Resultado da pesquisa (5)

Termo utilizado na pesquisa oftalmologia

#1 - Macroscopic morphological aspects, ecometry and rebound tonometry of the eye bulb in sloth (Bradypus variegatus)

Abstract in English:

The field related to the visual system of wild animals is deeply scarce. Settling anatomical and physiological parameters for these animals is still a descriptive vision for Bradypus variegatus (Schinz, 1825). Thus, our research aimed to determine patterns of normal eye for this species. For this purpose, eight eye bulbs were dissected from the carcasses obtained by natural death, and then performed an overview of ocular anatomical. Rebound tonometry (RBT) and ocular B-mode ultrasonography were also applied for eight eyes in four animals from “Parque Estadual Dois Irmãos”, situated in the city of Recife, state of Pernambuco (PE), to estimate the intraocular pressure and ocular ecobiometry. The ocular morphology of sloth is similar as described for other species, however, with some peculiarities. They present a third eyelid emerging in the nasal region of the inferior conjunctival sac and retina and also contain little differentiated blood vessels. Medium the intraocular pressure (IOP) was 4.25mmHg with no difference for both eyes. Ultrasonography of ocular anatomy is also similar regarding other species. Ecobiometric patterns were evaluated to determine the anterior chamber depth, lens width, vitreous chamber depth, and axial length (AL) of ocular globe and the averaged as shown 0.63±1.11mm, 3.73±0.24mm, 6.15±0.41mm, 3.70±0.27mm, and 8.48±0.22mm, respectively. There was no difference between the right and left eyes. The RBT and ocular B-mode ultrasonography are fast exams and easy for animal testing. This study contributed to the characterization of ocular anatomy as well as settling medium values of IOP and intraocular measures; however, further research on physiology and histology is necessary to better understand the visual function of the species.

Abstract in Portuguese:

O campo de estudo relacionado ao sistema visual de animais silvestres é muito escasso. Estabelecer parâmetros anatômicos e fisiológicos para estes animais ainda está restrito a uma visão descritiva, assim ocorre em Bradypus variegatus (Schinz, 1825). Diante deste fato, objetivou-se com este estudo determinar padrões de normalidade oftálmica nesta espécie. Para isto foram dissecados oito bulbos oculares de cadáveres obtidos por morte natural e realizada a descrição anatômica ocular. Além disso, foram realizadas tonometria de rebote (TonoVet®) e ultrassonografia em modo B em oito olhos de quatro animais provenientes do Parque Estadual Dois Irmãos, Recife/PE, para avaliação da pressão intraocular e realização da ecobiometria ocular. A anatomia ocular do bicho-preguiça é semelhante à descrita para outras espécies com algumas particularidades. Apresentam uma terceira pálpebra emergindo na região nasal do saco conjuntival inferior e retina com vasos sanguíneos pouco diferenciados. A pressão intraocular média foi de 4,25mmHg não havendo diferença entre os olhos direito e esquerdo. A anatomia ocular ultrassonográfica é semelhante à encontrada para outras espécies. Os padrões ecobiométricos obtidos foram: profundidade da câmara anterior, espessura do cristalino, diâmetro do cristalino, profundidade da câmara vítrea e comprimento axial do bubo ocular com tamanhos médios de 0,63±1,11mm, 3,73±0,24mm, 6,15±0,41mm, 3,70±0,27mm e 8,48±0,22mm, respectivamente. Não houve diferença entre os olhos direito e esquerdo. A tonometria de rebote e a ultrassonografia ocular em modo B são exames de rápida e fácil execução, sendo bem tolerados pelos animais. Este estudo contribuiu para a caracterização anatômica ocular e para o estabelecimento de valores médios da pressão intraocular e das medidas intraoculares, no entanto são necessárias outras pesquisas na área da fisiologia e histologia para melhor compreensão da função visual da espécie.


#2 - Ultrasonography aspects, biometry and Doppler of howler monkey (Alouatta fusca) ocular bulb

Abstract in English:

This study aimed to describe the sonographic features of normal ocular structures, the ocular biometry and Doppler parameters of the internal ophthalmic artery and central retinal artery of the Alouatta fusca. Twenty ocular ultrasonographic examinations were perform in ten primate species of the Alouatta fusca. Proceeded to the sonographic description of the ocular structures and later biometrics was obtained in four distances: (D1) corresponding to the anterior chamber (D2) lens thickness (D3) vitreous chamber and (D4) axial length of the eyeball. Doppler ultrasound evaluated internal ophthalmic artery and central retinal artery as for the resistivity Index (RI), pulsatility index (PI), peak systolic velocity (PSV) and end diastolic velocity (EDV). The values ​​of biometrics and flowmetry underwent comparison test between genders and sonographic views, by Student t test. The anatomical sonographic description of the ocular structures and vasculature of the red howler were similar to species such as dog, cat and man. The biometric average values ​​found were 2.1±0.38mm for D1, 3.7±0.30mm for D2, 10.4±0.78mm for D3 and 19.3±1.64mm for D4. The Doppler values ​​of the ophthalmic artery and central retinal artery found were: PSV of 25.6cm/s and 14.6cm/s; VDF 15.8cm/s and 10.7cm/s; IR 0.7 and 0.5; IP 1.4 and 0.8.

Abstract in Portuguese:

Este estudo teve como objetivo geral descrever os aspectos ultrassonográficos normais das estruturas do bulbo ocular de primatas da espécie Alouatta fusca, determinando ainda os valores da biometria ocular, e os parâmetros da dopplerfluxometria ocular das artérias oftálmica interna e central da retina. Vinte exames ultrassonográficos oculares foram realizados em dez primatas da espécie Alouatta fusca clinicamente saudáveis, sem sinais de doença ocular ao exame oftalmológico. Procedeu-se a descrição ultrassonográfica das estruturas oculares e posteriormente a biometria foi obtida em quatro distâncias distintas: (D1) correspondentes à câmara anterior, (D2) espessura da lente, (D3) profundidade da câmara vítrea e (D4) comprimento axial do bulbo ocular. Na dopplerfluxometria foram avaliadas as artérias oftálmica interna e central da retina quanto ao índice de resistividade (IR), de pulsatilidade (IP), e as velocidades do pico sistólico (VPS) ediastólica final (VDF). Os valores de biometria foram submetidos a teste de comparação quanto ao gênero dos animais e cortes ultrassonográficos, utilizando o teste t de Student. O mesmo teste foi realizado para comparação dos resultados de dopplerfluxometria entre fêmeas e machos. A descrição ultrassonográfica das estruturas oculares e vascularização do bugio ruivo mostraram-se semelhantes a espécies como o cão, o gato e o homem. Os valores biométricos médios encontrados foram de 2,1±0,38 mm para D1, 3,7±0,30mm para D2, 10,4±0,78mm para D3 e 19,3±1,64mm para D4. Os valores de dopplerfluxometria da artéria oftálmica e da artéria central da retina foram respectivamente: VPS de 25,6cm/s e 14,6cm/s; VDF de 15,8cm/s e 10,7cm/s; IR de 0,7 e 0,5; IP de 1,4 e 0,8.


#3 - Biometric, B-mode and color Doppler ultrasound assessment of eyes in healthy dogs

Abstract in English:

B-scan ultrasonography is an important diagnostic tool that allows characterization of internal organ anatomy and, when complemented by Doppler ultrasound, allows vascular hemodynamic assessment, increasing the diagnostic accuracy. Thus, the aim of the present study was the B-scan ultrasound characterization and measurement of the eyeball segments and assessment of the external ophthalmic artery by color and pulsed Doppler. Sixty eyeballs were assessed from 30 dogs of different breeds using an 8.5MHz microconvex transductor. First, biometry was performed by B-scan of the following segments: axial length (M1), anterior chamber depth (M2), lens thickness (M3), lens length (M4), vitreous chamber depth (M5), optical disc length (M6) and optic nerve diameter (M7). Colored Doppler identified the external ophthalmic article and pulsed Doppler assessed its flow, and the following were measured: systolic peak velocity (VPS), final diastolic velocity (VDF), resistivity index (IR) and pulse index (IP). No statistical difference was observed for the biometric values of the eye segments between the right and left eyes (p>0.05). The vitreous chamber depth (M5) was shown to be the biometric variable with greatest bilateral symmetry, varying from 0.79 to 0.87cm and 0.78 to 0.86cm for the right and left eye, respectively. The ophthalmic artery was visualized over the optic nerve towards the eyeball, with flow stained red. There was no significant statistical difference between the Doppler velocimetric values for the ophthalmic artery between the right and left eye of the animals assessed (p>0.05). The mean resistivity index (RI) showed average values equal to 0.63±0.03, bilaterally. The mean base velocity was 17.50cm/s and 18.18cm/s at the systolic peak and 6.21cm/s and 6.68cm/s at the end of the diastole, for the right and left eyes respectively. The anatomic, biometric and hemodynamic characterization using the ultrasound B-scan and the Doppler modalities permitted the ultrasonographic and Doppler velocimetric assessment of the eyeball components in dogs of different breeds, and it can be used in ophthalmic clinical routine to identify eye pathologies.

Abstract in Portuguese:

O exame ultrassonográfico modo-B é uma importante ferramenta diagnóstica que permite caracterizar a anatomia interna dos órgãos e, complementada pelo exame modo Doppler, possibilita realizar a avaliação hemodinâmica vascular, aumentando a acurácia diagnóstica. Desta forma, este trabalho teve como objetivo a caracterização ultrassonográfica e mensuração dos segmentos do bulbo ocular modo-B, assim como a avaliação da artéria oftálmica externa pelo Doppler colorido e pulsado. Foram avaliados 60 bulbos oculares de 30 cães de diferentes raças utilizando transdutor microconvexo de 8,5MHz. Inicialmente foi realizada biometria por meio do exame em modo-B dos seguintes seguimentos: comprimento axial (M1), profundidade da câmara anterior (M2), espessura da lente (M3), comprimento da lente (M4), profundidade da câmara vítrea (M5), comprimento do disco óptico (M6) e diâmetro do nervo óptico (M7). A artéria oftálmica externa foi identificada pelo Doppler colorido e seu fluxo foi avaliado por meio do Doppler pulsado, sendo mensurados: velocidade do pico sistólico (VPS), velocidade diastólica final (VDF), índice de resistividade (IR) e índice de pulsatilidade (IP). Não foi verificada diferença estatística para os valores biométricos dos seguimentos oculares entre os olhos direito e esquerdo (p>0,05). A profundidade da câmera vítrea (M5), mostrou-se a variável biométrica com maior simetria bilateral, variando entre 0,79 a 0,87cm e 0,78 a 0,86cm para o olho direito e esquerdo, respectivamente. A artéria oftálmica foi visibilizada sobre o nervo óptico em direção ao bulbo ocular, com fluxo marcado em vermelho. Não houve diferença estatística significativa entre os valores Dopplervelocimétricos da artéria oftálmica entre do olho direito e esquerdo dos animais avaliados (p>0.05). O índice de resistividade (IR) médio evidenciou valores médios sendo igual a 0,63±0,03, bilateralmente. A velocidade basal média foi 17,50cm/s e 18,18cm/s no pico sistólico e 6,21cm/s e 6,68cm/s no final da diástole, para os olhos direito e esquerdo, respectivamente. A caracterização anatômica, biométrica e hemodinâmica utilizando o exame ultrassonográfico modo-B e as modalidades do Doppler permitiram a avaliação ultrassonográfica e Dopplervelocimétrica dos componentes do bulbo ocular nos cães de diferentes raças, podendo ser utilizados na rotina clínica oftalmológica para identificação de patologias oculares.


#4 - Visual evoked potential in dogs and shee, 37(4):355-358

Abstract in English:

ABSTRACT.- Palumbo M.I.P., Resende L.A.L., Barros R., Araújo C.E.T., Brandão C.V.S. & Borges A.S. 2017. [Visual evoked potential in dogs and sheep.] Potencial evocado visual em cães e ovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(4):355-358. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Distrito de Rubião Junior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: palumboma11@yahoo.com.br The visual evoked potential (VEP) is an electro-diagnostic technique that allows assessment of visual pathways. The VEP from 20 adult dogs and 20 adult sheep of both gender was obtained for normative study. Monopolar electrode needles were placed in O1 and O2 (active), Fpz (common reference) and Cz (ground). The stimuli were flash at 1Hz. Seventeen dogs and 17 sheep were included in the study because they had auditory potentials with good technical quality. The results from both eyes were grouped, totaling 34 results in each species. The most consistent result in all tests was an electropositive deflection, with a mean latency 55.4ms in dogs (P55) and 63.75ms in sheep (P63). Two negative deflections were also identified: N31 and N75 in dogs, and N42 and N86 in sheep. The methodology used in this study allowed to obtain potential similar to those described in other studies, with little variability, and is useful for evaluation of animals with suspected changes in the central visual pathways.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Palumbo M.I.P., Resende L.A.L., Barros R., Araújo C.E.T., Brandão C.V.S. & Borges A.S. 2017. [Visual evoked potential in dogs and sheep.] Potencial evocado visual em cães e ovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(4):355-358. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Distrito de Rubião Junior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: palumboma11@yahoo.com.br O potencial evocado visual (PEV) é técnica eletrodiagnóstica que permite avaliação das vias visuais. O PEV de 20 cães e 20 ovinos adultos, de ambos os sexos, foram obtidos para estudo normativo. Foram utilizados eletrodos de agulha monopolar posicionados em O1 e O2 (ativos), em Fpz (referência comum) e em Cz (terra). O estímulo foi na forma de flash a 1Hz. Dezessete cães e 17 ovinos foram incluídos no estudo, pois apresentaram potenciais auditivos com boa qualidade técnica. Os resultados da avaliação dos dois olhos foram agrupados, totalizando 34 exames em cada espécie. O achado mais consistente em todos os exames foi uma deflexão eletropositiva, com latência média de 55,4ms em cães (P55) e 63,75ms em ovinos (P63). Outras duas ondas eletronegativas também foram identificadas: N31 e N75 em cães; e N42 e N86 em ovinos. A metodologia utilizada neste estudo permitiu obtenção de potenciais visuais com pequena variabilidade, sendo útil para avaliação de animais com suspeita de alteração nas vias visuais centrais.


#5 - Fifty years in the blink of an eye: a retrospective study of ocular and periocular lesions in domestic animals, 34(12):1215-1222

Abstract in English:

ABSTRACT.- Martins T.B. & Barros C.S.L. 2014. Fifty years in the blink of an eye: a retrospective study of ocular and periocular lesions in domestic animals. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(12):1215-1222. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Santa Maria, Camobi, Av. Roraima 1000, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: claudioslbarros@uol.com.br A survey was undertaken aiming to obtain an overview of ocular and periocular lesions diagnosed in domestic mammals over a period of 50 years in a veterinary pathology diagnostic laboratory in the Central Region of the State of Rio Grande do Sul, Brazil. In this lab, 33,075 histophatological exams had been performed over the period surveyed, of which 540 (1.6%) concerned ocular and periocular lesions. For various reasons ninety specimens were excluded from the study and the remaining 450 consisted of samples from dogs (53.5%), cattle (28.2%), cats (11.1%), horses (5.1%) sheep (1.3%), rabbits (0.4%), and pig (0.2%). The eyelids were the most prevalent (248/450) site of lesions in each of the species studied, followed by third eyelid (73/450), and conjunctiva (27/450). In dogs (241 samples) lesions in sebaceous glands (including Meibomian glands) were the most common findings (75/241), followed by melanocytic tumors (52/241) and nonspecific conjunctivitis (13/241). Squamous cell neoplasms, both benign and malignant, were relatively common. In cattle, anatomical sites affected by ocular and periocular lesions, in decreasing order of frequency, were eyelid, cornea and third eyelid. Squamous cell carcinoma (SCC) alone accounted for 80.3% of all diagnoses, while all neoplastic lesions made up for 85.0% of the lesions diagnosed in cattle. Neoplasia accounted for most of the lesions diagnosed in cats (39/50 cases); all of these were malignant, and SCC, hemangiosarcoma and fibrosarcoma were the most common types diagnosed. In horses, 19 out of 23 submissions were neoplasms and most were sarcoid (8/23) and SCC (8/23). There were six submissions from sheep with unpigmented skin, all of which represented SCC of the eyelids (5) and third eyelid (1).

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Martins T.B. & Barros C.S.L. 2014. Fifty years in the blink of an eye: a retrospective study of ocular and periocular lesions in domestic animals. [Cinquenta anos num piscar de olhos: um estudo retrospectivo sobre lesões oculares e perioculares em animais domésticos.] Pesquisa Veterinária Brasileira 34(12):1215-1222. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Santa Maria, Camobi, Av. Roraima 1000, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: claudioslbarros@uol.com.br Foi realizada uma investigação para obter-se uma visão geral das lesões oculares e perioculares de mamíferos domésticos diagnosticadas ao longo de um período de 50 anos num laboratório de diagnóstico de patologia veterinária da Região Central do Rio Grande do Sul. Nesse laboratório, durante o período pesquisado foram realizados 33.075 exames histopatológicos, 540 dos quais (1,6%) eram de lesões oculares e perioculares. Por várias razões, 90 espécimes foram excluídos do estudo. As 450 amostras restantes consistiam espécimes de cães (53,5%), bovinos (28,2%), gatos (11,1%), cavalos (5,1%), ovelhas (1,3%), coelhos (0,4%), e porco (0,2%). As pálpebras foram o local mais prevalente (248/450) de ocorrência das lesões, seguidas da terceira pálpebra (73/450) e conjuntiva (27/450). Em cães (241 diagnósticos) as lesões nas glândulas sebáceas (incluindo as glândulas meibomianas) consistiram nos achados mais comuns (75/241), seguidos dos tumores melanocíticos (52/241) e de conjuntivites inespecíficas (13/241). Neoplasmas de células escamosas, tanto benignos como malignos, foram achados relativamente comuns. Em bovinos, os locais anatômicos afetados por lesões perioculares e oculares, em ordem decrescente de frequência, foram pálpebra, córnea e terceira pálpebra. Somente o carcinoma de células escamosas (CCE) perfez 80,3% de todos os diagnósticos, enquanto todas as lesões neoplásicas juntas perfizeram 85,0% das lesões diagnosticadas em bovinos. Em gatos, a maioria (39/50 casos) das lesões diagnosticadas era de neoplasia maligna e CCE, hemangiossarcoma e fibrosarcoma foram os diagnósticos mais frequentes. Em equinos 19 de 23 submissões eram neoplasmas e os mais comuns foram sarcoide (8/23) e CCE (8/23). Em ovinos foram encontradas seis submissões, todas casos de CCE de pálpebra (5/6) ou terceira pálpebra (1/6) de ovinos de pele despigmentada.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV