confirmation of the poisoning. Senecio species most common on farms were S. brasiliensis and S. heterotrichius. From 88 cattle that failed to thrive on nine different farms, 69 animals (about 80%) were positive for chronic seneciosis with periportal fibrosis (78% of cases), megalocytosis (76% of cases) and with bile duct proliferation (68% of cases). Lesions were classified as mild, moderate or marked. The current study confirms the occurrence of this poisoning, even in cattle without evident clinical signs. The use of liver biopsy enabled the early diagnosis of poisoning and helped farmers carefully to dispose affectd cattle, as well as to recognize the real situation of poisoning in the herd and minimize economic losses.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Krabbe A.A., Gonçalves M.A., Silveira C.S., Morais R.M., Quevedo L.S., Ribeiro P.V.R. & Anjos B.L. 2017. [Epidemiological, clinical and pathological aspects and early diagnosis of bovine seneciosis in the Western region of Rio Grande do Sul, Brazil.] Aspectos epidemiológicos, clínico-patológicos e diagnóstico precoce da seneciose bovina no Oeste do Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(12):1423-1429. Laboratório de Patologia Veterinária, Universidade Federal do Pampa, Uruguaiana, RS 97500-970, Brazil. E-mail: anjosbl@gmail.com A ingestão de Senecio spp. (maria-mole) é, possivelmente, a principal causa de morte de bovinos por agentes tóxicos nas regiões central e sul do Rio Grande do Sul. Ao considerar a limitação de informações acerca dessa condição no Oeste do Rio Grande do Sul, esse trabalho objetiva descrever os principais aspectos epidemiológicos e clínico-patológicos da seneciose em bovinos nessa região. O estudo foi realizado por meio da aplicação de questionários em 16 propriedades rurais de municípios da região que apresentaram casos suspeitos da intoxicação em bovinos, de agosto de 2011 a março de 2014. Durante as visitas as propriedades foram coletadas plantas do gênero Senecio para identificação botânica, bem como se procedeu a coleta de fragmentos de fígado através de biópsia transtorácica para confirmação da intoxicação. As espécies de Senecio mais frequentes nas propriedades foram S. brasiliensis e S. heterotrichius. De um total de 88 bovinos, de nove propriedades distintas, que apresentaram falha no ganho de peso, 69 animais (aproximadamente 80%) foram positivos para seneciose crônica por apresentarem lesões características da intoxicação, tais como fibrose periportal (78% dos casos), megalocitose (76% dos casos) e proliferação de ductos biliares (68% dos casos), classificadas entre discretas e acentuadas. O trabalho confirmou a ocorrência da doença, mesmo em bovinos sem sinais clínicos evidentes. Os resultados obtidos nessas avaliações foram fundamentais para orientar proprietários e técnicos quanto às principais características da doença e às formas de controle a serem adotadas. O emprego da biópsia hepática possibilitou o diagnóstico precoce da intoxicação e auxiliou os criadores quanto ao descarte mais criterioso de bovinos e a real situação da intoxicação no rebanho, minimizando as perdas econômicas.


#37 - Pathological aspects of diminazene aceturate toxicosis in american camelids, 37(12):1509-1513

Abstract in English:

ABSTRACT.- Seixas J.N., Orlando D.R., Wouters F., Wouters A.T.B., Varaschin M.S. & Raymundo D.L. 2017. [Pathological aspects of diminazene aceturate toxicosis in american camelids.] Aspectos patológicos da intoxicação por aceturato de diminazeno em camelídeos sul-americanos. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(12):1509-1513. Setor de Patologia Veterinária, Universidade Federal de Lavras, Av. Doutor Sylvio Menicucci 1001, Cx. Postal 3037, Kennedy, Lavras, MG 37200-000, Brasil. E-mail: josiseixas@dsa.ufla.br Diminazene aceturate is a synthetic chemotherapeutic drug commonly used in veterinary medicine for the treatment of diseases caused by hematozoan parasites. However, side effects as severe neurological disorders and death can occur. The raising of american camelids is a recent activity in Brazil, requiring knowledge about diseases that affect these species, in order to avoid misguided conducts. In a herd of ten camelids (six llamas and four alpacas) six showed clinical signs and five died; only a llama with mild signs recovered. The clinical signs included apathy, difficulty to stand up, staggering gait, weakness, down head and drooping the head laterally, dyspnea and drooling of saliva, observed from 18 hours after use of the drug. At necropsy and histopathological examination was found bilateral and symmetrical hemorrhagic encephalopathy, more severe in brainstem and thalamus. This paper describes the main lesions observed in an outbreak of diminazene aceturate poisoning in alpacas (Lama pacos) and llamas (Lama glama) and alert breeders and veterinarians about the risk of poisoning by this drug in american camelids.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Seixas J.N., Orlando D.R., Wouters F., Wouters A.T.B., Varaschin M.S. & Raymundo D.L. 2017. [Pathological aspects of diminazene aceturate toxicosis in american camelids.] Aspectos patológicos da intoxicação por aceturato de diminazeno em camelídeos sul-americanos. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(12):1509-1513. Setor de Patologia Veterinária, Universidade Federal de Lavras, Av. Doutor Sylvio Menicucci 1001, Cx. Postal 3037, Kennedy, Lavras, MG 37200-000, Brasil. E-mail: josiseixas@dsa.ufla.br Aceturato de diminazeno é um fármaco quimioterápico sintético comumente usado na medicina veterinária para o tratamento de doenças causadas por parasitos hematozoários. Entretanto, seu uso pode levar a efeitos colaterais, como alterações neurológicas graves e morte. A criação de camelídeos é uma atividade recente no Brasil, fazendo-se necessário conhecer mais sobre as doenças que acometem essas espécies. De dez camelídeos (seis lhamas e quatro alpacas) da propriedade, seis tiveram sinais clínicos e, destes, apenas uma lhama com manifestações leves recuperou-se. Os sinais clínicos incluíam apatia, andar cambaleante, fraqueza, sialorreia, cabeça baixa e pendida lateralmente, dificuldade em levantar e dispneia, observados a partir de 18 horas após o uso do medicamento. À necropsia e ao exame histopatológico foram observadas alterações de encefalopatia hemorrágica bilateral e simétrica, mais graves em tronco encefálico e tálamo. Este trabalho descreve as principais lesões observadas em um surto de intoxicação por diminazeno em alpacas (Lama pacos) e lhamas (Lama glama) e alerta criadores e veterinários sobre o risco de intoxicação por aceturato de diminazeno em camelídeos sul- americanos.


#38 - Experimental poisoning by cassava wastewater in sheep, 37(11):1241-1246

Abstract in English:

ABSTRACT.- Silva V.C., Oliveira L.A., Lacerda M.S.C., Pimentel L.A., Santos W.S., Macêdo J.T.S.A., Riet-Correa F. & Pedroso P.M.O. 2017. Experimental poisoning by cassava wastewater in sheep. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(11):1241-1246. Laboratório de Patologia Veterinária, Fundação Universidade de Brasília, Campus Universitário Darcy Ribeiro, Via L4 Norte s/n, Brasília, DF 70910-970, Brazil. E-mail: pedrosovet@yahoo.com.br The processing of Manihot esculenta (cassava) tubers yield different by-products, including cassava wastewater, which is the liquid pressed out of the tuber after it has been mechanically crushed. Cyanide poisoning after ingestion of cassava wastewater has been reported in ruminants and pigs in Northeastern Brazil. With the aim of studying its toxicity, cassava wastewater was administered orally to six sheep at doses of 0.99, 0.75, 0.70, 0.63, and 0.5 mg of hydrocyanic acid kg-1 body weight, which corresponded to 14.2, 10.6, 9.8, 8.89, and 7.1 mL of wastewater kg-1. On the second day, the sheep received a volume of wastewater which corresponded to 0.46, 0.34, 0.31, 0.28, and 0.23 mg of HCN kg-1. A sheep used as control received 9.9 mL of water kg-1 BW. Sheep that received from 0.75 to 0.99 mg kg-1 of HCN on the first day exhibited severe clinical signs of poisoning, and the sheep that received 0.63 and 0.5 mg kg-1 exhibited mild clinical signs. All sheep were successfully treated with sodium thiosulfate. On the second day, only the sheep that received 0.46 mg kg-1 and 0.34 mg kg-1 exhibited mild clinical signs and recovered spontaneously. The concentration of HCN in the wastewater was 71.69±2.19 µg mL-1 immediately after production, 30.56±2.45 µg mL-1 after 24 hours, and 24.25±1.28 µg mL-1 after 48 hours. The picric acid paper test was strongly positive 5 minutes after production; moderately positive 24 hours after production, and negative 48 hours after production. We conclude that cassava wastewater is highly toxic to sheep if ingested immediately after production, but rapidly loses toxicity in 24-48 hours.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Silva V.C., Oliveira L.A., Lacerda M.S.C., Pimentel L.A., Santos W.S., Macêdo J.T.S.A., Riet-Correa F. & Pedroso P.M.O. 2017. Experimental poisoning by cassava wastewater in sheep. [Intoxicação experimental por manipueira em ovinos.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(11):1241-1246. Laboratório de Patologia Veterinária, Fundação Universidade de Brasília, Campus Universitário Darcy Ribeiro, Via L4 Norte s/n, Brasília, DF 70910-970, Brazil. E-mail: pedrosovet@yahoo.com.br O processamento dos tubérculos de Manihot esculenta (mandioca) produzem diferentes subprodutos, incluindo a manipueira, líquido que escorre das raízes da mandioca depois de ter sido mecanicamente prensada. A intoxicação por cianeto após a ingestão de manipueira tem sido relatada em ruminantes e suínos no Nordeste do Brasil. Com o objetivo de estudar sua toxicidade, administrou-se manipueira por via oral a seis ovelhas em doses de 0,99, 0,75, 0,70, 0,63 e 0,5 mg de peso corporal de ácido cianídrico kg-1, correspondendo a 14,2, 10,6, 9,8, 8,89 e 7,1 mL de manipueira kg-1 de peso corporal. No segundo dia, as ovelhas receberam um volume de manipueira que correspondeu a 0,46, 0,34, 0,31, 0,28 e 0,23 mg de HCN kg-1. Uma ovelha usada como controle recebeu 9,9 mL de água kg-1 de peso corporal. Ovelhas que receberam doses de 0,75 a 0,99 mg kg-1 de HCN no primeiro dia exibiram sinais clínicos graves de intoxicação e as ovelhas que receberam 0,63 e 0,5 mg kg-1 exibiram sinais clínicos leves. Todas as ovelhas foram tratadas com sucesso com tiossulfato de sódio. No segundo dia, apenas as ovelhas que receberam 0,46 mg kg-1 e 0,34 mg kg-1 apresentaram sinais clínicos leves e se recuperaram espontaneamente. A concentração de HCN na manipueira foi de 71,69 ± 2,19 μg mL-1 imediatamente após a produção, 30,56 ± 2,45 μg mL-1 após 24 horas e 24,25 ± 1,28 μg mL-1 após 48 horas. O teste de papel picrosódico foi fortemente positivo 5 minutos após a produção; moderadamente positivo 24 horas após a produção e negativo 48 horas após a produção. Concluímos que a manipueira é altamente tóxica para ovinos se ingeridas imediatamente após a produção, mas rapidamente perdem toxicidade em 24-48 horas.


#39 - Spontaneous poisoning by Sida carpinifolia (Malvaceae) in horses, 37(9):926-93037(9):926-930

Abstract in English:

ABSTRACT.- Bassuino D.M., Konradt G., Bianchi M.V., Reis M.O., Pavarini S.P. & Driemeier D. 2017. Spontaneous poisoning by Sida carpinifolia (Malvaceae) in horses. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(9):926-930. Setor de Patologia Veterinária, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Av. Bento Gonçalves 9090, Porto Alegre, RS 91540-000, Brazil. E-mail: davetpat@ufrgs.br Sida carpinifolia poisoning causes a chronic neurodegenerative disorder associated with lysosomal storage by indolizidine alkaloids (swainsonine). The epidemiological, clinical, pathological and lectin histochemistry findings of an outbreak of natural poisoning by S. carpinifolia in horses in Rio Grande do Sul state, Brazil, are described. Five horses from a total of 15 that were kept on native pasture with large amounts of S. carpinifolia presented during 90 days clinical signs of progressive weight loss, incoordination, stiff gait and ramble, in addition to exacerbated reactions and locomotion difficulty after induced movement. Four horses died, and one of them was submitted for necropsy. At necropsy, no significant gross lesions were observed. Histological findings observed in the central nervous system were characterized by swollen neurons with cytoplasm containing multiple microvacuoles; these abnormalities were more severe in the thalamus, hippocampus, cerebellum and pons. Using lectin histochemistry, the pons and hippocampus sections stained positive for commercial lectin Con-A, sWGA and WGA. This study aimed to detail S. carpinifolia poisoning in horses to be included in the differential diagnoses of neurological diseases of horses.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Bassuino D.M., Konradt G., Bianchi M.V., Reis M.O., Pavarini S.P. & Driemeier D. 2017. Spontaneous poisoning by Sida carpinifolia (Malvaceae) in horses. [Intoxicação natural por Sida carpinifolia em equinos.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(9):926-930. Setor de Patologia Veterinária, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Av. Bento Gonçalves 9090, Porto Alegre, RS 91540-000, Brazil. E-mail: davetpat@ufrgs.br A intoxicação por Sida carpinifolia é uma desordem neurodegenerativa crônica associada ao acúmulo lisossomal pelo alcaloide indolizidínico, denominado swainsonina. Descrevem-se os achados epidemiológicos, clínicos, patológicos e de lectina-histoquímica de um surto de intoxicação natural por S. carpinifolia em equinos no Rio Grande do Sul, Brasil. De um total de 15 equinos, cinco equinos mantidos em campo nativo com grande quantidade de S. carpinifolia apresentaram sinais clínicos de emagrecimento progressivo, incoordenação, andar rígido e deambulação, além de dificuldade de locomoção com reações exacerbadas após estímulos ao movimento em um período de 90 dias de evolução clínica. Quatro equinos vieram a óbito e um foi submetido ao exame de necropsia. À necropsia, não foram observadas lesões macroscópicas. Os achados histológicos observados no sistema nervoso central caracterizaram-se por aumento de tamanho dos neurônios, com citoplasma contendo microvacúolos; tais alterações foram observadas com maior intensidade em tálamo, hipocampo, cerebelo e ponte. Na lectina-histoquímica, fragmentos de ponte e hipocampo marcaram positivamente para as lectinas comerciais Con-A, sWGA e WGA. Este trabalho visa alertar a ocorrência da intoxicação por S. carpinifolia em equinos, a qual deve ser incluída como diagnóstico diferencial dentre as doenças neurológicas de equinos.


#40 - Portulaca elatior (Portulacaceae) poisoning in cattle, 37(8):785-789

Abstract in English:

ABSTRACT.- Oliveira Neto T.S., Riet-Correa F., Barbosa F.M.S., Nascimento H.H.L., Carvalho L.R.R.A., Alves A.J. & Lucena R.B. 2017. [Portulaca elatior (Portulacaceae) poisoning in cattle.] Intoxicação por Portulaca elatior (Portulacaceae) em bovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(8):785-789. Departamento de Ciências Veterinárias, Laboratório de Patologia Veterinária, Universidade Federal da Paraíba, Centro de Ciências Agrárias, Campus II, Areia, PB 58397-000. E-mail: lucena.rb@gmail.com An outbreak of acute poisoning in cattle caused by the ingestion of Portulaca elatior occurred in the northeastern Brazil. The outbreak resulted from ingestion of the plant provided by the farmer. Four out of five cattle were poisoned and two died. Clinical signs included abdominal pain, muscle trembling, intense salivation, mild bloat and dehydration. The course of the disease ranged from 10 to 18 hours. Gross findings included dehydration, reddening of the mucosa of forestomachs, abomasum, and intestine, with ulcerations of the ruminal mucosa. The presence of Portulaca leaves in the rumen was noted in both cases. The main histologic lesions were superficial to full thickness degeneration and necrosis of the stratified epithelium lining the forestomachs, necrosis and inflammation of the intestinal mucosa, and lymphoid necrosis. The serum activities of AST and GGT and serum were within normal ranges. The diagnosis of poisoning associated with ingestion of P. elatior was based on the epidemiology, clinical signs and lesions. The lack of information about the toxicity of P. elatior was the main cause for the accident of poisoning.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Oliveira Neto T.S., Riet-Correa F., Barbosa F.M.S., Nascimento H.H.L., Carvalho L.R.R.A., Alves A.J. & Lucena R.B. 2017. [Portulaca elatior (Portulacaceae) poisoning in cattle.] Intoxicação por Portulaca elatior (Portulacaceae) em bovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(8):785-789. Departamento de Ciências Veterinárias, Laboratório de Patologia Veterinária, Universidade Federal da Paraíba, Centro de Ciências Agrárias, Campus II, Areia, PB 58397-000. E-mail: lucena.rb@gmail.com Descreve-se um surto de intoxicação aguda em bovinos causado pela ingestão de Portulaca elatior na região nordeste do Brasil. O surto resultou da ingestão a partir da administração da planta no cocho pelo criador para os bovinos. Quatro de cinco bovinos foram intoxicados e dois morreram. Os sinais clínicos incluíram dor abdominal, tremores musculares, intensa salivação, timpanismo moderado e desidratação. O curso clínico da doença variou de 10 a 18 horas. Os achados macroscópicos incluíram desidratação, avermelhamento das mucosas dos pré-estômagos, abomaso e intestinos, além de ulceração da mucosa ruminal. Nos dois casos foi notada a presença de fragmentos de Portulaca no interior do rúmen. Os achados histológicos foram de degeneração e necrose das camadas superficiais do epitélio dos pré-estômagos, necrose e inflamação da mucosa intestinal e necrose linfoide. As atividades de AST e GGT estavam dentro dos valores de normalidade. O diagnóstico de intoxicação associado à ingestão de P. elatior foi baseado na epidemiologia, sinais clínicos e lesões. A ausência de informação sobre a toxicidade de P. elatior foi a principal causa para a ocorrência da intoxicação acidental.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV