Resultado da pesquisa (714)

Termo utilizado na pesquisa Pará

#1 - Techniques for prevention and control of poisoning by sodium monofluoroacetate (MFA)-containing plants in ruminants

Abstract in English:

Monofluoroacetate (MFA)-containing plants cause sudden death associated with exercise in ruminants, and are responsible for significant losses in Brazilian livestock, estimated at 500,000 bovine deaths annually. Most of the times, the control and treatment of this type of poisoning are not efficient, because disease evolution is superacute, usually causing the death of the animal. Due to the difficulty in controlling this intoxication, several studies have suggested alternatives to prevent it, mainly by making animals resistant to the MFA present in these plants or by avoiding their consumption. This literature review addresses the techniques used experimentally to control the poisoning of ruminants by plants containing MFA. The first studies carried out in Brazil demonstrated that goats and sheep that continuously receive non-toxic doses of plant containing MFA show greater resistance to poisoning than untreated animals, and that this resistance can be transmitted by ruminal fluid transfaunation, suggesting that poisoning occurs due to the presence of bacteria that hydrolyze MFA in the rumen. Based on this hypothesis, several MFA-hydrolyzing bacteria were isolated (Enterococcus faecalis, Bacillus sp., Paenibacillus sp., Burkholderia sp., Cupriavidus sp., Staphylococcus sp., Ancylobacter sp., Ralstonia sp., Stenotrophomonas sp., Pigmentiphaga kullae, and Ancylobacter dichloromethanicus). When some of these bacteria were administered intraruminally, they provided the animal with a different level of protection against poisoning. However, it was observed that protection is gradually lost when the bacterium administration is interrupted. Consequently, to obtain more efficient protection, these bacteria should be administered continuously, probably in the form of probiotics. In another assay, MFA was administered to sheep at non-toxic doses to test the hypothesis that this substance could induce the multiplication of bacteria that hydrolyze it in the rumen. There was no increase in resistance to poisoning after administration of MFA; however, no signs of poisoning were observed when animals received trifluoroacetate and no clinical signs were verified when they were challenged with toxic doses of MFA; in contrast, all control animals presented clinical signs. These results suggest that trifluoroacetate induces the proliferation of MFA‑degrading bacteria, and can be used in intoxication prophylaxis. The conditioned food aversion technique, using lithium chloride, has been successfully used experimentally to prevent ruminants from ingesting plants that contain MFA. Another alternative tested was the spraying of Amorimia septentrionalis with the endophytic bacterium Herbaspirillum seropedicae, which degrades MFA, resulting in decreased concentration of this compound in the plants. In conclusion, several experimental techniques have been proved efficient in the control and prophylaxis of MFA-containing plant poisoning; however, none of these techniques are available commercially. Further experiments, mainly in the field, should be carried out to adapt some of these techniques to the conditions of extensive breeding in the numerous areas where MFA-containing plants occur.

Abstract in Portuguese:

As plantas que contém monofluoroacetato (MFA) causam morte súbita associada ao exercício em ruminantes, e são responsáveis por grandes perdas na pecuária brasileira, estimadas em 500.000 mortes de bovinos anualmente. O controle e tratamento desse tipo de intoxicação, na maioria das vezes, não apresenta eficiência, visto que a evolução da doença é superaguda, e geralmente ocasiona a morte do animal. Devido à dificuldade no controle dessa intoxicação, diversos estudos sugerem alternativas para preveni-la, principalmente tornando os animais resistentes ao MFA presente nessas plantas ou evitando seu consumo. O objetivo do presente trabalho é fazer uma revisão bibliográfica das técnicas utilizadas experimentalmente para controlar a intoxicação de ruminantes por plantas que contém MFA. Nos primeiros trabalhos realizados no Brasil, foi determinado que caprinos e ovinos que recebem continuadamente doses não tóxicas de planta que contém MFA apresentam maior resistência a intoxicação que animais não tratados e que essa resistência pode ser transmitida por transfaunação de fluído ruminal, sugerindo que a mesma ocorre devido a presença de bactérias que hidrolisam MFA no rúmen. Com base nessa hipótese foram isoladas diversas bactérias que hidrolisam MFA (Enterococcus faecalis, Bacillus sp., Paenibacillus sp., Burkholderia sp., Cupriavidus sp., Staphylococcus sp., Ancylobacter sp., Ralstonia sp., Stenotrophomonas sp., Pigmentiphaga kullae e Ancylobacter dichloromethanicus). Quando algumas dessas bactérias foram administradas intraruminalmente conferiram diferentes graus de proteção contra a intoxicação. No entanto foi observado que a proteção se perde gradualmente quando se deixa de administrar a(s) bactéria(s). Em consequência, para obter uma proteção mais eficiente essas bactérias deveriam ser administradas continuadamente, provavelmente na forma de probiótico. Em outro ensaio administrou-se MFA a ovinos em doses não tóxicas para testar a hipótese de que esta substância poderia induzir a multiplicação de bactérias que hidrolisam o mesmo no rúmen. Não houve um aumento da resistência a intoxicação após a administração de MFA; no entanto quando foi administrado trifluoroacetato, os animais não desenvolveram nenhum sinal de intoxicação e quando desafiados com doses tóxicas de MFA não apresentaram sinais clínicos, pelo contrário todos os animais controles apresentaram sinais clínicos. Esses resultados sugerem que o trifluoroacetato induz a proliferação de bactérias que degradam MFA e pode ser utilizado para a profilaxia da intoxicação. A técnica da aversão alimentar condicionada, utilizando cloreto de lítio, tem sido empregada experimentalmente, com sucesso, para evitar que ruminantes ingiram plantas que contém MFA. Outra alternativa testada foi a pulverização de Amorimia septentrionalis com a bactéria endofítica Herbaspirullum seropedicae, que degrada MFA, resultando na diminuição da concentração deste composto na planta. Conclui-se que há diversas técnicas que experimentalmente tem demonstrado eficiência no controle e profilaxia das intoxicações por plantas que contém MFA; no entanto, nenhuma dessas técnicas está disponível comercialmente. Futuros experimentos, principalmente, a campo, deverão ser realizados para adaptar alguma(s) dessas técnicas as condições de criação extensiva nas numerosas áreas onde ocorrem plantas que contém MFA.


#2 - Comparison of electrolyte and acid-base balances of Dorper breed ewes between single and twin pregnancies

Abstract in English:

During pregnancy there are modifications in the metabolic profile of sheep that may predispose to the occurrence of metabolic disorders, of which pregnancy toxaemia (PT) is highlighted. Blood gas analysis is detects changes in acid-base and electrolyte balance effectively. The objectives of this study were to study the acid-base and electrolyte balance of sheep during gestation and in the immediate peripartum (up to 48 hours postpartum), comparing single gestation with twins. Sixty healthy sheep of Dorper breed, two to five years old were raised in a semi-intensive system and were divided in two experimental groups: Group 1: 30 ewes, with ultrasonographic diagnosis of single fetus gestation; Group 2: 30 ewes, with ultrasonographic diagnosis of twin pregnancy. The experimental moments were defined as: MI-immediately after artificial insemination (control); MG30 - 30 days of gestation; MG90 - 90 days of gestation; MG120 - 120 days of gestation; MG130 - 130 days of gestation; MG140 - 140 days of gestation; MP - lambing; MPP1 - 24h postpartum; MPP2 - 48h postpartum. At all times 1mL of blood was collected per jugular vein puncture for blood gas evaluation in a portable equipament (I-Stat). The pH, carbon dioxide pressure (PCO2), bicarbonate (HCO3–), base excess (BE), sodium (Na+), potassium (K+), chloride (Cl–), ionized calcium (Ca+2), lactate, anion gap (AG) were mensured and strong ion difference (SID) were calculed. This work showed that there were changes in acid-base and electrolyte balance in pregnant ewes, due to the decrease in BE, HCO3–, TCO2 and increase of lactate and AG during gestation, but the pH remained normal and did not present any difference among moments in both groups. Comparing the groups, single-gestation ewes presented higher alkaline expenditure at delivery than twin-gestation, evidenced by lower levels of BE and HCO3–. Lower Na+ levels were observed in prepartum; drop in K+ values ​​with advancing gestation; hyperchloremia and hypocalcemia during gestation according to the reference standards for species; decreased iCa+2 levels in the final third of gestation in both groups. It was concluded that the ewes of this study were healthy until the last moment analyzed (48h postpartum), although have shown greater consumption of the alkaline reserve in the peripartum, being more explicit in the single gestation animals. In addition, this situation can be physiological and result in increased energy demand during gestation, more exacerbated by peripartum.

Abstract in Portuguese:

Durante a gestação ocorrem modificações metabólicas nas ovelhas que podem predispor a ocorrência de transtornos metabólicos, dos quais se destaca a toxemia da prenhez (TP). A hemogasometria é um exame que detecta alterações nos equilíbrios ácido-básico e eletrolítico de forma eficaz. Os objetivos deste estudo foram estudar os equilíbrios ácido-básico e eletrolítico de ovelhas durante a gestação e no periparto imediato (até 48 horas pós-parto), comparando‑se gestação única com gemelar. Foram utilizadas 60 ovelhas criadas em manejo semi-intensivo, hígidas, da raça Dorper, com dois a cinco anos de idade. Foram constituídos dois grupos experimentais: Grupo 1: 30 ovelhas, com diagnóstico ultrassonográfico de gestação de feto único; Grupo 2: 30 ovelhas, com diagnóstico ultrassonográfico de gestação gemelar. Os momentos experimentais foram definidos como: MI - imediatamente após a inseminação artificial (controle); MG30 - 30 dias de gestação; MG90 - 90 dias de gestação; MG120 - 120 dias de gestação; MG130 - 130 dias de gestação; MG140 - 140 dias de gestação; MP - dia do parto; MPP1 - 24h pós-parto; MPP2 - 48h pós-parto. Em todos os momentos foi colhido 1mL de sangue por punção da veia jugular para avaliação hemogasométrica em aparelho portátil (I-Stat). Foram analisados os parâmetros: pH, pressão de dióxido de carbono (PCO2), bicarbonato (HCO3–), excesso de bases (EB), sódio (Na+), potássio (K+), cloreto (Cl–), cálcio ionizado (iCa+2), lactato, ânion gap (AG) e diferença de íons fortes (SID). Este trabalho mostrou que houve mudanças nos equilíbrios ácido-básico e eletrolítico nas ovelhas prenhes, pela diminuição do EB, HCO3– e aumento do lactato e AG no decorrer da gestação, porém o pH se manteve dentro da normalidade e não apresentou diferença ao longo dos momentos em ambos os grupos. Comparando os grupos, as ovelhas de gestação única apresentaram maior consumo da reserva alcalina no momento do parto do que as de gestação gemelar, evidenciado menores níveis de EB e HCO3–. Foram observados níveis mais baixos de Na+ no pré-parto; queda dos valores de K+ com o avanço da gestação; hipercloremia e hipocalcemia durante a gestação segundo os padrões de referência para espécie e diminuição dos níveis de iCa+2 no terço final da gestação nas ovelhas de ambos os grupos. Concluiu-se que as ovelhas deste estudo apresentaram-se saudáveis até o último momento analisado (48h pós-parto), embora tenham mostrado maior consumo da reserva alcalina no periparto, sendo mais evidente nos animais de gestação única. Apesar disso, essa ocorrência pode ser considerada fisiológica e consequência do aumento da demanda energética durante a gestação, mais exacerbada no periparto.


#3 - Comparison of two collection methods to determine protodioscin concentrations in Brachiaria spp. and to monitor Brachiaria spp. poisoning

Abstract in English:

The objective of this study was to evaluate the methods of collecting Brachiaria spp. (Simulated Grazing vs. Total Collection) for the determination of protodioscin concentrations and to monitor the intoxication in sheep susceptible and resistant to poisoning by Brachiaria spp. The collection of Brachiaria spp. was done through two different methods. The first one consisted in throwing a metallic square at 10 random picket points. The second was performed simulating, with the hands, the grazing behavior of sheep. The leaf blades obtained by the two methods were conditioned in a forced ventilation oven. The extraction and quantification of protodioscin from the dry milled plant material was done by reverse-phase high-performance liquid chromatography (HPLC). The collections were carried out at three stages of the life of experimental lamb (suckling, rearing, and finishing). The lambs were divided into resistant and susceptible to intoxication by Brachiaria spp. The criterion for a lamb to be considered sensitive was to present some clinical signs at some stage of its life. No significant differences were observed between the general averages of the two collections when the evaluation was done in the whole period. However, a significant difference was found at the onset of the clinical signs. The concentrations of protodioscin in this period were higher in Brachiaria spp. collected by the simulating grazing method. Both methodologies were efficient to determine the level of protodioscin in the pastures of Brachiaria spp. However, during the periods when the outbreaks occurred, the simulated grazing method was more reliable.

Abstract in Portuguese:

Objetivou-se avaliar dois métodos de coleta de Brachiaria spp. (Pastejo Simulado vs Coleta Total) para determinação das concentrações de protodioscina e efetuar o monitoramento da intoxicação em rebanhos sensíveis e resistentes à intoxicação por Brachiaria spp. Foram realizadas coletas de Brachiaria spp. através de duas metodologias. A primeira consistiu em fazer o lançamento de um quadrado metálico em 10 pontos aleatórios do piquete. A segunda foi realizada simulando com as mãos o comportamento de pastejo dos ovinos. As lâminas foliares obtidas pelas duas metodologias foram acondicionadas em estufa de ventilação forçada. O material seco e moído foi encaminhado para extração e quantificação da protodioscina por cromatografia líquida de alto desempenho (HPLC) de fase reversa. As coletas foram realizadas em três fases de vida dos cordeiros (cria, recria e terminação). Os cordeiros foram divididos em resistentes e sensíveis a intoxicação por Brachiaria spp. O critério para o ovino ser considerado sensível foi apresentar algum sinal clínico da intoxicação em alguma fase de sua vida. Não foram observadas diferenças significativas entre a média geral das duas coletas quando a avaliação foi feita no período total. Porém, foi observada diferença significativa no período de aparecimento dos casos. As concentrações de protodioscina neste período foram superiores pelo método do pastejo simulado. Ambas as metodologias mostraram-se eficientes para determinação da concentração da protodioscina nas pastagens de Brachiaria spp. No entanto, nos períodos em que ocorreram os surtos, o método do pastejo simulado foi mais fidedigno.


#4 - Risk factors for high bulk milk somatic cell counts in dairy herds from Campos das Vertentes region, Minas Gerais State, Brazil: a case-control study

Abstract in English:

High bulk milk somatic cell counts (BMSCC) are indicative of failures related to the control of mastitis in the herd, which compromises the quality of the milk and generates great losses for the producers and for the industry. A case-control study was carried out in dairy herds in the Campos das Vertentes region, Minas Gerais State, Brazil, in order to contribute to the knowledge of the risk factors involved with elevated BMSCC. The study involved 46 dairy herds, of which 30 were considered cases (BMSCC ≥700,000 cells/mL of milk) and 16 control farms (BMSCC ≤200,000 cells/mL of milk). Sixteen qualitative variables and four quantitative variables were analyzed. The results showed that the risk factors for BMSCC ≥700,000 cells/mL were the presence of Staphylococcus aureus and Streptococcus agalactiae pathogens in bulk milk, non-use of pre and post-dipping, non-use of disposable paper towel for drying of mammary glands, non-monitoring of mastitis in the herd by means of California Mastitis Test (CMT) or individual somatic cell counts (SCC), non-implementation of the milking line and therapy of dry cows and failures in hygiene of teats and udders before milking. Moderate correlations were also observed between the elevation of BMSCC and counts of S. aureus and BMSCC and counts S. agalactiae in bulk milk, and a moderate correlation between S. aureus and S. agalactiae counts in bulk milk. Failures with regard to the maintenance and use of milking equipment, including manual pressure application in milking assemblies, unregulated milking vacuum pressure, and vacuum loss during milking, and maintenance failures of the milking machine and bulk milk tank were also pointed out as important risk factors of BMSCC elevation. The results of this study provided subsidies for the elaboration of more effective programs for mastitis control and improvement of raw milk quality, reducing the losses caused by the disease to producers and industry.

Abstract in Portuguese:

Altas contagens de células somáticas no leite do tanque (CCSt) são indicativas de falhas relacionadas com o controle da mastite no rebanho, o que compromete a qualidade do leite e gera grandes perdas para os produtores e para a indústria. Visando identificar os fatores de risco envolvidos com a CCSt elevada, foi realizado um estudo de caso-controle em rebanhos bovinos leiteiros da região de Campos das Vertentes, em Minas Gerais. O estudo envolveu 46 propriedades, das quais 30 foram consideradas casos (CCSt ≥700.000 cels/mL de leite) e 16 propriedades controles (CCSt ≤200.000 cels/mL de leite). Foram analisadas 16 variáveis qualitativas e quatro variáveis quantitativas. Os resultados demonstraram que os fatores de risco para valores de CCSt ≥700.000 cels/mL de leite foram a presença dos patógenos Staphylococcus aureus e Streptococcus agalactiae, não utilização do pré e de pós-dipping, não utilização de papel toalha descartável para a secagem dos tetos, não monitoramento da mastite por meio do California Mastitis Test (CMT) ou CCS individual, não implementação da linha de ordenha e da terapia de vacas secas e falhas na higiene de tetos e de úbere antes da ordenha. Também se observaram correlações moderadas entre a CCSt e as contagens de S. aureus e entre CCSt e as contagens de S. agalactiae, e correlação moderada entre as contagens de S. aureus e de S. agalactiae no leite do tanque. Falhas com relação à manutenção e utilização dos equipamentos de ordenha, aplicação de pressão manual nos conjuntos da ordenha, pressão de vácuo da ordenha desregulada, perda de vácuo durante a ordenha e falhas de manutenção da ordenhadeira e do tanque de expansão foram também apontadas como fatores de risco para elevação da CCSt. Os resultados deste estudo possibilitaram identificar fatores de risco importantes para contagens elevadas de CCSt que poderão fornecer subsídios para a elaboração de programas de controle mais efetivos para a mastite e para a melhoria da qualidade do leite, mitigando o impacto que a doença causa para os produtores e para a indústria.


#5 - Protocols for preparation of platelet rich plasma (PRP) in Quarter Horses

Abstract in English:

This study compared two protocols for preparation of platelet rich plasma (PRP) and evaluated the association between manual and automated methods for platelet count using a prospective study design. Eight clinically healthy Quarter Horses had venous blood samples collected at rest. After collection, blood samples were centrifuged twice, using two different protocols including a period of sample resting, either at the start or at the end of the protocol. Platelet counting at the start of the protocol, during, and after obtaining PRP was conducted manually or with an automated counter, followed by comparison of the two methods. In order to investigate platelet degranulation during the protocol, vascular endothelial growth factor (VEGF) was measured at each preparation stage. The protocol with sample resting before centrifugation yielded a more concentrated PRP, and the study verified that both manual and automated methods are comparable and can be used interchangeably for platelet counting. VEGF concentration did not differ significantly between protocols, or among protocol stages. The results indicate that choice of protocol for PRP preparation will affect the quantity of platelets in the final product, although platelet degranulation was not observed as evidenced by the stable VEGF concentrations measured. A larger yield of non-degranulated platelets in PRP is desirable since more α-granules will be present, therefore Protocol II is recommended. Both manual and automated counts reliably allow clinicians to obtain platelet counts and the choice of utilizing a manual or automated method is unlikely to interfere with evaluation of the final PRP product.

Abstract in Portuguese:

Este estudo comparou dois protocolos de preparo de plasma rico em plaquetas (PRP) e avaliou a associação entre dois métodos de contagem plaquetária – um manual e o outro automático através de um estudo prospectivo. Sangue venoso de oito equinos da raça Quarto de Milha foi coletado e em seguida foi centrifugado duas vezes utilizando-se dois protocolos distintos: um com descanso antes da primeira centrifugação e outro após a segunda centrifugação. A contagem plaquetária ao início, no meio e ao final dos protocolos foi realizada manualmente e pelo método automatizado, seguida de comparação entre os dois métodos. Para investigar a degranulação plaquetária ocorrida durante o preparo do PRP, o fator de crescimento vascular endotelial (VEGF) foi mensurado em cada estágio dos protocolos. O método utilizando o descanso da amostra antes da primeira centrifugação proporcionou a obtenção de um PRP mais concentrado, além de o estudo verificar que ambos os métodos de contagem plaquetária (manual e automatizado) são comparáveis e podem ser usados indiferentemente. A concentração de VEGF não foi significativamente diferente entre os estágios de preparo do PRP. Os resultados indicam que o método de preparo afeta a quantidade de plaquetas obtidas no PRP, apesar da degranulação plaquetária não ter sido observada, como evidenciado pela concentração estável de VEGF. Uma maior concentração de plaquetas no PRP é desejável, pois indica que um maior número de α-grânulos estará presente na amostra, portanto, conclui-se que o Protocolo II é mais recomendável. Tanto o método manual, quanto o automatizado, pode ser usado de maneira confiável para a contagem plaquetária, não interferindo com a avaliação do produto final (PRP).


#6 - Detection of enteric agents into a cats’ shelter with cases of chronic diarrhea in Southern Brazil

Abstract in English:

This study carried out a survey about enteropathogenic agents in domestic cats’ shelter as a stage of investigation for the intermittent chronic diarrhea. Individual fecal samples from 39 cats with free access to the external environment were submitted to parasitological examination, parvovirus, and coronavirus by PCR, and Cryptosporidium spp., Giardia spp. and Tritrichomonas foetus by real-time PCR. From the cats evaluated, 30 (76.9%) were positive for one or more enteric agents, and coinfections were observed in 11 cats samples (28.2%). Helminth eggs were observed in 48.7% of cats (19/30), 16 (41%) were positive for parvovirus or coronavirus and 25.6% (10/30) were infected by protozoa. From the positives for protozoa, five cats were positive to T. foetus (12.82%). The first finding of this protozoan through PCR was in the southern Brazil, and the second was in the whole country. Chronic diarrhea in cats may be multifactorial in shelter animals where the population density is high and the control of parasitic, and viral infections are deficient. Moreover, it is due to poor hygiene conditions in these shelters. The factors associated with the proliferation of infectious diseases in shelters are correlated with new pathogens infections such as T. foetus.

Abstract in Portuguese:

Uma pesquisa de agentes enteropatogênicos em gatos domésticos de um abrigo foi realizado como etapa da investigação das causas de diarreias crônicas intermitentes. Amostras fecais individuais de 39 gatos, com livre acesso ao ambiente externo, foram obtidas para pesquisa de helmintos através do exame parasitológico, investigação de parvovírus e coronavírus e de Cryptosporidium spp., Giardia spp. e Tritrichomonas foetus através de PCR em tempo real. Dos gatos avaliados, 30 (76,9%) foram positivos para algum ou mais de um destes agentes entéricos. Desses, 11 (28,2%) apresentaram co-infecções parasitárias. Ovos de helmintos foram observados em 48,7% dos gatos (19/30), 16 felinos (41%) foram positivos para parvovírus ou coronavírus e 25,6% (10/30) estavam infectados por protozoários. Dos positivos para protozoários, cinco apresentaram Tritrichomonas foetus (12,82%), um organismo pouco relatado no Brasil, sendo este o primeiro relato de detecção deste protozoário através de PCR em fezes de gatos no Sul do Brasil e o segundo no país. A diarreia crônica em gatos pode ser multifatorial em animais de abrigo onde a densidade populacional é elevada e os meios de controle parasitário e viral são deficitários, além das condições de higiene precárias. Os fatores associados à proliferação de doenças infecciosas em abrigos promovem o surgimento de infecções por novos patógenos como o Tritrichomonas foetus, até então pouco relatado no Brasil.


#7 - Campylobacter jejuni and Campylobacter coli originated from chicken carcasses modulate their transcriptome to translate virulence genes in human cells

Abstract in English:

The aim was to determine the spread of genetically similar profiles of Campylobacter in chicken carcasses and evaluate their ability to produce transcripts for ciaB, dnaJ, p19 and sodB genes, before and after cultivation in Caco-2 cells. The strains used were isolated from 420 samples of chicken carcasses chilled and frozen ready for marketing. The species were identified by PCR-multiplex, the phylogeny was determined by RAPD-PCR and the presence of transcripts was performed by RT-PCR. We identified 74 (17.6%) of Campylobacter strains, being 55 (74.3%) C. jejuni and 19 (25.7%) C. coli. The phylogenetic relationship demonstrated heterogeneity between isolates of the same species, with absence of clones, indicating the high level of diversity of circulating genotypes. The gene transcription showed conflicting results before and after the culture in Caco-2 cell, so that before cultivation isolates showed greater capacity to transcribe genes related to survival and after the interaction with human cells, the strains showed higher potential to transcribe genes associated with virulence. The result of this study contributes to the understanding of how these seemingly fragile microorganisms are the most prevalent bacterial agents in human gastroenteritis.

Abstract in Portuguese:

O objetivo foi determinar a disseminação de perfis geneticamente semelhantes de Campylobacter em carcaças de frango e avaliar sua capacidade de produzir transcritos para os genes ciaB, dnaJ, p19 e sodB, antes e após o cultivo em células Caco-2. As cepas utilizadas foram isoladas de 420 amostras de carcaças de frango resfriadas e congeladas prontas para comercialização. As espécies foram identificadas por PCR-multiplex, a filogenia foi determinada por RAPD-PCR e a presença de transcritos foi realizada por RT-PCR. Identificamos 74 (17,6%) das cepas de Campylobacter, sendo 55 (74,3%) C. jejuni e 19 (25,7%) C. coli. A relação filogenética demonstrou heterogeneidade entre isolados da mesma espécie, com ausência de clones, indicando o alto nível de diversidade dos genótipos circulantes. A transcrição gênica mostrou resultados conflitantes antes e após a cultura em células Caco-2, de modo que, antes do cultivo, os isolados apresentaram maior capacidade de transcrever genes relacionados à sobrevivência e após a interação com células humanas, as linhagens apresentaram maior potencial para transcrever genes associados à virulência. O resultado deste estudo contribui para a compreensão de como esses microrganismos aparentemente frágeis são os agentes bacterianos mais prevalentes na gastroenterite humana.


#8 - Canine monocytic ehrlichiosis in Buenos Aires, Argentina: comparison of serological and molecular assays

Abstract in English:

Canine monocytic ehrlichiosis (CME) is an infectious disease caused by the bacterium Ehrlichia canis and transmitted by Rhipicephalus sanguineus sensu lato, a tick with worldwide distribution. When not diagnosed and treated early, disease can be severe. Currently, the disease is confirmed by serological or molecular assays. The objective of this study was to compare a serological assay based on immunochromatography (SPEED EHRLI immunochromatographic test; BVT, France) and a molecular assay (a screening PCR followed by a nested PCR specific for E. canis) for the diagnosis of E. canis in suspected dogs from Buenos Aires city and southern Greater Buenos Aires, Argentina. Blood samples from 20 clinically healthy dogs (Control Group) and from 80 sick dogs suspected of having CME (Groups 1 to 4) were tested in parallel. Neither the immunochromatographic test nor the PCR assay was able to detect the presence of E. canis in the Control Group. In the group which had been previously tested by serology, the agreement between the tests was low (kappa: 0.200), whereas in the group which had been previously tested by PCR, the concordance between the tests was adequate (kappa: 0.650). The concordance between the tests evaluated in the total population studied was moderate (kappa: 0.496). The results of our study suggest that the use of rapid serological tests as a first approach, together with subsequent confirmation by PCR, will improve the diagnosis of CME.

Abstract in Portuguese:

A ehrlichiose monocítica canina (CME) é uma doença infecciosa transmitida pelo carrapato Rhipicephalus sanguineus sensu lato com distribuição mundial causada por Ehrlichia canis, que pode produzir uma doença grave se não foi diagnosticada e tratada precocemente. A confirmação da doença é feita diretamente pela detecção do DNA fazendo a reação em cadeia da polimerase (PCR) ou indiretamente por métodos sorológicos. O objetivo deste estudo foi comparar o método sorológico baseado na imunocromatografia e a técnica de PCR para o diagnóstico de E. canis em cães suspeitos da Cidade de Buenos Aires e da região sul da Grande Buenos Aires. As amostras de sangue de 20 cães clinicamente saudáveis ​​(Grupo Controle) e de 80 cães com suspeita clínica de CME (Grupo 1-4) foram avaliadas em paralelo. O diagnóstico serológico foi feito pelo teste imunocromatográfico SPEED EHRLI (BVT, França). Para a detecção molecular, foi utilizada uma PCR de triagem para amplificar um fragmento de 345 pb do gene que codifica a subunidade 16S do rRNA da família Anaplasmataceae. As amostras positivas depois foram processadas pela PCR aninhada específica para E. canis. No Grupo Controle, a presença de E. canis não foi detectada por PCR ou anticorpos específicos com o teste imunocromatográfico. No grupo em que a sorologia foi solicitada inicialmente (1 e 2), a concordância entre os testes foi baixo (kappa: 0,200) enquanto que no grupo onde o teste inicialmente solicitado foi a PCR, a concordância entre os testes era adequado (kappa: 0,650). A concordância entre os testes avaliados na população total estudada foi moderada (kappa: 0,496). Em conclusão, os resultados do nosso estudo sugerem que o uso de testes serológicos rápidos inicialmente, juntamente com a confirmação subsequente por PCR, permitirá melhorar o diagnóstico de CME.


#9 - B-mode ultrasonography and gray scale histogram for evaluation of the nuchal ligament in Quarter horse

Abstract in English:

The gray scale histogram (GSH) makes it possible to measure the amount and distribution of gray shade frequencies, providing quantitative information on both echogenicity and echotexture of tissues. There is a need to diminish the subjectivity of the ultrasound images of the nuchal ligament (NL). This work proposes to evaluate the NL by ultrasound B-mode GSH images in different ages of Quarter horses. It used 15 healthy Quarter horses, which were classified by age into three different groups: “baby” (1), “sobreano” (2) and “adult” (3). The animals were submitted to chemical restraint for the ultrasound examination. Subsequently, the GSH tool was used in each image for statistical analysis. There was a significant difference between Mean and Mode between groups. Group 1 differed significantly when compared to Group 2 and 3. Group 2 presented superior echogenicity to Group 1 and 3. The height of the NL did not vary considerably between groups. GSH indicated that the echogenicity of NL in Quarter horses varies with age.

Abstract in Portuguese:

O histograma em escala de cinza (HEC) possibilita a mensuração da quantidade e distribuição da frequência de tonalidades de cinza, fornecendo informações quantitativas, tanto sobre a ecogenicidade quanto a ecotextura dos tecidos. Havendo a necessidade de diminuir a subjetividade das imagens ultrassonográficas do ligamento nucal (LN), esse trabalho propôs avaliar o LN por imagens ultrassonograficas modo-B pelo HEC em diferentes idades de cavalos da raça Quarto de Milha. Utilizou 15 cavalos da raça Quarto de Milha saudáveis os quais foram classificados por idade em três grupos diferentes: “baby” (1), “sobreano” (2) e “adulto” (3). Os animais foram submetidos a contenção química para a realização do exame ultrassonográfico. Posteriormente, a ferramenta HEC foi empregada em cada imagem para análise estatística. Houve diferença significativa entre as variáveis “Mean” e “Mode” entre os grupos. O Grupo 1 diferenciou significativamente quando comparado ao Grupo 2 e 3. O Grupo 2 apresentou ecogenicidade superior ao Grupo 1 e 3. Quanto à altura do LN não teve variação considerável entre os grupos. O HEC indicou que a ecogenicidade do LN em cavalos Quarto de Milha varia conforme a idade.


#10 - Lesions in 224 spleens of splenectomized dogs and evalution of alternative techniques for previous microscopic diagnosis

Abstract in English:

When detecting a proliferative splenic lesion, veterinarians usually choose splenectomy before a conclusive diagnosis, which can provide a deleterious effect to the dog. The most appropriate would be to perform splenectomy as a therapeutic procedure only in cases with real surgical indication, which can be established after defining microscopic diagnosis and prognosis. The objectives of this study were: to determine the frequency of different types of lesions in spleens of splenectomized dogs in the period of 12 years (2006-2017); determine the representativity of neoplastic lesions (benign and malignant) and non-neoplastic lesions; to evaluate and compare the safety and efficiency of fine needle aspiration biopsy (FNA) and ultrasound-guided Tru-cut needle biopsy for cytological and histopathological diagnosis, respectively, of splenic nodular lesions. In the studied period 224 cases of lesions were found in splenectomized spleens. The frequency of non-neoplastic lesions (50,45%, 113/224) and neoplastic lesions (49,55%, 111/224) was very similar. Among the neoplastic lesions, the malignant ones were more frequent (79,27%, 88/111), and the hemangiosarcoma was the most common (52,25%, 58/111). The possibility of malignant neoplasm was about 74% greater than a benign one. In summary, it was verified that 60.71% (136/224) of the cases corresponded to benign lesions without indication to splenectomy. FNA techniques and Tru‑cut biopsy showed a low risk of complications. Regarding the diagnostic efficacy, the FNA obtained 71.43% (15/21) of conclusive diagnoses, 60% (9/15) of which were compatible with the final result of the histopathological evaluation, after splenectomy (gold standard). The Tru-cut biopsy obtained 71.43% (5/7) of conclusive diagnoses and 28.57% (2/7) of inconclusive diagnoses. Among the conclusive one, in 100% of the cases the diagnosis was compatible with the gold standard. Thus, since the possibility of benign splenic lesions in dogs is 1.52 times greater than malignancies, splenectomy should be recommended as a therapeutic procedure only in cases with proven surgical indication, which can be established after definition of microscopic diagnosis and prognosis. The use of FNA and Tru-cut biopsy should be recommended, especially for small and focal splenic lesions, since such techniques are good alternatives for establishing diagnosis previously to splenectomy, which may reduce the number of unnecessary splenectomies. The importance of recommending such techniques is emphasized, especially for dogs with focal splenic lesions smaller than three centimeters.

Abstract in Portuguese:

Rotineiramente, frente à detecção de uma lesão proliferativa esplênica, médicos veterinários costumam optar pela esplenectomia antes de se obter o diagnóstico definitivo da lesão esplênica, o que pode trazer consequências deletérias ao cão. O mais apropriado seria, contudo, a sua adoção, como medida terapêutica, apenas nos casos com comprovada indicação cirúrgica, o que pode ser estabelecido após o diagnóstico microscópico e prognóstico definidos. Os objetivos desse estudo foram: determinar a frequência dos diferentes tipos de lesão em baços de cães esplenectomizados no período de 12 anos (2006-2017); determinar a representatividade das lesões neoplásicas (benignas e malignas) e não neoplásicas; avaliar e comparar a segurança e a eficiência da punção aspirativa por agulha fina (PAAF) e da biópsia por agulha Tru-cut guiadas por ultrassom para o diagnóstico citológico e histopatológico, respectivamente, de lesões nodulares esplênicas. No período estudado foram encontrados 224 casos de lesões em baços esplenectomizados. A frequência de lesões não neoplásicas (50,45%, 113/224) e neoplásicas (49,55%, 111/224) esplênicas foi muito semelhante. Entre as neoplásicas, as de caráter maligno foram mais frequentes (79,27%, 88/111) e o hemangiossarcoma o mais comum (52,25%, 58/111). A possibilidade de ocorrência de uma neoplasia maligna foi cerca de 74% maior do que uma benigna. Em suma, verificou-se que em 60,71% (136/224) dos casos estudados, tratava-se de lesões benignas que não teriam indicação de esplenectomia. As técnicas de PAAF e a biópsia por agulha Tru-cut demonstraram ter baixo risco de complicações. Quanto à eficácia diagnóstica, pela PAAF obteve-se 71,43% (15/21) de diagnósticos conclusivos, sendo 60% (9/15) desses compatíveis com o resultado final realizado pela avaliação histopatológica, após a esplenectomia (padrão ouro). Já a biópsia por Tru-cut obteve 71,43% (5/7) de diagnósticos conclusivos e 28,57% (2/7) de inconclusivos. Dentre os conclusivos, em 100% dos casos o diagnóstico foi compatível com o padrão ouro. Desta maneira, visto a possibilidade de ocorrência de lesões esplênicas benignas em cães serem 1,52 vezes maior do que as malignas deve ser recomentado a adoção de esplenectomia, como medida terapêutica, apenas nos casos com comprovada indicação cirúrgica, o que pode ser estabelecido após o diagnóstico microscópico e prognóstico definidos. O uso da PAAF e da biópsia por Tru-cut deve ser recomentado, sobretudo, para lesões esplênicas pequenas e focais, uma vez que tais técnicas representam boas alternativas para o estabelecimento do diagnóstico prévio a esplenectomia, o que pode reduzir o número de esplenectomias desnecessárias. Enfatiza-se a importância da recomendação de tais técnicas, sobretudo para cães com lesões esplênicas focais menores do que três centímetros


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV