Resultado da pesquisa (158)

Termo utilizado na pesquisa Anatomia

#1 - Description of brachial plexus of sloth (Bradypus variegatus)

Abstract in English:

The species Bradypus variegatus is known as the common sloth, an endemic mammal from neotropical regions, which has been suffering from devastating anthropogenic activities. Our study aimed to describe the brachial plexus of B. variegates, regarding the origin and distribution of nerves, through the sampling of 10 adult females. Analyses were carried out at the Anatomy Section, “Departamento de Morfologia e Fisiologia Animal”, “Universidade Federal Rural de Pernambuco”, under license no. 034/2015 of the Ethics Committee on the Use of Animals. The results determined that the brachial plexus of the common sloth starts from the fifth cervical spine segment until the second thoracic segment. This area contains the long and suprascapular thoracic nerves, which originate immediately from the medullary segment 5 and 6, respectively, and from the pectoral, subscapular, axillary, radial, musculocutaneous, medial, forearm and ulnar medial cutaneous nerves, arising from a trunk comprised of cervical spine nerves (C) 7, C8, C9, and thoracic (T) 1 and T2. Regarding other wild and domestic animals, different suggestions were observed about the origin of the plexus in B. variegatus, however, the constituent nerves and their innervation areas did not demonstrate any discrepancies.

Abstract in Portuguese:

A espécie Bradypus variegatus é conhecida como preguiça-comum. Trata-se de um mamífero endêmico de regiões neotropicais que vem sofrendo com a ação antrópica devastadora. Esses Bradipodídeos possuem três dedos nos membros torácicos e pélvicos, são arborícolas consagrados e descem ao solo apenas para excretar e trocar de árvore. O estudo teve como objetivo descrever o plexo braquial de B. variegatus em relação à origem e distribuição dos nervos. Para tal, utilizou-se 10 fêmeas adultas. As análises foram realizadas no Pavilhão de Anatomia do Departamento de Morfologia e Fisiologia Animal da Universidade Federal Rural de Pernambuco, sob a licença nº 034/2015 do Comitê de Ética no Uso de Animais. Os cadáveres foram obtidos após morte natural, fixados em formaldeído a 20%, conservados em solução salina a 30% em tanques e dissecados para a visualização dos nervos destinados a inervar os membros e músculos torácicos. Uma vez feito, constatou-se que o plexo braquial da preguiça-comum se origina do quinto segmento espinal cervical, se estendendo até o segundo segmento torácico. Sendo formado pelos nervos torácico longo e supraescapular, de origem imediatamente do segmento medular 5 e 6, respectivamente, e pelos nervos peitorais, subescapulares, axilar, radial, musculocutâneo, mediano, cutâneo medial do antebraço e ulnar, decorrentes de um tronco formado a partir de nervos espinais cervicais (C) 7, C8, C9, e torácicos (T) 1 e T2. Em comparação a outros animais silvestres e domésticos foram observadas diferentes disposições em relação à origem do plexo de B. variegatus, todavia, os nervos constituintes e suas áreas de inervação não apresentaram discrepâncias.


#2 - Anatomic study of the arterial vascularization of the brain base of paca (Cuniculus paca)

Abstract in English:

Paca (Cuniculus paca Linnaeus, 1766), rodent belong to the Cuniculidae family, has encouraged numerous scientific researches and for this reason could be an experimental model in both human and veterinary areas. And recently, the economic exploitation of the meat cuts, has being direct implication in its zootechnical importance. However, no anatomical descriptions regarding the vascularization of the base of the brain in this rodent has being found. Thus, the aim of the present study was to describe the arteries and the pattern of the vasculature and to compare it with the other species already established in the literature. For this, five pacas, donated by the Unesp Jaboticabal Wildlife Sector, were euthanized followed by the vascular arterial system was injected with red-stained-centrifuged latex by the common carotid artery. After craniectomy, the brains were removed and the arteries were identified and, in addition, compared with those described in other animal species. The presence of the right and left vertebral arteries, close to the medulla oblongata, was detected, originating the basilar artery, which divided into the terminal branches of the right and left basilar artery. Ventral to the optic tract there was the right internal carotid artery and the left, dividing the middle cerebral artery and left rostral and right; dorsal to the optic chiasm, the medial branch of the rostral cerebral arteries was identified. Based on the results, it is concluded that the vascularization of the paca brain base is supplied by the carotid and vertebrobasilar system.

Abstract in Portuguese:

A paca (Cuniculus paca Linnaeus 1766), roedor da família Cuniculidae, tem encorajado inúmeras pesquisas científicas, tornando-a modelo experimental tanto na área humana quanto na veterinária, além da recente exploração econômica de seus cortes cárneos, que favoreceu diretamente sua importância zootécnica. No entanto, não há até o momento, descrições anatômicas referentes à padronização da vascularização da base do encéfalo neste roedor. Assim, o objetivo do presente trabalho foi realizar tal delineamento arterial nessa região do sistema nervoso central e compará-lo com as demais espécies já estabelecidas na literatura. Para isso, foram eutanasiadas cinco pacas doadas pelo setor de Animais Silvestres da Unesp Jaboticabal, as quais foram submetidas posteriormente à injeção de látex centrifugado e corante líquido xadrez vermelho, pela artéria carótida comum. Após craniectomia e segregação do encéfalo de todos os cadáveres, realizou-se a identificação das artérias presentes na base deste órgão e, ademais, comparação destas com as descritas cientificamente em outras espécies animais. Detectou-se a presença das artérias vertebral direita e esquerda, próximas à medula oblonga, originando a artéria basilar, que se dividiu nos ramos terminais da artéria basilar direito e esquerdo. Ventral ao trato óptico verificou-se a artéria carótida interna direita e esquerda dividindo-se na artéria cerebral média e rostral direita e esquerda; ainda, dorsal ao quiasma óptico, identificou-se o ramo medial das artérias cerebrais rostrais. Com base nos resultados obtidos, conclui-se que a vascularização da base do encéfalo da paca é suprida pelo sistema carotídeo e vertebro-basilar.


#3 - Craniometric geographical variation in Hylaeamys megacephalus populations

Abstract in English:

Hylaeamys megacephalus (G. Fisher, 1814) presents great genetic diversity and wide geographical distribution, and occurs in both the Amazon and Cerrado biomes. Because of its generalist aspect, this species tolerates different eating habits and habitats. It occurs in flooded and dry areas and is predominantly terrestrial, which allows greater gene flow between populations even over long distances. Studies that seek a better understanding of morphological variations resulting from differences imposed by the environment throughout this species’ distribution are still lacking. This study aimed to analyze the differences between H. megacephalus populations based on craniometry, investigating whether the environment has an influence on morphology. We analyzed a total of 142 specimens from three scientific mammal collections: National Museum, “Universidade Federal do Rio de Janeiro” (MN-UFRJ); “Laboratório de Biologia e Parasitologia de Mamíferos Reservatórios Silvestres”, “Instituto Oswaldo Cruz”, “Fundação Oswaldo Cruz”(LBCE-Fiocruz); and “Laboratório de Biodiversidade”, “Universidade Federal de Goiás”, “Regional Jataí” (LZE-UFG), and took 20 craniometric measurements. Craniometry was explored using unweighted pair group method with arithmetic mean (UPGMA), canonical variate analysis, and principal component analysis (PCA). The results led us to conclude that there are three craniometric groups of H. megacephalus with a tendency to differentiate as a result of geographical influences.

Abstract in Portuguese:

Com grande diversidade genética e distribuição geográfica, Hylaeamys megacephalus (G. Fisher, 1814) ocorre tanto na Amazônia quanto no Cerrado. Visto seu aspecto generalista, esta espécie tolera diversos hábitos alimentares e habitats, ocorrendo em áreas inundadas ou não, sendo predominantemente terrestre, permitindo maior fluxo de genes entre as populações, mesmo em longas distâncias. Apresenta ampla distribuição, e carece de estudos que busquem um melhor entendimento sobre as variações morfológicas resultantes das diferenças impostas pelo meio ao longo de sua distribuição. O estudo teve como objetivo, analisar as diferenças entre as populações de H. megacephalus, com base na craniometria investigando se o ambiente interfere na morfologia. Analisamos um total de 142 espécimes oriundos de coleções científicas de mamíferos, do Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro (MN-UFRJ), Laboratório de Biologia e Parasitologia de Mamíferos Reservatórios Silvestres, Instituto Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz (LBCE-Fiocruz) e Laboratório de Biodiversidade, Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí, nos quais foram tomadas 20 medidas craniométricas. A craniometria foi explorada nas análises estatísticas de agrupamento de pares não ponderados com médias aritméticas (UPGMA), variação canônica e análise dos Componentes Principais (PCA). Os resultados encontrados nos levaram a concluir a existência de três grupos craniométricos da espécie de H. megacephalus com tendência a se diferenciarem, por influências geográficas.


#4 - Macroscopic morphological aspects, ecometry and rebound tonometry of the eye bulb in sloth (Bradypus variegatus)

Abstract in English:

The field related to the visual system of wild animals is deeply scarce. Settling anatomical and physiological parameters for these animals is still a descriptive vision for Bradypus variegatus (Schinz, 1825). Thus, our research aimed to determine patterns of normal eye for this species. For this purpose, eight eye bulbs were dissected from the carcasses obtained by natural death, and then performed an overview of ocular anatomical. Rebound tonometry (RBT) and ocular B-mode ultrasonography were also applied for eight eyes in four animals from “Parque Estadual Dois Irmãos”, situated in the city of Recife, state of Pernambuco (PE), to estimate the intraocular pressure and ocular ecobiometry. The ocular morphology of sloth is similar as described for other species, however, with some peculiarities. They present a third eyelid emerging in the nasal region of the inferior conjunctival sac and retina and also contain little differentiated blood vessels. Medium the intraocular pressure (IOP) was 4.25mmHg with no difference for both eyes. Ultrasonography of ocular anatomy is also similar regarding other species. Ecobiometric patterns were evaluated to determine the anterior chamber depth, lens width, vitreous chamber depth, and axial length (AL) of ocular globe and the averaged as shown 0.63±1.11mm, 3.73±0.24mm, 6.15±0.41mm, 3.70±0.27mm, and 8.48±0.22mm, respectively. There was no difference between the right and left eyes. The RBT and ocular B-mode ultrasonography are fast exams and easy for animal testing. This study contributed to the characterization of ocular anatomy as well as settling medium values of IOP and intraocular measures; however, further research on physiology and histology is necessary to better understand the visual function of the species.

Abstract in Portuguese:

O campo de estudo relacionado ao sistema visual de animais silvestres é muito escasso. Estabelecer parâmetros anatômicos e fisiológicos para estes animais ainda está restrito a uma visão descritiva, assim ocorre em Bradypus variegatus (Schinz, 1825). Diante deste fato, objetivou-se com este estudo determinar padrões de normalidade oftálmica nesta espécie. Para isto foram dissecados oito bulbos oculares de cadáveres obtidos por morte natural e realizada a descrição anatômica ocular. Além disso, foram realizadas tonometria de rebote (TonoVet®) e ultrassonografia em modo B em oito olhos de quatro animais provenientes do Parque Estadual Dois Irmãos, Recife/PE, para avaliação da pressão intraocular e realização da ecobiometria ocular. A anatomia ocular do bicho-preguiça é semelhante à descrita para outras espécies com algumas particularidades. Apresentam uma terceira pálpebra emergindo na região nasal do saco conjuntival inferior e retina com vasos sanguíneos pouco diferenciados. A pressão intraocular média foi de 4,25mmHg não havendo diferença entre os olhos direito e esquerdo. A anatomia ocular ultrassonográfica é semelhante à encontrada para outras espécies. Os padrões ecobiométricos obtidos foram: profundidade da câmara anterior, espessura do cristalino, diâmetro do cristalino, profundidade da câmara vítrea e comprimento axial do bubo ocular com tamanhos médios de 0,63±1,11mm, 3,73±0,24mm, 6,15±0,41mm, 3,70±0,27mm e 8,48±0,22mm, respectivamente. Não houve diferença entre os olhos direito e esquerdo. A tonometria de rebote e a ultrassonografia ocular em modo B são exames de rápida e fácil execução, sendo bem tolerados pelos animais. Este estudo contribuiu para a caracterização anatômica ocular e para o estabelecimento de valores médios da pressão intraocular e das medidas intraoculares, no entanto são necessárias outras pesquisas na área da fisiologia e histologia para melhor compreensão da função visual da espécie.


#5 - Computed tomographic and radiologic anatomy of the lower respiratory tract in the red-foot tortoise (Chelonoidis carbonaria)

Abstract in English:

The diagnosis of several diseases in chelonians is a challenge in the veterinary clinic, because a detailed physical examination with auscultation and palpation is difficult due the presence of carapace and plastron. Imaging analysis such as radiography and computed tomography (CT) have been shown to be beneficial for diagnosis, prognosis and treatment in numerous animal species. Thus, this study aimed to identify and describe the structures of the lower respiratory tract in red-foot tortoises, by computed tomography, radiography and gross anatomy in twelve red-foot tortoises (Chelonoidis carbonaria), adults and of both sexes. The lower respiratory tract in these animals comprised the larynx, trachea, bronchi and the lungs. The presence of epiglottic cartilage was not observed in the animals studied. CT allowed the observation of the intrapulmonary part of the bronchi, which was accompanied by large intrapulmonary blood vessels. The lungs presented a reticulated parenchyma, without lobulations. Each lung had a small chamber located near the cranial and caudal poles. These structures were identified in CT and 3D CT reconstructions and these could suggest that these chambers could be non-respiratory structures, and could be comparable to the air sacs of birds. This study establishes normal CT anatomy of the lower respiratory tract of the red-foot tortoise; and may be used as a reference in the assessment of respiratory disorders in this tortoise.

Abstract in Portuguese:

O diagnóstico de diversas afecções em quelônios é um desafio para a clínica veterinária, já que um exame físico detalhado com auscultação e palpação é difícil devido à presença da carapaça e do plastrão. A radiografia e a tomografia computadorizada (TC) tem se mostrado benéficas para o diagnóstico, prognóstico e tratamento em muitas espécies animais. Assim, este estudo teve por objetivo identificar e descrever as estruturas do trato respiratório inferior no jabuti-piranga por meio da tomografia computadorizada, radiografia e anatomia em 12 jabutis-piranga (Chelonoidis carbonara), adultos e de ambos os sexos. Nos animais estudados, o trato respiratório inferior consistiu da laringe, traqueia, brônquios e os pulmões. A cartilagem epiglote não foi observada. A TC permitiu a observação da parte intrapulmonar dos brônquios, a qual estava acompanhada dos vasos sanguíneos intrapulmonares. Os pulmões possuíam um parênquima reticulado, sem lobações. Cada pulmão tinha uma pequena câmara localizada junto aos pólos cranial e caudal. Estas estruturas foram identificadas na TC e na reconstrução 3D a partir da TC e poderiam ser estruturas não-respiratórias, podendo ser comparadas aos sacos aéreos das aves. Este estudo identificou a anatomia normal por meio da TC do trato respiratório inferior do jabuti-piranga, o que pode ser usado como referência para diagnóstico de desordens respiratórias nesta espécie.


#6 - Systematization, distribution, and territories of the caudal cerebral artery on the surface of the brain in nutria (Myocastor coypus)

Abstract in English:

The nutria (Myocastor coypus) is a medium-sized, semi-aquatic rodent valued by the skin and meat industry. This study aimed to describe and systematize the caudal cerebral artery on the brain surface in nutria, establishing a standard model and its main variations in this species. The thirty animals used were euthanized according to animal welfare rules. The vessels were filled with latex stained with red pigment and the samples were fixed in formaldehyde. In nutria, the brain was vascularized by the vertebral basilar system. The terminal branches of the basilar artery originated the rostral cerebellar, caudal cerebral, rostral choroidal and middle cerebral arteries, and its terminal branch, the rostral cerebral artery. The terminal branch of the basilar artery projected the caudal cerebral artery, which is usually a single medium-caliber vessel, into the transverse fissure of the brain. The caudal cerebral artery was presented as a single (66.7% of the cases to the right and 76.7% to the left) and double vessel (33.3% of the cases to the right and 23.3% to the left). It originated the rostral mesencephalic artery, the proximal component, and the caudal inter-hemispheric artery. The terminal branches of the rostral and caudal tectal mesencephalic arteries formed a typical anastomotic network. The caudal inter-hemispheric artery emitted central branches, the caudal choroidal artery, hemispherical occipital arteries, rostral tectal mesencephalic branches and distal components, and anastomosed “in osculum” with the terminal branches of the rostral inter-hemispheric artery. The caudal choroidal artery anastomosed with the rostral choroidal artery, where it branched out on the thalamic mass, vascularizing all diencephalic structures and the hippocampus. The caudal cerebral artery and its terminal branches anastomosed with the terminal branches of the rostral and middle cerebral arteries in a restricted region of the caudal pole of the cerebral hemisphere. The vascularization area of the caudal cerebral artery and its central branches in the paleopallial of the piriform lobe is extremely restricted, caudomedially.

Abstract in Portuguese:

A nutria (Myocastor coypus) é um roedor semi-aquático de tamanho mediano, apreciado na indústria de peles e carne. Este trabalho tem por objetivo descrever e sistematizar a artéria cerebral caudal na superfície do cérebro em nutria, estabelecendo um modelo padrão e suas principais variações e territórios nesta espécie. Os trinta animais utilizados foram eutanasiados segundo as regras de bem-estar animal, os vasos foram preenchidos com látex, corado em vermelho e as peças foram fixadas em formoldeído. O cérebro foi vascularizado exclusivamente pelo sistema vértebro-basilar. Os ramos terminais da artéria basilar originaram as artérias cerebelar rostral, cerebral caudal, corióidea rostral, cerebral média e seu ramo terminal, a artéria cerebral rostral. O ramo terminal da artéria basilar lançou a artéria cerebral caudal, um vaso normalmente único, de médio calibre, para o interior da fissura transversa do cérebro. A artéria cerebral caudal foi um vaso único em 66,7% à direita e em 76,7% à esquerda e mostrou-se dupla em 33,3% à direita e em 23,3% à esquerda. Ela lançou a artéria tectal mesencefálica rostral, componente proximal e a artéria inter-hemisférica caudal. Os ramos terminais das artérias tectais mesencefálicas, rostral e caudal, formavam uma rede anastomótica típica. A artéria inter-hemisférica caudal lançou ramos centrais, a artéria corióidea caudal, as artérias hemisféricas occipitais, os ramos tectais mesencefálicos rostrais, componentes distais e anastomosou-se “em ósculo” com o ramo terminal da artéria inter-hemisférica rostral. A artéria corióidea caudal anastomosava-se com a artéria corióidea rostral, onde ramificavam-se sobre a massa talâmica, vascularizando todas as estruturas do diencéfalo e hipocampo. A artéria cerebral caudal com seus ramos terminais apresenta anastomoses com os ramos terminais das artérias cerebrais rostral e média em uma região restrita do pólo caudal do hemisfério cerebral. A área de vascularização da artéria cerebral caudal com seus ramos centrais no páleo-palio do lobo piriforme é extremamente restrita, caudo-medialmente ao mesmo.


#7 - Age-related changes of the cerebral ventricles of healthy domestic cats, 38(10):1935-1941

Abstract in English:

ABSTRACT.- Babicsak V.R., Klein A.V., Tsunemi M.H. & Vulcano L.C. 2018. Age-related changes of the cerebral ventricles of healthy domestic cats. [Alterações senis dos ventrículos cerebrais de gatos domésticos hígidos.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(10):1935-1941. Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu, Rua Prof. Doutor Walter Mauricio Correa s/n, Botucatu, SP 18618-681, Brazil. E-mail: viviam.babicsak@gmail.com This study aimed to determine age-related changes of the cerebral ventricles of healthy non‑brachycephalic domestic cats by the acquisition of brain MRI images of 12 adult (1 to 6 years), 11 mature (7 to11 years) and 10 geriatric (12 years or more) cats. Our hypothesis is that the cerebral ventricular system of cats expands with increasing age. The possibility of the evidence of the olfactory bulb cavities and temporal horns of the lateral ventricles were evaluated in this study. Volumes of the olfactory bulb cavities, lateral ventricles (including the temporal horns), third ventricle, mesencephalic aqueduct and fourth ventricle were measured and corrected for the intracranial volume. Significant differences were found between the adult and mature groups in relation to the geriatric one for the variable related to the evidence of the temporal ventricular horns, which were most frequently visualized in geriatric cats. Percentage of the right lateral and third ventricles volume by intracranial volume were significantly higher in geriatric cats compared to the adults. The results of this study demonstrate that ventricular dilation tends to occur with advancing age in cats, as well as the increase in the frequency of the temporal ventricular horn evidence, as had been indicated in the hypothesis of the study.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Babicsak V.R., Klein A.V., Tsunemi M.H. & Vulcano L.C. 2018. Age-related changes of the cerebral ventricles of healthy domestic cats. [Alterações senis dos ventrículos cerebrais de gatos domésticos hígidos.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(10):1935-1941. Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu, Rua Prof. Doutor Walter Mauricio Correa s/n, Botucatu, SP 18618-681, Brazil. E-mail: viviam.babicsak@gmail.com O estudo objetivou a determinação das alterações senis dos ventrículos cerebrais de gatos domésticos hígidos não braquicefálicos pela aquisição de imagens encefálicas de 12 indivíduos adultos (1 a 6 anos), 11 maduros (7 a 11 anos) e 10 geriátricos (12 anos de idade ou mais) por ressonância magnética. Nossa hipótese é de que o sistema ventricular dos gatos se expande com o avanço da idade. A possibilidade de evidenciação das cavidades do bulbo olfatório e dos cornos temporais dos ventrículos laterais foi avaliada nesse estudo. Os volumes das cavidades do bulbo olfatório, ventrículos laterais (incluindo os cornos temporais), terceiro ventrículo, aqueduto mesencefálico e quarto ventrículo foram mensurados e corrigidos de acordo com o volume intracraniano. Diferenças significativas foram encontradas entre os grupos dos adultos e maduros em relação aos geriátricos para a variável referente à evidenciação dos cornos temporais, que foram visualizados de forma mais frequente nos gatos geriátricos. A porcentagem do volume do ventrículo lateral direito e do terceiro ventrículo em relação ao volume intracraniano foi significativamente maior nos animais geriátricos em comparação aos adultos. Os resultados desse estudo demonstram que a dilatação ventricular tende a ocorrer com o avanço da idade nos gatos, assim como o aumento na frequência da evidenciação dos cornos temporais, como havia sido indicado na hipótese do estudo.


#8 - Morphology of the paca vomeronasal organ (Cuniculus paca Linnaeus, 1766), 38(10):1999-2005

Abstract in English:

ABSTRACT.- Figueiredo M.C.S., Leal L.M., Oliveira F.S., Martins L.L., Garcia Filho S.P., Machado M.R.F. & Sasahara T.H.C. 2018. [Morphology of the paca vomeronasal organ (Cuniculus paca Linnaeus, 1766).] Morfologia do órgão vomeronasal da paca (Cuniculus paca Linnaeus, 1766). Pesquisa Veterinária Brasileira 38(10):1999-2005. Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista, Via de acesso Prof. Paulo Donato Castellane s/n, SP 14884‑900, Jaboticabal, Brazil. E-mail: tsasahara@gmail.com The vomeronasal organ is a chemical receptor capable of detecting pheromones and for this reason is involved in reproductive, social and defense behaviors. The breeding of pacas has been highlighted in ​​commercialization of meat and for conservation and research purposes, as an experimental model. Regarding the necessity of detailing the morphology of the secondary olfactory system, the vomeronasal system, the macroscopic anatomy, microscopic anatomy and topography of the vomeronasal organ (OVN) was described. Five adult pacas, from the wild animal Sector at FCAV, Unesp, Jaboticabal, SP were used. After the euthanasia, it was perfused 10% formaldehyde solution by ascendent aorta. The OVN was dissected for topographic and anatomical descriptions. Then, it was included in plastic paraffin. Five micrometres sections were collected and stained with hematoxylin and eosin. The OVN is located on the floor of the nasal cavity in both sides of the base of nasal septum and it was related to the vomer, palatine process of the premaxilar and maxilar bones. In rostral aspect, it has a communication with the oral cavity and with the incisive papilla. It is a paired organ with irregular surface. In transversal section is slight elliptical with brownish colour similar to a sponge full of blood vessels. By light microscopy, it was observed the vomeronasal cartilage. The organ is covered with non-sensorial and neurossensorial epithelia.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Figueiredo M.C.S., Leal L.M., Oliveira F.S., Martins L.L., Garcia Filho S.P., Machado M.R.F. & Sasahara T.H.C. 2018. [Morphology of the paca vomeronasal organ (Cuniculus paca Linnaeus, 1766).] Morfologia do órgão vomeronasal da paca (Cuniculus paca Linnaeus, 1766). Pesquisa Veterinária Brasileira 38(10):1999-2005. Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista, Via de acesso Prof. Paulo Donato Castellane s/n, SP 14884‑900, Jaboticabal, Brazil. E-mail: tsasahara@gmail.com O órgão vomeronasal é um receptor químico capaz de detectar feromônios e por essa razão está envolvido nos comportamentos reprodutivos, sociais e de defesa. A reprodução de pacas tem se destacado na área de comercialização de carne e para fins conservacionistas e de pesquisa, como modelo experimental. Diante da necessidade do detalhamento da morfologia do sistema olfatório secundário, o sistema vomeronasal, foi descrita a anatomia macroscópica, anatomia microscópica e topografia do órgão vomeronasal (OVN) da paca (Cuniculus paca). Foram utilizadas cinco pacas adultas do Setor de Animais Silvestres da FCAV, UNESP, Jaboticabal-SP. Após a eutanásia dos animais, a solução fixadora de formaldeído 10% em tampão fosfato de sódio (PBS) foi perfundida sistemicamente (via aorta ascendente). Mediante dissecação, o OVN foi localizado e individualizado para a descrição topográfica e anatômica. Posteriormente, foi isolado e incluído em parafina plástica. Cortes de cinco micrômetros foram corados com Hematoxilina-Eosina. O OVN encontra-se no assoalho da cavidade nasal em ambos os lados da base do septo nasal e está relacionado com o osso vômer, processos palatinos dos ossos pré-maxilar e maxilar. Rostralmente, comunica-se com a cavidade oral estabelecendo relação com a papila incisiva. É um órgão par com superfície irregular, levemente elíptico em secção transversal, apresentando coloração amarronzada repleta de vasos sanguíneos. À microscopia de luz, notou-se presença da cartilagem vomeronasal. O órgão é revestido por um epitélio não sensorial e neurossensorial.


#9 - Brain parenchymal changes during normal aging in domestic cats

Abstract in English:

This study aimed to identify changes related to brain parenchyma as advancing age in healthy domestic cats. Our hypothesis is that cats suffer cerebral and cerebellar atrophy and show focal changes in signal intensity of the brain parenchyma in accordance with the progression of age. Twelve adult (1 to 6 years), eleven mature (7 to11 years) and ten geriatric non-brachycephalic cats (12 years or more of age) underwent brain magnetic resonance imaging (MRI). There were no changes in signal intensity and contrast uptake in brain parenchyma of the cats. Geriatric animals showed significantly lower average thickness of the interthalamic adhesion and percentage of the cerebral parenchyma volume in relation to intracranial volume than those found in the adult group. No significant differences were found between groups for cerebral volume, cerebellar volume and percentage of cerebellar volume in relation to intracranial volume. The results of this study indicate that atrophy of the cerebral parenchyma, including the interthalamic adhesion, occurs with age in domestic cats, confirming the hypothesis of the study. However, the results did not corroborate the hypothesis that cats show cerebellar atrophy and focal changes in signal intensity of the brain parenchyma with advancing age.

Abstract in Portuguese:

Este estudo objetivou a identificação de alterações no parênquima cerebral relacionadas ao avanço da idade em gatos domésticos saudáveis. Nossa hipótese é de que os gatos sofrem atrofia cerebral e cerebelar, além de alterações focais na intensidade do sinal do parênquima cerebral, de acordo com a progressão da idade. Doze gatos não braquicéfalos adultos (1 a 6 anos), onze maduros (7 a 11 anos) e dez geriátricos (12 anos ou mais) foram submetidos à ressonância magnética encefálica. Não foram observadas alterações na intensidade do sinal e na captação de contraste do parênquima encefálico nos gatos. Os animais geriátricos apresentaram médias da espessura da adesão intertalâmica e porcentagem do volume do parênquima cerebral, em relação ao volume intracraniano, significativamente menores a aquelas encontradas no grupo dos adultos. Não foram encontradas diferenças significativas entre os grupos para volume cerebral, volume cerebelar e porcentagem de volume cerebelar em relação ao volume intracraniano. Os resultados deste estudo indicam que a atrofia do parênquima cerebral, incluindo a adesão intertalâmica, ocorre com o avanço da idade em gatos domésticos, confirmando a hipótese do estudo. No entanto, os resultados não corroboraram a hipótese de que os gatos apresentam atrofia cerebelar e alterações focais na intensidade do sinal do parênquima encefálico com a progressão da idade.


#10 - Radiographic measurements related with the cardiac size in young female Bergamasca sheep, 37(12):1526-1530

Abstract in English:

ABSTRACT.- Babicsak V.R., Alves L.S., Tsunemi M.H. & Vulcano L.C. 2017. Radiographic measurements related with the cardiac size in young female Bergamasca sheep. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(12):1526-1530. Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu, Rua Prof. Doutor Walter Mauricio Correa s/n, Botucatu, SP 18618-681, Brazil. E-mail: viviam.babicsak@gmail.com In thoracic radiographic examination, routinely used in cases which cardiac evaluation is indicated, quantitative assessment of the heart is a useful role to be used in combination with subjective analysis. Numerous studies about objective assessment of the cardiac size have been performed in several species, including sheep; however, there is scarce information regarding cardiac parameters of young Bergamasca sheep. Therefore, the purpose of this study was to determine the average results and suggest the range of expected normal values for parameters related to the heart size of young female Bergamasca sheep by radiographic evaluation. Fifteen healty 8 months-old female Bergamasca sheep (mean weight: 41.13±4.71kg) were submitted to right lateral recumbency thoracic radiography. The length of the fourth and third to fifth thoracic vertebrae, cardiac height and width, vertebral heart size, cardiophrenic contact, caudal vena cava height, aorta caliber and tracheal angle were measured and the mean results found were, respectively: 2.46±0.11cm (95% CI 2.41-2.52), 7.53±0.30cm (95% CI 7.38-7.68), 13.83±0.57cm, (95% CI 13.54-14.12), 8.99±0.37cm (8.80-9.17), 8.99±0.27 vertebrae (95% 8.85-9.13), 4.55±0.70cm (95% CI 4.19-4.90), 1.88±0.19cm (95% CI 1.79-1.97), 2.05±0.11cm (95% CI 2.00-2.11) and 14.36±2.73° (95% CI 12.98-15.75). Cardiac height and width and the sum of these parameters were compared to the length of third to fifth thoracic vertebrae, resulting in the respective mean values: 1.84±0.08 (95% IC 1.80-1.88), 1.20±0.05 (1.17-1.22) and 3.04±0.11 (95% IC 2.98-3.09). Ratios of cardiophrenic contact to cardiac height and caudal vena cava height to length of fourth thoracic vertebra were also evaluated and the mean values obtained were 0.33±0.05 (95% IC 0.30-0.35) and 0.76±0.08 (95% IC 0.72-0.81), respectively. Authors suggest that the values available in this study may be used as reference for normal heart size in young female Bergamasca sheep and as basis for further studies.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Babicsak V.R., Alves L.S., Tsunemi M.H. & Vulcano L.C. 2017. Radiographic measurements related with the cardiac size in young female Bergamasca sheep. [Mensurações radiográficas relacionadas às dimensões cardíacas em borregas Bergamácia.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(12):1526-1530. Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu, Rua Prof. Doutor Walter Mauricio Correa s/n, Botucatu, SP 18618-681, Brazil. E-mail: viviam.babicsak@gmail.com No exame radiográfico torácico, rotineiramente utilizado em casos em que a avaliação cardíaca é indicada, a análise quantitativa do coração é um recurso útil a ser usado em combinação com a avaliação subjetiva. Diversos estudos relacionados à análise objetiva do tamanho cardíaco têm sido realizados em várias espécies, incluindo ovinos; no entanto, há pouca informação sobre os parâmetros cardíacos de ovinos jovens da raça Bergamácia. Dessa forma, o objetivo deste estudo foi determinar as médias e sugerir o intervalo de valores esperados para os parâmetros relacionados ao tamanho cardíaco de borregas Bergamácia por meio da avaliação radiográfica. Quinze borregas Bergamácia de 8 meses de idade (média de peso: 41,13±4,71kg) foram submetidas à radiografia torácica em decúbito lateral direito. O comprimento do quarto e da terceira a quinta vértebras torácicas, a altura e a largura cardíaca, o tamanho do coração em relação à unidade de vértebra torácica, o contato cardiofrênico, a altura da veia cava caudal, o calibre da aorta e o ângulo traqueal foram mensurados, sendo encontrados os seguintes valores médios, respectivamente: 2,46±0,11cm (95% IC 2,41-2,52), 7,53±0,30cm (95% IC 7,38-7,68), 13,83±0,57cm, (95% IC 13,54-14,12), 8,99±0,37cm (95% IC 8,80-9,17), 8,99±0,27 vértebras (95% IC 8,85-9,13), 4,55±0,70cm (95% IC 4,19-4,90), 1,88±0,19cm (95% IC 1,79-1,97), 2,05±0,11cm (95% IC 2,00-2,11) e 14,36±2,73° (95% IC 12,98-15,75). A altura e a largura cardíaca e a soma desses parâmetros foram comparados com o comprimento da terceira a quinta vértebras torácicas, resultando nos respectivos valores médios: 1,84±0,08 (95% IC 1,80-1,88), 1,20±0,05 (1,17-1,22) e 3,04±0,11 (95% IC 2,98-3,09). Também foram avaliadas as relações entre o contato cardiofrênico e a altura cardíaca e entre a altura da veia cava caudal e o comprimento da quarta vértebra torácica, sendo determinados os valores médios de 0,33±0,05 (95% IC 0,30-0,35) e 0,76±0,08 (95% IC 0,72-0,81), respectivamente. Os autores sugerem que os valores disponíveis no presente estudo podem ser utilizados como referência na avaliação das dimensões cardíacas de borregas Bergamácia e como base para estudos futuros.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV