Resultado da pesquisa (27)

Termo utilizado na pesquisa outbreaks

#1 - Evaluation of actions of the official veterinary service to mitigate outbreaks of infectious laryngotracheitis and improve biosecurity on laying hen farms

Abstract in English:

Infectious laryngotracheitis (ILT), caused by an Alphaherpesvirus (Gallid herpesvirus-1; GaHV-1), has been noticed in the region of the Terras Altas da Mantiqueira, Minas Gerais. From 2010 to 2018, the “Serviço Veterinário Oficial” (SVO) of the “Instituto Mineiro Agropecuário” (IMA), implemented measures to prevent spread of the virus to other regions and control the disease in the area. Due to the close proximity and consequent epidemiological link among farms, the region was considered a unique epidemiological unit. To check the efficiency of the ILT control measures, we carried out: (1) a seroepidemiological survey, (2) questionnaires for evaluating biosecurity measures; and (3) an evaluation of the influence of farm population density on the occurrence of ILT. In 2016, 2017, and 2018, ILT was investigated using epidemiological and clinicopathological methods, along with GaHV-1 molecular detection. Serological survey was carried out on 24 farms in the quarantined region and on 13 farms from other regions of the state. In 2010 and 2018, questionnaires were applied to collect data and determine indicators of biosecurity practices in all farms of the quarantined area. The differences were then assessed (Wilcoxon’s p<0.05). The results indicated positive serology throughout the region, although only on four farms (16.6%) the chickens have clinical signs, macroscopic and histological lesions of ILT. The prevalence of viral infection increased from 2016 (27%) to 2017 (50%) and was higher in farms with a high stock density (p=0.033). No disease, virus or antibodies were detected in the farms outside of the quarantined area. Although the biosecurity indicators had improved on all farms in the quarantined area (p<0.05), the virus was active and circulating in the region. The contingency measures have contained the outbreak, but biosecurity practices are paramount in the control of new outbreaks. Official control will be maintained in the region, including surveillance of new cases and biosecurity procedures to mitigate the risk of the virus reaching other regions.

Abstract in Portuguese:

Laringotraqueíte infecciosa (LTI), causada por um alfaherpesvírus (herpesvírus Gallid-1; GaHV-1), foi observada na região das Terras Altas da Mantiqueira, Minas Gerais. De 2010 a 2018, o Serviço Veterinário Oficial (SVO) do Instituto Mineiro Agropecuário (IMA) implementou medidas para impedir a disseminação do vírus para outras regiões do estado e controlar a doença na região interditada. Devido à proximidade e consequente vínculo epidemiológico entre as granjas, a região foi considerada uma unidade epidemiológica única. Para verificar a eficiência das medidas de controle de LTI, foram realizados: (1) pesquisa soroepidemiológica, (2) questionários para avaliar medidas de biosseguridade; e (3) avaliação da influência da densidade populacional da granja na ocorrência de LTI. Em 2016, 2017 e 2018, a LTI foi investigada usando métodos epidemiológicos e clínico-patológicos, com a detecção molecular de GaHV-1. O levantamento sorológico foi realizado em 24 granjas da região interditada e em 13 granjas de outras regiões do estado. Em 2010 e 2018, foram aplicados questionários para coletar dados e determinar indicadores de medidas de biosseguridade em todas as granjas da área interditada. As diferenças foram avaliadas (p<0,05 de Wilcoxon). Os resultados indicaram sorologia positiva em toda a região, embora apenas em quatro granjas (16,6%) as galinhas apresentaram sinais clínicos, lesões macroscópicas e histológicas da LTI. A prevalência de infecção viral aumentou de 2016 (27%) para 2017 (50%) e foi maior em fazendas com alta densidade de alojamento (p=0,033). Presença da doença, vírus ou anticorpos foram detectados nas granjas fora da área interditada. Embora os indicadores de biosseguridade tenham melhorado em todas as fazendas da área interditada (p<0,05), o vírus está ativo e circulava na região. As medidas de contingência contiveram o surto, mas as práticas de biosseguridade são fundamentais para o controle de novos surtos. O controle oficial será mantido na região, incluindo a vigilância de novos casos e procedimentos de biosseguridade para mitigar o risco de transmissão do vírus para outras regiões.


#2 - Enzootic calcinosis in sheep in Uruguay: a brief review and report of two outbreaks

Abstract in English:

This study aimed to do a brief review of enzootic calcinosis in sheep and to report two outbreaks of Nierembergia rivularis poisoning in sheep in Uruguay. The outbreaks occurred in farms located on an island (Outbreak A) and on the border (Outbreak B) of the Rincón del Bonete lake. Sheep of all ages were affected, with the exception of suckling lambs. The first clinical signs occurred in early October, and deaths occurred from December to February. Outbreaks A and B had morbidity of 10%, and the mortality was 7.2% and 2.8% in Outbreaks A and B, respectively. The clinical signs included weight loss, retracted abdomen, stiff gait, and kyphosis. An autopsy was performed on one sheep from each outbreak. Pulmonary and arterial calcification, nephrocalcinosis, and osteopetrosis were observed in gross and microscopic examination in both sheep. Thyroid C-cell hyperplasia and carcinoma was observed in sheep A. Sheep B showed thyroid C-cell hyperplasia and parathyroid chief cell atrophy. The parathyroid was not examined in the sheep from Outbreak A. The differential diagnosis of enzootic calcinosis in southern South America should consider four toxic plants in the Solanaceae family: Solanum glaucophyllum, Solanum stuckertii, Nierembergia veitchii, and Nierembergia rivularis.

Abstract in Portuguese:

Este trabalho faz uma breve revisão da calcinose enzoótica em ovinos e descreve dois surtos de intoxicação por Nierembergia rivularis em ovinos no Uruguai. Os surtos ocorreram em propriedades localizadas em uma ilha (Surto A), e nas margens (Surto B) do lago do Rincón del Bonete. Foram afetados ovinos de todas as idades, exceto cordeiros lactentes. Os primeiros sinais clínicos ocorreram no início de outubro e as mortes de dezembro a fevereiro. Morbidade de 10% foi observada nos Surtos A e B. A mortalidade foi de 7,2% e 2,8% nos Surtos A e B, respectivamente. Os sinais clínicos incluíram perda de peso, abdômen retraído, marcha rígida e cifose. Foram necropsiados um animal de cada rebanho. Observou-se mineralização arterial e pulmonar, nefrocalcinose e osteopetrose no exame macroscópico e histológico dos dois ovinos. Hiperplasia e carcinoma de células C da tireoide foram observados no ovino A. O ovino B apresentou hiperplasia de células C da tireoide e atrofia das células principais da paratireoide. As paratireoides do ovino A não foram examinadas. O diagnóstico diferencial da calcinose enzoótica no Sul da América do Sul deve considerar quatro plantas calcinogênicas da família Solanaceae: Solanum glaucophyllum, Solanum stuckertii, Nierembergia veitchii e Nierembergia rivularis.


#3 - Outbreaks of nutritional cardiomyopathy in pigs in Brazil

Abstract in English:

Dilated cardiomyopathy (DCM) is a condition that affects the myocardium, seldom reported in pigs. The DCM is characterized by ventricular dilation, which results in systolic and secondary diastolic dysfunction and can lead to arrhythmia and fatal congestive heart failure. This study described the clinical, pathological, chemical and toxicological findings of nutritional dilated cardiomyopathy (DCM) in nursery pigs through natural and experimental studies. Naturally occurring cases of DCM in three swine farms were investigated through necropsy (fourteen pigs), microscopic, virological, chemical and toxicological exams for the detection of the etiology. The experimental study was conducted with nine 40 days-old piglets, which were divided into three groups of three piglets each. Group 1 was fed with the suspected diet of the naturally occurring cases, Group 2 with half of the suspected diet and half of a control diet, and Group 3 received only the control diet. Clinical signs were recorded. All pigs were submitted of euthanized, necropsie and collection sample for laboratories exams, after 15 days of experiment onset. At the necropsy, all naturally occurring cases had bilateral cardiac dilatation associated to hepatic enhanced lobular pattern (nutmeg liver) and lungs edema. Microscopically, the heart revealed severe hypertrophy and vacuolization of cardiomyocytes, as well as myofiber disarray. Feed analysis revealed low-quality standard soybean meal. After the suspected feed was replaced, clinically ill pigs recovered, and mortality ceased. At the experimental study, two piglets from Group 1 had cough, dyspnea and diarrhea. At the necropsy, these animals had similar gross and microscopic lesions to the natural cases. The nutritional DCM in pigs may be associated to the diet with low-quality soybean meal, as it was further confirmed through an experimental study.

Abstract in Portuguese:

Cardiomiopatia dilatada (CMD) é uma condição que afeta o miocárdio, raramente relatada em porcos. A DCM é caracterizada por dilatação ventricular, que resulta em disfunção sistólica e disfunção diastólica secundária e pode levar a arritmias e insuficiência cardíaca congestiva fatal. Este estudo descreve os achados clínicos, patológicos, químicos e toxicológicos da CMD em suínos de creche através de estudos naturais e experimentais. Investigaram-se três granjas com surtos de mortalidade por CMD através de exames de necropsia (catorze suínos), microscópicos, virológicos, químicos e toxicológicos para a detecção da etiologia. O estudo experimental foi conduzido com nove leitões de 40 dias de idade, divididos em três grupos de três leitões cada. O grupo 1 foi alimentado com a dieta suspeita dos casos naturais; o 2 com metade da dieta suspeita e metade de dieta controle; e o 3 recebeu apenas a dieta controle. Sinais clínicos foram registrados. Todos os suínos foram submetidos a eutanásia, necropsia para a coleta de amostras para exames laboratoriais após 15 dias do início do experimento. Na necropsia, todos os leitões dos casos naturais apresentavam dilatação cardíaca bilateral associada a padrão lobular hepático aumentado (fígado de noz-moscada) e edema pulmonar. Microscopicamente, o coração revelou hipertrofia severa e vacuolização de cardiomiócitos, bem como desordem de miofibras. A análise da ração demonstrou que o farelo de soja apresentava baixa solubilidade o que indica baixa qualidade. Após a substituição da ração suspeita, os porcos clinicamente doentes recuperaram e a mortalidade cessou. No estudo experimental, dois leitões do grupo 1 apresentaram tosse, dispneia e diarreia. Na necropsia, esses animais apresentavam lesões macroscópicas e macroscópicas similar aos casos naturais. A CMD nutricional em suínos pode estar associado à dieta com farelo de soja de baixa qualidade, como foi confirmado através de um estudo experimental.


#4 - Outbreaks of photosensitization and allergic dermatitis in ruminants and equidae in northeastern Brazil

Abstract in English:

The study was conducted to determine the causes of photosensitization in ruminants and equidae in northeastern Brazil through a review of the files at the Laboratório de Patologia Veterinária of Universidade Federal da Paraíba. During four years of the study 22 outbreaks of photosensitization were diagnosed, including 11 outbreaks of primary photosensitization and eight outbreaks of hepatogenous photosensitization. Poisoning by Froelichia humboldtiana was the main cause of photosensitization, and the only cause of primary photosensitization. The most severely affected animals by primary photosensitization are donkeys, goats, cattle and sheep, but horses and mules may also be affected. Poisoning by Brachiaria decumbens was the main cause of hepatogenous photosensitization, and affected only sheep and cattle. Other plants associated with hepatogenous photosensitization in cattle include Enterolobium contortisiliquum and Lantana camara. Allergic dermatitis was diagnosed in two flocks of sheep and in a horse. The animals had chronic lesions characterized by areas of alopecia, crusts and hyperpigmentation on the head, around the eyes (sheep) and at the legs (horse). Itching was the main clinical sign in cases of primary photosensitization and insect hypersensitivity.

Abstract in Portuguese:

O presente estudo foi conduzido com o objetivo de determinar as causas de fotossensibilização em ruminantes e equídeos no Nordeste do Brasil, através da revisão dos laudos de exames arquivados no Laboratório de Patologia Veterinária da Universidade Federal da Paraíba. Durante os quatro anos do estudo foram diagnosticados 22 surtos de fotossensibilização, incluindo 11 surtos de fotossensibilização primária e oito surtos de fotossensibilização hepatógena. A intoxicação por Froelichia humboldtiana foi a principal causa de fotossensibilização e a única causa de fotossensibilização primária. As espécies mais gravemente afetadas por fotossensibilização primária foram os asininos, caprinos, bovinos e ovinos, mas os equinos e mulas também são afetados. A intoxicação por Brachiaria decumbens foi a principal causa de fotossensibilização hepatógena e afetou apenas os ovinos e bovinos. Outras plantas associadas com fotossensibilização hepatógena incluíram Enterolobium contortisiliquum e Lantana camara. Dermatite alérgica foi diagnosticada em dois rebanhos ovinos e em um cavalo. Os animais tinham lesões crônicas, caracterizadas por alopecia, crostas e hiperpigmentação no topo da cabeça, ao redor dos olhos (ovinos) e nos membros (equino). O prurido foi o principal sinal clínico observado nos casos de fotossensibilização primária e hipersensibilidade à picada de insetos.


#5 - Consecutive outbreaks caused by Eimeria zuernii in calves on a rural property located in the municipality of São João da Boa Vista, State of São Paulo, Brazil

Abstract in English:

We report consecutive outbreaks (August 2015 and 2016) of disease caused by Eimeria zuernii in Canchim and Nelore calves about 45 days of age on a rural property in the municipality of São João da Boa Vista, state of São Paulo, Brazil. The first outbreak infected 78 calves (32 Nelore and 46 Canchim) between 35 and 55 days of age. The second outbreak infected 66 calves (36 Nelore and 47 Canchim) between 30 and 45 days of age. Some calves had bloody diarrhea and were dehydrated. Feces were collected from all animals (cows and calves) for coproparasitological examination and quantification of parasite eggs and oocysts per gram. The consecutive outbreaks in the 30 to 55 day-old calves occurred during the dry season (August). These outbreaks were caused by a high degree of infection by E. zuernii. Clinical signs (bloody diarrhea) and mortality of the calves triggered by eimeriosis/dehydration occurred in 8.3 and 1.4% of the herd in 2015 and 2016, respectively. These results highlight the importance of conducting field studies to better understand the parasitic dynamics of E. zuernii in calves younger than three months. Identifying the sources of infection, such as the water ingested by the animals, is also necessary, so that practical husbanddry can be recommended and adopted by the producers, to reduce the damage caused by outbreaks of Eimeria spp. in cattle herds.

Abstract in Portuguese:

O presente trabalho tem como objetivo relatar surtos consecutivos (Agosto de 2015 e 2016) ocasionado por Eimeria zuernii em bezerros de corte, Canchim e Nelore, com aproximadamente 45 dias de vida, em uma propriedade rural localizada no município de São João da Boa Vista, estado de São Paulo. O primeiro surto foi diagnosticado em um lote composto por 78 bezerros, entre 35 e 55 dias de idade. Dos 78 bezerros, 32 eram Nelore e os outros 46 Canchim. Já o segundo, ocorreu em um novo lote de 66 bezerros (sendo 36 Nelore e 47 Canchim), com idade entre 30 e 45 dias. Alguns animais apresentaram diarreia sanguinolenta e desidratação. Colheitas de fezes de todos os animais (vacas e bezerros) foram realizadas para realização de exame coproparasitológico e quantificação de ovos e oocistos por grama (OPG e OoPG) de fezes de parasitos. Com base nos resultados encontrados neste estudo, é possível afirmar que os surtos consecutivos em bezerros de corte entre 30 e 55 dias de idade, na época seca do ano (agosto), foram desencadeados pelo elevado grau de infecção destes animais por E. zuernii. Analisando os dois anos em que os surtos ocorreram, a presença de sinais clínicos (diarreia sanguinolenta) e a mortalidade de bezerros desencadeada pela eimeriose/desidratação, aconteceram em 8,3% 1,4% do rebanho, respectivamente. Estes resultados destacam a importância em se realizar pesquisas de campo, com o objetivo de se melhor entender a dinâmica de parasitismo de E. zuernii e E. bovis em bezerros com idade inferior a três meses, em função dos motivos já discutidos neste estudo. Além disso, é necessário que se investigue as possíveis fontes de infecção, como a água ingerida pelos animais, para que condutas práticas possam ser adotadas/recomendadas aos proprietários, diminuindo desta maneira os prejuízos ocasionados por surtos de Eimeria spp em rebanhos bovinos.


#6 - Clinical, pathological and epidemiological aspects of outbreaks of bluetongue disease in sheep in the central region of Rio Grande do Sul, 37(12):1443-1452

Abstract in English:

ABSTRACT.- Bianchi R.M., Panziera W., Faccin T.C., Almeida G.L., Cargnelutti J.F., Flores E.F., Kommers G.D. & Fighera R.A. 2017. Clinical, pathological and epidemiological aspects of outbreaks of bluetongue disease in sheep in the central region of Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(12):1443-1452. Departamento de Patologia, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima 1000, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: romichelbianchi@yahoo.com.br This article describes the clinical, pathological and epidemiological aspects of 17 outbreaks of bluetongue (BT) disease in sheep occurring between December 2014 and July 2015 in the central region of Rio Grande do Sul state (RS), southern Brazil. Affected farms were visited for clinical examination, necropsy, sample collection and epidemiological investigation. The outbreaks were seasonal and occurred during the summer and autumn. A total of 180 sheep (20.4%) out of 884 in 17 small herds were affected. All ages of Texel and mixed breed sheep were affected. However, lambs (younger than one year) had higher morbidity than adult sheep. The most frequent clinical signs were anorexia, lethargy, loss of body condition, facial swelling mainly involving the lips, and greenish seromucous or mucous nasal discharge. Pulmonary lesions characterized by edema were the most prevalent findings; however, erosive and ulcerative lesions in the upper gastrointestinal tract, as well as cardiac, skeletal muscle and esophageal striated muscle necrosis, and hemorrhage in the pulmonary artery were also frequent. The bluetongue virus (BTV) genome was detected by RT-PCR in blood and tissue samples (spleen and lungs) of 21 animals from 17 outbreaks. The virus involved in the outbreak 3 was subsequently isolated and shown to belong to serotype 17, for the first time reported in Brazil. In summary, our data support the BTV genotype 17 as the etiological agent of the outbreaks and indicate that the central region of RS is an area at risk for BT in sheep, a disease previously not recognized in the region.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Bianchi R.M., Panziera W., Faccin T.C., Almeida G.L., Cargnelutti J.F., Flores E.F., Kommers G.D. & Fighera R.A. 2017. Clinical, pathological and epidemiological aspects of outbreaks of bluetongue disease in sheep in the central region of Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(12):1443-1452. Departamento de Patologia, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima 1000, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: romichelbianchi@yahoo.com.br O objetivo deste artigo é descrever os aspectos epidemiológicos, clínicos e anatomopatológicos de 17 surtos de língua azul (BT) em ovinos, que ocorreram entre dezembro de 2014 a julho de 2015, na Região Central do Rio Grande do Sul, Brasil. Para isso, foram realizadas visitas as propriedades nas quais ocorreram surtos da doença para investigação epidemiológica e clínica, realização de necropsias e coleta de amostras. Os surtos foram sazonais e ocorreram durante o verão e outono. Em 17 pequenos rebanhos, de um total de 884 ovinos, 180 adoeceram (20,4%). Ovinos de todas as faixas etárias, da raça Texel e sem raça definida, foram acometidos. Entretanto, ovinos com menos de um ano de idade tiveram taxa de morbidade maior do que ovinos com um ano ou mais. Os sinais clínicos mais frequentes caracterizaram-se por anorexia, apatia, acentuada perda de peso, edema facial, envolvendo principalmente os lábios, e secreção nasal seromucosa ou muco-esverdeada. Lesões pulmonares, caracterizadas por edema, foram as mais prevalentes. Porém, lesões erosivas e ulcerativas no trato gastrointestinal superior, assim como necrose da musculatura cardíaca e esquelética e do músculo estriado do esôfago e hemorragia na artéria pulmonar foram frequentes. O genoma do BTV foi detectado por RT-PCR em amostras de sangue e tecidos (baço e pulmão) de 21 animais de 17 surtos. O vírus envolvido no surto 3 foi subsequentemente isolado e pertence ao sorotipo 17, que pela primeira vez é descrito no Brasil. Em síntese, nossos dados permitem concluir que o BTV é o agente causador dos surtos e indicam que a Região Central do RS é uma área de risco para a ocorrência de BT em ovinos, uma doença, até então, não reconhecida nessa região.


#7 - Type C waterborne botulism outbreaks in buffaloes (Bubalus bubalis) in the Amazon region, 37(7):697-700

Abstract in English:

ABSTRACT.- Salvarani F.M., Otaka D.Y., Oliveira C.M.C., Reis A.S.B., Perdigão H.H., Souza A.E.C., Brito M.F. & Barbosa J.D. 2017. Type C waterborne botulism outbreaks in buffaloes (Bubalus bubalis) in the Amazon region. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(7):697-700. Instituto de Medicina Veterinária, Universidade Federal do Pará, BR-316 Km 61, Saudade II, Cristo Redentor, Castanhal, PA 68740-970, Brazil. E-mail: felipems@ufpa.br Botulism is a poisoning caused by botulinum neurotoxins (BoNTs). BoNTs serotypes C and D are involved in botulism outbreaks in cattle in several countries. Despite the high number of buffaloes worldwide, the real impact of botulism in buffaloes is not known, because it is not a notifiable disease in Brazil and only few studies have evaluated the occurrence of the disease in buffaloes. Those studies did not conduct diagnostic tests to confirm the presence of BoNTs. The objective of the present study was to describe three outbreaks of botulism in buffaloes in the Brazilian Amazon region considering epidemiological and clinical data as well as laboratory diagnosis to confirm the presence of BoNTs. The results of the bioassay were negative in the tissues and in feed samples, but positive for BoNT C in water samples. Confirmation of the occurrence of botulism in buffaloes allows the implementation of preventive strategies in susceptible herds. Waterborne botulism in buffaloes is prevented by ensuring the constant circulation of water collections and restricting the presence of dead animals and bones in order to prevent the accumulation of organic matter and the development of anaerobic conditions, which might favor the replication of Clostridium botulinum. Another measure that can be adopted is the shading of the pasture, in order to maintain the thermal comfort for the buffaloes and to avoid the excess of permanence of them in the water pools.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Salvarani F.M., Otaka D.Y., Oliveira C.M.C., Reis A.S.B., Perdigão H.H., Souza A.E.C., Brito M.F. & Barbosa J.D. 2017. Type C waterborne botulism outbreaks in buffaloes (Bubalus bubalis) in the Amazon region. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(7):697-700. Instituto de Medicina Veterinária, Universidade Federal do Pará, BR-316 Km 61, Saudade II, Cristo Redentor, Castanhal, PA 68740-970, Brazil. E-mail: felipems@ufpa.br Botulismo é uma intoxicação causada por neurotoxinas botulínicas (BoNTs). Os sorotipos C e D de BoNTs estão envolvidos em surtos de botulismo em bovídeos em vários países. Apesar do elevado número de búfalos em todo o mundo, o real impacto do botulismo em búfalos não é conhecido; pois não é uma doença de notificação obrigatória no Brasil e poucos estudos avaliaram a incidência desta doença em búfalos. Além disso, estes estudos não realizaram testes diagnósticos para confirmar a presença de BoNTs. O objetivo do presente estudo foi descrever três surtos de botulismo em búfalos na região amazônica brasileira, considerando dados epidemiológicos e clínicos, bem como o diagnóstico laboratorial para confirmar a presença de BoNTs. Os resultados do bioensaio em camundongos foram negativos em todos os tecidos e nas amostras de alimentos testados; no entanto foram positivos para BoNT C nas amostras de água. A confirmação da ocorrência de botulismo em búfalos permite a implementação de estratégias preventivas nos rebanhos. O botulismo hídrico nos búfalos pode ser prevenido assegurando-se que coleções de água fossem mantidas limpas, sem a presença de animais mortos e ossadas no seu interior e não permitindo o acúmulo de matéria orgânica e condições de anaerobiose favoráveis à multiplicação de Clostridium. botulinum. Outra medida que pode ser adotada é o sombreamento das pastagens, a fim de manter o conforto térmico dos búfalos e assim evitar o excesso de sua permanência dentro das fontes de água.


#8 - Ulcerative dermatitis outbreaks caused by thorns of Mimosa setosa, M. debilis and M. pudica (Fabaceae) in horses, 36(10):979-985

Abstract in English:

ABSTRACT.- Caldas S.A., Cid G.C., Nogueira V.A., França T.N., Graça F.A.S. Dutra G.A., Jacob J.C.F. & Peixoto P.V. 2016. [Ulcerative dermatitis outbreaks caused by thorns of Mimosa setosa, M. debilis and M. pudica (Fabaceae) in horses.] Surtos de dermatite ulcerativa causados por espinhos de Mimosa setosa, M. debilis e M. pudica (Fabaceae) em equinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(10):979-985. Departamento de Epidemiologia e Saúde Pública, Anexo I do Instituto de Veterinária, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ 23890-000, Brazil. E-mail: vivianmedvet@yahoo.com.br Mechanic natural skin lesions in horses caused by thorns of Mimosa spp. are described. Between the three plant species identified as responsible for the lesions, Mimosa setosa was present in greater quantity (80%) in the pasture, whilst M. debilis and M. pudica existed in lower proportion. Three ulcerative dermatitis outbreaks were observed during rainy periods of April to May 2013, December 2013 to February 2014 and April to May of the same year. Twenty-five horses from the Sector of Animal Reproduction, Federal Rural University of Rio de Janeiro, showed ulcerative skin lesions with irregular borders, hemorrhagic exudate, sometimes covered with scabs, located mainly in the regions of the pastern, fetlock, scapular-humeral joints, upper and lower lips, nose, nostrils, cheeks and chamfer. Seven horses were biopsied and histopathological examination revealed ulceration of the skin with inflammatory infiltrate by macrophages and neutrophils, delimited by granulation tissue. In some cases, microspicules of these plants (hirsute trichomes) were found throughout the inflammatory reaction. The diagnosis of skin dermatitis, caused by traumatic action of the plants, was based on the presence of Mimosa spp. in the pasture, on the characteristic clinic-pathological features and on recovery of the horses after their removal from the pasture. This appears to be the first report of the occurrence of ulcerative dermatitis caused by Mimosa setosa, as dermatitis caused by the others has been described before.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Caldas S.A., Cid G.C., Nogueira V.A., França T.N., Graça F.A.S. Dutra G.A., Jacob J.C.F. & Peixoto P.V. 2016. [Ulcerative dermatitis outbreaks caused by thorns of Mimosa setosa, M. debilis and M. pudica (Fabaceae) in horses.] Surtos de dermatite ulcerativa causados por espinhos de Mimosa setosa, M. debilis e M. pudica (Fabaceae) em equinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(10):979-985. Departamento de Epidemiologia e Saúde Pública, Anexo I do Instituto de Veterinária, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ 23890-000, Brazil. E-mail: vivianmedvet@yahoo.com.br Descrevem-se, na pele de equídeos, lesões de natureza mecânico-traumática causadas por espinhos de Mimosa spp. Dentre as três espécies da planta identificadas como responsáveis pelas lesões, M. setosa estava presente em maior quantidade (80%) e M. debilis e M. pudica encontravam-se em menor proporção na pastagem. Ocorreram três surtos de dermatite ulcerativa em períodos chuvosos de abril a maio de 2013, dezembro de 2013 a fevereiro de 2014 e abril a maio deste mesmo ano. Vinte e cinco equinos do Setor de Reprodução Animal da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro apresentaram, na pele, lesões ulcerativas com contornos irregulares, exsudato hemorrágico, recobertas por crostas. As lesões localizavam-se sobretudo nas regiões de quartela, boleto, articulação escapulo-umeral, lábios superior e inferior, focinho, narinas, bochechas e chanfro. Sete animais foram biopsiados e o exame histopatológico revelou ulceração da epiderme e infiltrado inflamatório constituído por macrófagos e neutrófilos, delimitado por tecido de granulação subjacente. Em alguns casos, foram observados microespículos das referidas plantas (tricomas hirsutos) em meio à reação inflamatória. O diagnóstico de dermatite cutânea causada pela ação traumática da planta baseou-se na presença de Mimosa spp. na pastagem, nas características e localização das lesões na pele dos equinos, nos achados histopatológicos e na recuperação após a retirada dos animais do pasto.


#9 - Outbreaks of canid herpesvirus 1 disease in puppies in southern Brazil, 35(6):557-561

Abstract in English:

ABSTRACT.- Cargnelutti J.F., Masuda E.K., Neuls M.G., Weiblen R. & Flores E.F. 2015. Outbreaks of canid herpesvirus 1 disease in puppies in southern Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(6):557-561. Setor de Virologia, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima 1000, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: eduardofurtadoflores@gmail.com Canid herpesvirus 1 (CHV-1) is a widespread pathogen of dogs and produces infertility, abortions and severe systemic disease in young puppies. Clinical data indicate the circulation of CHV-1 among Brazilian dogs yet definitive diagnosis has rarely been accomplished. This article describes the clinicopathological findings of four independent cases/outbreaks of neonatal disease by CHV-1 in Bulldog puppies followed by virus identification and genetic characterization. Three events occurred in a kennel holding dogs of different breeds at reproductive age (March 2013, October 2013 and April 2014). Puppies from three French or English Bulldog litters, aging 9 to 30 days were affected, presenting dyspnea, agonic breathing, pale mucous, abdominal pain and tension, evolving to death within about 24 hours. At necropsy, the puppies presented necrohemorrhagic hepatitis, multifocal and moderate necrohemorrhagic nephritis and fibrinonecrotic interstitial pneumonia. Virus isolation was positive in clinical specimens from one litter and CHV-1 DNA was detected by PCR in tissues from all four cases. Virus-neutralizing assays with samples of the affected kennel revealed 9/12 adult animals with high antibody titers to CHV-1. Nucleotide sequencing of glycoprotein B, C and D genes revealed 99-100% of identity among the viruses and with CHV-1 sequences available in GenBank. Phylogenetic analyses of gC sequences showed a segregation of the samples, even among three isolates from the same kennel. These findings support CHV-1 infection as the cause of disease and death in these dog litters, reinforcing the need for correct etiologic diagnosis, prevention and immunization against CHV-1 in dogs from Southern Brazil.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Cargnelutti J.F., Masuda E.K., Neuls M.G., Weiblen R. & Flores E.F. 2015. Outbreaks of canid herpesvirus 1 disease in puppies in southern Brazil. [Surtos de doença por herpesvírus canino 1 em filhotes de cães no sul do Brasil.] Pesquisa Veterinária Brasileira 35(6):557-561. Setor de Virologia, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima 1000, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: eduardofurtadoflores@gmail.com O herpesvírus canino (CHV-1) é um patógeno de cães que possui distribuição mundial e que causa infertilidade, abortos e doença sistêmica severa em filhotes de cães. Achados clínicos tem indicado a circulação do CHV-1 em cães no Brasil, embora o diagnóstico definitivo seja raramente determinado. Este artigo descreve os achados clinicopatológicos de quatro casos/surtos independentes de morte neonatal de filhotes de cães da raça Bulldog causados pelo CHV-1, a identificação e a caracterização genética do vírus. Três eventos ocorreram no mesmo canil que abriga animais de diferentes raças em idade reprodutiva (março de 2013, outubro de 2013 e abril de 2014). Filhotes de três ninhadas de Bulldog Francês e/ou Inglês, com idade de 9 a 30 dias, foram afetados e apresentaram dispneia, respiração agônica, mucosas pálidas, dor e tensão abdominal, que evoluíram para morte dos cães dentro de, aproximadamente, 24 horas. Na necropsia foram observados hepatite necro-hemorrágica, nefrite necro-hemorrágica multifocal e moderada e pneumonia intersticial fibrinonecrótica. O isolamento viral foi positivo em amostras clínicas de um filhote e DNA de CHV-1 foi detectado por PCR em tecidos de filhotes de todos os surtos. Teste de soroneutralização com amostras de soro de cães provenientes do canil afetado revelaram que nove de 12 animais adultos possuíam altos títulos de anticorpos para o CHV-1. Sequenciamento de nucleotídeos do gene das glicoproteínas B, C e D revelaram 99-100% de identidade entre as amostras e com as sequências de CHV-1 disponíveis no GenBank. A análise filogenética baseada na sequência do gene da glicoproteína C mostrou uma segregação das amostras, mesmo entre os três isolados de vírus provenientes do mesmo canil. Esses achados demonstram que o CHV-1 é a causa da doença e da morte dos filhotes, reforçando a necessidade do correto diagnóstico etiológico e a implementação de medidas de prevenção e imunização contra o CHV-1 em cães no sul do Brasil.


#10 - Outbreaks of primary photosensitization in equidae caused by Froelichia humboldtiana, 34(12):1191-1195

Abstract in English:

ABSTRACT. Knupp S.N.R., Borburema C.C., Oliveira Neto T.S., Medeiros R., Knupp L.S., Riet-Correa F. & Lucena R.B. 2014. [Outbreaks of primary photosensitization in equidae caused by Froelichia humboldtiana.] Surtos de fotossensibilização primária em equídeos causados por Froelichia humboldtiana. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(12):1191-1195. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Campus de Patos, Av. Universitária s/n, Bairro Santa Cecília, Cx. Postal 61, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: sheilanribeiro@hotmail.com The study was conducted in order to report outbreaks of photosensitization caused by Froelichia humboldtiana in equidae in the state of Rio Grande do Norte, Brazil. Animals from three farms and donkeys found abandoned in roads were examined. Peripheral blood samples were collected from five donkeys and two horses for analysis of serum activities of liver enzymes and concentrations of total, direct and indirect bilirubin. Skin biopsies were collected from two donkeys and a horse for histopatological exams. Fifty donkeys, 18 horses and two mules were affected. Of the affected donkeys, 45 were raised on roadsides and 30 died due to myiasis and weakness. The animals had a history of presenting skin lesions of photodermatitis about one month after being grazing in areas invaded by F. humboldtiana and recovered 10-30 days after being removed from these areas. If the animals were reintroduced in the paddocks with F. humboldtiana, pruritus and self-mutilation returned in a week or two. Young and adults donkeys showed extensive ulcerated wounds, that drained abundant serous exudate. All these wounds resulted from trauma caused by secondary self-mutilation to intense itching. In addition, many wounds had myiasis. The horses and mules had lesions of photodermatitis only in the areas of depigmented skin, no ocular lesions were observed. Histopathology of skin biopsies revealed perivascular inflammation in the superficial dermis. The epidermis had extensive ulcers, covered by fibrin associated with neutrophilic infiltrate and numerous basophilic bacterial aggregates. The serum activities of AST, GGT and serum concentrations of bilirubin were within normal ranges. The diagnosis of primary photosensitization associated with ingestion of F. humboldtiana was based on the epidemiology, clinical signs, serum biochemistry, skin lesions, and the recurrence of lesions after the reintroduction of the animals into the pasture invaded by the plant. F. humboldtiana is an important cause of primary photosensitization in equidae in the Brazilian semiarid region, resulting in weakness and death of large numbers of animals, mainly donkeys that don’t receive proper treatment.

Abstract in Portuguese:

RESUMO. Knupp S.N.R., Borburema C.C., Oliveira Neto T.S., Medeiros R., Knupp L.S., Riet-Correa F. & Lucena R.B. 2014. [Outbreaks of primary photosensitization in equidae caused by Froelichia humboldtiana.] Surtos de fotossensibilização primária em equídeos causados por Froelichia humboldtiana. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(12):1191-1195. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Campus de Patos, Av. Universitária s/n, Bairro Santa Cecília, Cx. Postal 61, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: sheilanribeiro@hotmail.com O presente trabalho foi conduzido com o objetivo de relatar surtos de fotossensibilização causados por Froelichia humboldtiana em equídeos no Estado do Rio Grande do Norte, Brasil. Foram examinados animais de três propriedades rurais, além de asininos abandonados nas estradas. Procedeu-se a coleta de amostras de sangue periférico de cinco jumentos e dois equinos para análise das atividades das enzimas hepáticas e concentrações de bilirrubina total, direta e indireta. Das áreas de pele com lesões de dois jumentos e de um equino foram realizadas biópsias. Constatou-se que 50 asininos, 18 equinos e duas mulas foram acometidos. Dos asininos acometidos, 45 eram jumentos criados soltos em margens de estradas. Relatou-se a morte de 30 jumentos em decorrência de miíases e debilidade. Os animais tinham histórico de apresentarem lesões de fotodermatite aproximadamente um mês após pastarem em áreas invadidas por F. humboldtiana e recuperavam-se das lesões 10 a 30 dias após serem retirados dessas áreas. Porém, o quadro de prurido e automutilação retornava em uma ou duas semanas quando os equídeos eram reintroduzidos nessas áreas. Ao exame clínico de asininos jovens e adultos, foram observadas feridas extensas, ulceradas, que drenavam exsudato seroso abundante. Todas essas feridas decorriam de traumas causados por automutilação secundária ao intenso prurido. Além disso, muitas das feridas apresentavam miíase. Os equinos e as mulas apresentavam lesões de fotodermatite somente nas áreas de pele despigmentadas, não sendo observadas lesões oculares. A avaliação histopatológica de biópsias de pele revelou inflamação perivascular na derme superficial. Na epiderme havia extensas úlceras, recobertas por fibrina associada a infiltrado neutrofílico e numerosos agregados bacterianos basofílicos superficiais. As atividades séricas de AST, GGT e as concentrações de bilirrubina no soro estavam dentro dos valores de referência. O diagnóstico de fotossensibilização primária associada à ingestão de F. humboldtiana foi baseado na epidemiologia, sinais clínicos, bioquímica sérica, biópsia de pele e reocorrência das lesões após os animais serem reintroduzidos no pasto invadido pela planta. Conclui-se que a F. humboldtiana é uma importante causa de fotossensibilização primária em equídeos no semiárido brasileiro, resultando em quadro de debilidade e morte de grande número de animais, principalmente asininos que não recebem tratamento adequado.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV