Resultado da pesquisa (23)

Termo utilizado na pesquisa suplementação

#1 - Poisoning by Brachiaria spp. in various lamb breeds at increasing levels of supplementation during growth

Abstract in English:

The study evaluate the frequency of poisoning by Brachiaria spp. at the rearing, growth and termination stages in various lamb breeds at increasing supplementation levels. Forty‑five lambs were used in the growth phase in pastures of Brachiaria spp. with a history of having induced poisoning. The lambs were distributed in nutritional treatments: lambs receiving mineral supplementation (MS), energy/protein supplementation (EPS) at 0.8% of body weight (bw), EPS at 1.6% bw and EPS at 2.4% bw. The lambs were allotted two flocks (F1 and F2) of 21 and 24 lambs each. Clinical signs of poisoning were observed in all treatments. All MS lambs died. The frequency of poisoning were highest in the 0.8% EPS and 1.6% EPS treatments. All lambs in the 2.4% EPS treatment recovered. F1 lambs had a higher frequency of poisoning than F2 lambs regardless of nutritional treatment. Morbidity rates for the F1 and F2 lambs were 52.3 and 16.7%, respectively. Supplementation was not sufficient to decrease the frequency of poisoning in lambs at the termination stage, which was dependent on the genetic origin of the lambs. EPS of 2.4% bw treatment, was an efficient nutritional strategy to minimize the effects of poisoning in lambs fed on Brachiaria spp.

Abstract in Portuguese:

O objetivo deste estudo foi avaliar a frequência da intoxicação por Brachiaria spp. nas fases de recria, crescimento e terminação em várias raças de cordeiros em níveis crescentes de suplementação. Quarenta e cinco cordeiros foram utilizados na fase de crescimento em pastagens de Brachiaria spp. com história de intoxicação, distribuídos em diferentes tratamentos nutricionais: cordeiros recebendo suplementação mineral (SM), suplementação energética/protéica (SEP) a 0,8% do peso vivo (pv), SEP a 1,6% pv e SEP a 2,4% pv. Vinte e um cordeiros vieram do lote F1 e 24 cordeiros foram do lote F2. Sinais clínicos de intoxicação foram observados em todos os tratamentos. Todos os cordeiros com MS morreram. As frequências de intoxicação foram maiores nos tratamentos com 0,8% e 1,6% de SEP. Todos os cordeiros no tratamento com 2,4% de SEP se recuperaram. Cordeiros F1 apresentaram maior frequência de intoxicação que os cordeiros F2, independentemente do tratamento nutricional. As taxas de morbidade para os cordeiros F1 e F2 foram de 52,3 e 16,7%, respectivamente. A suplementação não foi suficiente para diminuir a freqüência de intoxicação em cordeiros na fase de terminação, dependente da origem genética dos cordeiros. O SEP de 2,4% pv, no entanto, foi eficiente para minimizar os efeitos da intoxicação em cordeiros alimentados com Brachiaria spp.


#2 - Iron supplementation for lambs experimentally infected by Haemonchus contortus: response to anemia and iron store in the bone marrow, 38(8):1543-1548

Abstract in English:

ABSTRACT.- Casanova V.P., Aires A.R., Collet S.G., Krause A., Moresco R.N., Bochi G.V., Silva A.S. & Leal M.L.R. 2018. Iron supplementation for lambs experimentally infected by Haemonchus contortus: response to anemia and iron store in the bone marrow. [Suplementação com ferro em cordeiros infectados experimentalmente por Haemonchus contortus: resposta a anemia e as reservas de ferro na medula óssea.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(8):1543-1548. Departamento de Grandes Animais, Universidade de Santa Maria, Avenida Roraima 1000, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: martalizandra@gmail.com To evaluate the effect of supplementation of iron dextran on blood variables and iron metabolism in lambs experimentally infected by Haemonchus contortus, four experimental groups were used: uninfected and non-supplemented animals (GI); infected animals supplemented with iron (GII); uninfected animals supplemented with iron (GIII); and infected non-supplemented animals (GIV). Groups II and IV received 10,000 larvae (L3) of Haemonchus contortus, and groups II and III received three doses of iron dextran (20mg/kg) intramuscularly with seven days of interval. Blood and faeces samples were collected on days 10 (D10), 17 (D17), 24 (D24), and 31 (D31), in order to determine red blood cell counts, iron metabolism, and EPG. Infected animals developed anemia from D24 and anemia was more severe on D31. Animals from GII had higher hematocrit and hemoglobin concentration compared to animals of GIV on D31. Iron stores in the bone marrow were higher in GII and GIII compared to GI and GIV. The GIV showed lower seric levels of iron on D24 compared to the other groups. The iron supplementation reduces the severity of the anemia caused by infection with Haemonchus contortus in lambs, improving erythropoietic response after blood loss.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Casanova V.P., Aires A.R., Collet S.G., Krause A., Moresco R.N., Bochi G.V., Silva A.S. & Leal M.L.R. 2018. Iron supplementation for lambs experimentally infected by Haemonchus contortus: response to anemia and iron store in the bone marrow. [Suplementação com ferro em cordeiros infectados experimentalmente por Haemonchus contortus: resposta a anemia e as reservas de ferro na medula óssea.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(8):1543-1548. Departamento de Grandes Animais, Universidade de Santa Maria, Avenida Roraima 1000, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: martalizandra@gmail.com Para avaliar o efeito da suplementação de ferro dextrano sobre variáveis ​​sanguíneas e metabolismo do ferro em cordeiros experimentalmente infectados por Haemonchus contortus, foram utilizados quatro grupos experimentais: animais não infectados e não suplementados (GI); animais infectados e suplementados com ferro (GII); animais não infectados e suplementados com ferro (GIII); e animais não suplementados infectados (GIV). Os grupos II e IV receberam 10.000 larvas (L3) de Haemonchus contortus, e os grupos II e III receberam três doses de ferro dextrano (20mg/kg) por via intramuscular com sete dias de intervalo. As amostras de sangue e fezes foram coletadas nos dias 10 (D10), 17 (D17), 24 (D24) e 31 (D31), para determinar o eritrograma, o metabolismo do ferro e a quantidade de ovos por gramas de fezes (OPG). Os cordeiros infectados desenvolveram anemia no D24, sendo esta mais severa no dia 31. Os cordeiros do GII apresentaram maior hematócrito e concentração de hemoglobina em comparação com animais dd GIV no D31. Os estoques de ferro na medula óssea foram maiores no GII e GIII em comparação com o GI e GIV. O GIV mostrou menores níveis séricos de ferro no D24 em comparação com os outros grupos. A suplementação de ferro reduz a gravidade da anemia causada por infecção por Haemonchus contortus em cordeiros, melhorando a resposta eritropoietica após a perda de sangue.


#3 - Meat quality of lambs supplemented with intramuscular vitamin E

Abstract in English:

This study evaluated the effects of intramuscular alpha-tocopherol (vitamin E) supplementation on meat quality characteristics of Santa Inês and Dorper crossbreed lambs. All animals were feed with a high concentrated diet in feedlot. Eight days before slaughter, the animals were distributed into four blocks according to weight gain. At the seventh and fourth days before slaughter, they were intramuscularly treated with 0, 10 or 20 IU of DL-alpha-tocopherol per kg of metabolic body weight. At slaughter they had 138 days of age and 43.6 kg of live weight, in average. Carcasses were stored for 24 hours under refrigeration at 2°C. Longissimus thoracis muscle pH (pH24h) and color (lightness, yellowness and redness) were analyzed and its samples were collected for evaluation of shear force (SF), cooking loss (WLC), fatty acid composition (FA) and thiobarbituric acid reactive substances after one (TBARS1m) and after five months (TBARS5m) of freezing. Linearity deviation effect was observed for lightness (L*; P=0.0042) and yellowness (b*; P=0.0082). Intramuscular administration of 10 or 20 IU of alpha-tocopherol/kg of metabolic weight did not influence the conservation of fatty acid in the carcasses, but benefit L* and b* values.

Abstract in Portuguese:

O estudo avaliou os efeitos da suplementação pela via intramuscular de alfa‑tocoferol (vitamina E) na qualidade da carne de cordeiros mestiços Santa Inês e Dorper. Os animais foram mantidos em confinamento, sendo alimentados com dieta contendo alto teor de concentrado energético. Oito dias antes do abate os cordeiros foram distribuídos em quatro blocos, de acordo com seu ganho de peso. No sétimo e quarto dias antes do abate eles foram tratados por via intramuscular com 0, 10 ou 20 UI de DL-alfa-tocoferol por kg de peso metabólico. No momento do abate os animais tinham, em média, 138 dias de idade e 43,6 kg de peso vivo. As carcaças foram armazenadas a 2°C por 24 horas. Foram determinados pH (pH24h) e cor (luminosidade, teor de vermelho e teor de amarelo) do músculo Longissimus thoracis, bem como força de cisalhamento, perda por cocção, composição dos ácidos graxos e quantidade de substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico após um e cinco meses de congelamento. Observou-se efeito de desvio da linearidade para luminosidade (L*; P=0.0042) e para o croma amarelo (b*; P=0.0082). A administração intramuscular de 10 e 20 UI de alfa-tocoferol/kg de peso metabólico não influenciou a conservação de ácidos graxos das carcaças, mas melhorou os valores de L* e b*.


#4 - Randomized controlled clinical trial of ketoanalogues supplementation in dogs with chronic kidney disease

Abstract in English:

The objective was to verify the effectiveness of ketoanalogues in dogs with Chronic Kidney Disease (CKD) stage 3. Controlled randomized clinical trial was performed with twenty dogs with CKD stage 3. Animals were subjected to: Group 1 (control): conventional therapy (CT) for CKD; Group 2: CT and 60mg/kg, OA, q48h of keto-supplementa; Group 3, CT and 60mg/kg, OA, q24h of keto-supplementa; and Group 4, CT and 120mg/kg, OA, q12h of keto-supplementa. All dogs received canine renal diet. Animals were evaluated at the beginning of therapy and after 15 and 30 days. Complete blood count (CBC), serum urea, creatinine, phosphorus, calcium, potassium and sodium and urine protein/creatinine (UPC) ratio were analyzed. The use of ketoanalogues in dogs with CKD stage 3 during the period of 30 days showed no efficacy, in any of the studies dosages, to improve signs and symptoms of the disease, improve the values of CBC, reduce serum urea and creatinine, normalize electrolytes or reduce UPC. It is concluded that the use of ketoanalogues does not impact the clinical outcomes in dogs with CKD stage 3.

Abstract in Portuguese:

O objetivo foi de verificar a eficácia da suplementação com cetoanálogos em cães com Doença Renal Crônica (DRC) grau 3. Um ensaio clínico controlado e randomizado foi realizado com 20 cães com DRC grau 3. Os animais foram divididos em 4 grupos: grupo 1 (controle): terapia convencional (TC) para DRC; grupo 2: TC e 60mg/kg, VO, q48h de cetoanálogoa; grupo 3: TC e 60mg/kg, VO, q24h de cetoanálogoa; e grupo 4, TC e 120mg/kg, VO, q12h de cetoanálogoa. Todos os cães receberam ração renal para cães. Os animais foram avaliados no início da terapia e após 15 e 30 dias. Hemograma completo, ureia, creatinina, fósforo, cálcio, potássio e sódio séricos e a razão proteína creatinina (RPC) urinária foram analisados. Foi verificado que o uso dos cetoanálogos em cães com DRC grau 3 durante 30 dias não mostrou eficácia, em nenhuma das dosagens utilizadas, em melhorar os sinais clínicos e sintomatologia da doença, os valores do hemograma e ureia e creatinina séricos, normalizar eletrólitos e reduzir RPC. Concluiu-se que o uso de cetoanálogos não impacta na melhora de sintomatologia clínica em cães com CKD grau 3. Como esse parece ser o primeiro ensaio clínico sobre cetoanálogos em cães com CKD, mais estudos podem ser necessários com maior acompanhamento e maiores grupos.


#5 - Hematological and biochemical parameters of neonatal Holstein calves supplemented with iron

Abstract in English:

Iron deficiency in newborn calves is associated with the development of anemia, which favors the development of other infirmities such as pneumonia and diarrhea. The present study evaluated the effect of iron supplementation on erythrogram, serum levels of iron, ceruloplasmin and tranferrin, as well as potential toxicity of the protocol used by means of evaluation of urea, creatinine and hepatic enzyme activities. 40 newborn Holstein calves were allocated into 5 experimental groups comprising 8 calves each, which were subjected to the following treatment protocols: intramuscular administration of 5mL of sterile saline on the 5th day of age (control group G1), intramuscular administration of 5mL of 10% dextran iron in the following moments: on the 5th day of age (G2); on the 5th and in the 20th day of age (G3); on the 5th and 30th day of age (G4); on the 5th, 20th and 45th days of age (G5). Blood samples were taken until 8 hours after birth and with 5, 10, 20, 30, 60, and 90 days of age, and subjected to hemogram, evaluation of serum levels of iron, ceruloplasmin, transferrin, urea, creatinine, total and direct bilirrubin, and serum activities of aspartate aminotransferase (AST), alcaline phosphatase (ALP), and gamma-glutamyltransferase (GGT). Calves that received iron supplementation at any time presented less variation in the erythrocyte parameters, although calves in the control group did not develop anemia. Serum concentration of iron and acute phase protein ceruloplasmin and transferrin, which activities are related to iron metabolism, also increased, although not significantly. Serum levels of urea, creatinine, bilirubins and activities of AST, ALP, and GGT were not influenced by the administration protocols used in this experiment. The results of the experiment led to the conclusion that the supplementation with parenteral dextran iron in calves that receive diets other than exclusive milk does not bring sufficient advantages to be indicated, although more studies are necessary to evaluate the influence of iron supplementation on the outcome of infections in newborn calves, especially its influence on cost of treatment, time necessary for discharge and impact on its productive life.

Abstract in Portuguese:

A deficiência de ferro em bezerros neonatos está associada ao desenvolvimento de anemia, que favorece o aparecimento de outras enfermidades como pneumonia e diarreia. Avaliou-se o efeito da suplementação de ferro sobre o eritrograma, teores séricos de ferro, ceruloplasmina e transferrina, bem como o potencial para toxicidade do protocolo utilizado por meio da avaliação dos teores de ureia, creatinina e enzimas hepáticas. Para tal avaliação foram utilizados 40 bezerros neonatos da raça Holandesa, alocados em cinco grupos experimentais com oito animais em cada grupo, que foram submetidos aos seguintes protocolos: administração intramuscular de 5mL de solução fisiológica estéril no 5º dia de idade (grupo controle G1), e administração intramuscular de 5mL de ferro dextrano 10% nos seguintes momentos: no 5º dia de idade (G2); no 5o e no 20º dias de idade (G3); no 5o e no 30º dias de idade (G4) e no 5o, 20o e 45º dias de idade (G5). Foram coletadas amostras de sangue até 8 horas após o nascimento e aos 5, 10, 20, 30, 60 e 90 dias de idade para realização do eritrograma, avaliação dos teores séricos de ferro, ceruloplasmina, transferrina, ureia, creatinina, bilirrubina total e direta, e das atividades das enzimas aspartato aminotransferase (AST), fosfatase alcalina (ALP) e gamaglutamiltransferase (GGT). Os animais que receberam ferro suplementar apresentaram menor oscilação nos parâmetros eritrocitários, embora os animais do grupo controle não tenham desenvolvido anemia. Notou-se também aumento, embora não significativo, nos teores séricos de ferro e das proteínas de fase aguda ceruloplasmina e transferrina, cuja atividade está relacionada ao metabolismo desse mineral. Os teores séricos de ureia, creatinina, bilirrubina total e direta e as atividades das enzimas GGT, AST e ALP não foram influenciados pelos protocolos de administração de ferro suplementar. Os protocolos de tratamento empregados não ocasionaram hepatoxidade ou nefrotoxidade aos animais. Concluiu-se que a suplementação com ferro dextrano por via parenteral em bezerros que recebem outras dietas que não apenas leite não traz benefícios que justifiquem sua indicação, embora sejam necessários mais estudos que avaliem a influência da suplementação com ferro sobre o tempo necessário para a recuperação, custos com o tratamento e impacto sobre a vida produtiva dos animais na idade adulta.


#6 - Immunostimulant supplementation for bitches with malignant mammary tumor: hematological and biochemical aspects, 37(4):346-354

Abstract in English:

ABSTRACT.- Oliveira V.F., Lobo J.R., Oliveira H.F., Bertão A.C.S., Moura D.N.A., Fioravanti M.C.S. & Borges N.C. 2017. [Immunostimulant supplementation for bitches with malignant mammary tumor: hematological and biochemical aspects.] Suplementação com imunoestimulante em cadelas com neoplasia mamária maligna: aspectos hematológicos e bioquímicos. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(4):346-354. Departamento de Medicina Veterinária, Escola de Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Goiás, Campus Samambaia, Avenida Esperança s/n, Campus Universitário, Goiânia, GO 74690-900, Brazil. E-mail: joycerl@hotmail.com Functional foods have been used as adjuvant for breast cancer treatment of bitches. The aim of the present study was to evaluate hematological and clinical biochemistry response in female dogs diagnosed with malignant mammary tumors and supplemented with functional food. After the mastectomy, 16 bitches were divided into two groups: supplemented (S) and none supplemented (NS) with a commercial product of Saccharomyces cerevisiae, mannanoligosaccharides and nutraceuticals. Chemotherapy with doxorubicin and carboplatin was performed alternately at intervals of 21 days for eight sessions during 168 days of treatment. Clinical and laboratorial assessments was made at the treatment moments. The results of the hemogram (erythrogram, leukogram and platelet count) and serum biochemistry (urea, creatinine, albumin, total and direct bilirubin, alanine aminotransferase, alkaline phosphatase and gamma glutamyltransferase - GGT) were analyzed by Kruskal Wallis test. In the S group, increase body weight was observed, but gastrointestinal disorders or other clinical disorders were not detected over the treatment. In the NS group, loss of weight and clinical disorders were observed. All hematology parameters were normal in the S group; however, leukopenia and lymphopenia were detected in the bitches of the NS group. Among all the clinical biochemistry parameters tested, only serum GGT was increased in the NS group, with no changes in the S group. In conclusion, female dogs with mammary tumor supplemented with immunostimulant functional food have better clinical condition, they demonstrate normal levels of hematological and biochemical exams, particularly GGT.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Oliveira V.F., Lobo J.R., Oliveira H.F., Bertão A.C.S., Moura D.N.A., Fioravanti M.C.S. & Borges N.C. 2017. [Immunostimulant supplementation for bitches with malignant mammary tumor: hematological and biochemical aspects.] Suplementação com imunoestimulante em cadelas com neoplasia mamária maligna: aspectos hematológicos e bioquímicos. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(4):346-354. Departamento de Medicina Veterinária, Escola de Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Goiás, Campus Samambaia, Avenida Esperança s/n, Campus Universitário, Goiânia, GO 74690-900, Brazil. E-mail: joycerl@hotmail.com Os alimentos funcionais têm sido empregados como adjuvantes no tratamento do câncer de mama. Neste estudo avaliaram-se as respostas hematológicas e bioquímicas clínicas à ação de um alimento funcional administrado a cadelas com diagnóstico de neoplasia mamária maligna. Após a mastectomia, 16 cadelas foram divididas em dois grupos: suplementadas (S) e não suplementadas (NS) com um composto comercial contendo Saccharomyces cerevisiae, mananoligossacarídeos e nutracêuticos. Ambos grupos receberam tratamento quimioterápico com doxorrubicina e carboplatina, alternadamente, em intervalos de 21 dias, por oito sessões, totalizando 168 dias de tratamento. As avaliações clínicas e laboratoriais foram realizadas nos momentos de aplicação do tratamento. Os resultados dos perfis hematológico (hemograma, leucograma e plaquetograma) e bioquímico sérico (ureia, creatinina, albumina, bilirrubina total e direta, alanina aminotransferase, fosfatase alcalina e gama glutamiltransferase - GGT) foram analisados pelo teste de Kruskall Wallis. No grupo S comprovou-se elevação do peso corporal e não foram observados transtornos gastrointestinais ou outros sinais de alteração clínica ao longo do tratamento. Diferentemente no grupo NS, ocorreu perda de peso e alterações clínicas, como diarreia e vômito. No quadro hematológico, constatou-se leucopenia por linfopenia no grupo de cadelas NS e preservação do valores dentro dos parâmetros considerados normais para a espécie no grupo S. Dentre todas as variáveis da bioquímica clínica, constatou-se apenas a elevação da atividade sérica da GGT nos animais do grupo NS, sem alterações no grupo S. Conclui-se que cadelas com neoplasia mamária quando suplementadas com com alimento funcional imunoestimulante apresentam melhor condição clínica, hematológica e dos níveis bioquímicos, particularmente da GGT.


#7 - Economic evaluation of three strategies of mineral supplementation for beef cattle in State of Pará, Brazil, 36(7):600-604

Abstract in English:

ABSTRACT.- Barbosa F.B., Bomjardim H.A., Helayel M.J.S.A., Faial K.C.F., Oliveira C.M.C., Malafaia P., Brito M.F. & Barbosa J.D. 2016. [Economic evaluation of three strategies of mineral supplementation for beef cattle in State of Pará, Brazil.] Avaliação econômica de três tipos de suplementação mineral para bovinos de corte no estado do Pará. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(7):600-604. Instituto de Medicina Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Federal do Pará, Campus de Castanhal, Rodovia BR-316 Km 61, Castanhal, PA 68741-740, Brazil. E-mail: diomedes@ufpa.br Three alternatives of mineral supplementation of 18 to 20-month-old male Nelore cattle with 299.5 to 308.5 kg of body weight were used at a farm in northeast of Pará state, Brazil. To evaluate which mineral mixture resulted in better cost-benefit, three groups of 20 head were supplemented for six months, from March to August of 2012. Group 1 was supplemented with a selected mineral mixture (SMM) composed of 25kg NaCl, 50kg dicalcium phosphate, 190g copper sulphate, 60g cobalt sulphate, and 15g sodium selenite, having 133g Na, 123g P, 631mg Cu, 167mg Co, and 9mg Se per kg; this mixture was made based in previous clinical-nutritional examination of herd. Group 2 (control), supplemented only with NaCl; and group 3 received a commercial mineral mixture (CMM), routinely used in this farm, with 130g P, 220g Ca, 18g Mg, 36g S, 6000mg Zn, 1500mg Cu, 2000mg Mn, 200mg Co, 90mg I, and 36mg Se per kg. Concentrations of phosphorus, copper, zinc and iron were determined in liver and 12th ribs. The best cost-benefit alternative was the SMM; the forage alone did not contain enough Co to meet the requirements of the control group, but provided enough P, Cu, Zn and Se during the five months of the experiment.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Barbosa F.B., Bomjardim H.A., Helayel M.J.S.A., Faial K.C.F., Oliveira C.M.C., Malafaia P., Brito M.F. & Barbosa J.D. 2016. [Economic evaluation of three strategies of mineral supplementation for beef cattle in State of Pará, Brazil.] Avaliação econômica de três tipos de suplementação mineral para bovinos de corte no estado do Pará. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(7):600-604. Instituto de Medicina Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Federal do Pará, Campus de Castanhal, Rodovia BR-316 Km 61, Castanhal, PA 68741-740, Brazil. E-mail: diomedes@ufpa.br Em uma propriedade localizada na região nordeste do Estado do Pará foram analisadas alternativas de suplementação mineral para bovinos de corte, da raça nelore, machos, com idades entre 18 e 20 meses e pesos de 299,5 a 308,5 kg. Foram avaliados o custo benefício, os valores dos minerais no fígado e nas costelas e o ganho de peso médio diário dos animais submetidos aos diferentes tratamentos. O estudo foi realizado durante seis meses (março a agosto de 2012), no período de ótima oferta de pastagem. Foram utilizados 60 bovinos, divididos em três grupos de 20 animais em delineamento experimental inteiramente casualizado. O Grupo 1 foi suplementado com uma mistura mineral seletiva (MMS) composta por 25kg de NaCl, 50kg de fosfato bicálcico,190g de sulfato de Cobre, 60g de sulfato de Cobalto e 15g de selenito de sódio; essa mistura continha, em um quilograma, 133g de Na, 123g de P, 631 mg de Cu, 167mg de Co e 9 mg de Se; essa mistura foi proposta com base no prévio diagnóstico clínico-nutricional do rebanho. O Grupo 2 foi suplementado apenas com NaCl (Grupo controle) e o Grupo 3 recebeu uma mistura mineral comercial (MMC), rotineiramente utilizada na fazenda, contendo, em um quilograma, 130g de P, 220g de Ca, 18g de Mg, 36g de S, 6.000mg de Zn, 1.500mg de Cu, 2.000mg de Mn, 200mg de Co, 90mg de I e 36mg de Se. O melhor custo benefício foi obtido com a mistura mineral seletiva. A pastagem não contém Co suficiente para atender as necessidades dos bovinos do grupo controle, mas foi capaz de suprir as necessidades de P, Cu, Zn e Se durante os cinco meses do experimento.


#8 - Influence of A, D and E vitamin supplements on immune function of calves fed diet tifton (Cynodon spp.) hay, 36(5):453-459

Abstract in English:

ABSTRACT.- Martins E.R.M., Bertagnon H.G., Batista C.F., Gomes R.C., Santos K.R., Bellinazzi J.B. & Della Libera A.M.M.P. 2016. [Influence of A, D and E vitamin supplements on immune function of calves fed diet tifton (Cynodon spp.) hay.] Influência da suplementação de vitaminas A, D e E na função imune de bezerros alimentados com dieta à base de feno de capim-tifton (Cynodon spp.). Pesquisa Veterinária Brasileira 36(5):453-459. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, Cidade Universitária, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: hgodoi@usp.br Vitamins are organic compounds which are required in small quantities in the body, however essential for the metabolic functions. They participate in numerous metabolic reactions, physiological and immune cells, needed to maintain animal health, as well as act as immunostimulants. Although the diet rich in fresh green foliage provides sufficient amounts of vitamin A, D and E, intensive supplementation with food stored in the form of hay or silage can reduce up to 50% of the levels of these vitamins in food. Given this, the proposal of this study was to verify how the parenteral administration of vitamins ADE acts as immunostimulant in steers fed exclusively with hay of tifton. For that, 14 cattle were divided into two homogeneous groups: Group S, supplemented with vitamin A, D e E given in a single intramuscular dose of 30mL, and Group C without supplementation. Both groups were housed in private stalls and fed with hay for a period of three months. Immune evaluation was performed by blood count and testing of leukocyte function (oxidative metabolism and phagocytosis) in the moments before treatment, three and ten days after the treatments. Considering that supplementation with vitamin A, D e E increased the percentage of granulocytic cell activity and the intensity of the activity of mononuclear cells, as well as intensified the antioxidant effect prolonging the survival of red blood cells and neutrophils, it can be concluded that this treatment had a beneficial effect on the immune response of Holstein calves, despite the damaging effects of exclusive feeding hay, and the partially deprivation of solar incidence.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Martins E.R.M., Bertagnon H.G., Batista C.F., Gomes R.C., Santos K.R., Bellinazzi J.B. & Della Libera A.M.M.P. 2016. [Influence of A, D and E vitamin supplements on immune function of calves fed diet tifton (Cynodon spp.) hay.] Influência da suplementação de vitaminas A, D e E na função imune de bezerros alimentados com dieta à base de feno de capim-tifton (Cynodon spp.). Pesquisa Veterinária Brasileira 36(5):453-459. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, Cidade Universitária, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: hgodoi@usp.br As vitaminas são compostos orgânicos necessários em poucas quantidades no organismo, todavia indispensáveis para as funções metabólicas. Elas se inserem em inúmeras reações metabólicas, fisiológicas e imunes das células, necessárias para a manutenção da saúde animal, além de atuarem como imunoestimulante. Embora a dieta rica em folhagens verdes frescas forneça quantidades suficientes de vitaminas A, D e E a suplementação intensiva com alimentos conservados na forma de feno ou silagem pode reduzir em até 50 % dos teores destas vitaminas no alimento. Diante disso, a proposta do trabalho foi verificar se a administração parenteral de vitaminas A, D e E age como imunoestimulante em garrotes estabulados e alimentados exclusivamente com feno de tifton. Para tanto 14 bovinos foram divididos em dois grupos homogêneos, sendo o grupo S, suplementado com vitamina A, D e E em dose única de 30 mL por via intramuscular; e o grupo C, sem suplementação. Ambos os grupos foram alojados em baias parcialmente privadas de sol, e alimentados com feno por um período de três meses. A avaliação imune foi realizada por hemogramas e ensaio de função leucocitária (metabolismo oxidativo e fagocitose) nos momentos antes do tratamento, três e dez dias após os tratamentos. Tendo em vista que a suplementação com polivitamínicos A, D e E aumentou a porcentagem da atividade de células granulocítica e a intensidade da atividade de células mononucleares, além de intensificar o efeito antioxidante prolongando a sobrevida de hemácias e neutrófilos, conclui-se que esta suplementação promoveu efeito benéfico na resposta imune de bezerros da Raça Holandesa, apesar dos efeitos deletérios da alimentação exclusiva com feno e da privação parcial da incidência solar direta.


#9 - Clinical, laboratory and anatomopathological evaluation of the urinary system of feedlot sheep with or without ammonium chloride supplementation, 36(1):1-12

Abstract in English:

ABSTRACT.- Santarosa B.P., Ferreira D.O.L., Rodrigues M.M.P., Dantas G.N., Sacco S.R., Lopes R.S., Dias A. & Gonçalves R.C. 2016. [Clinical, laboratory and anatomopathological evaluation of the urinary system of feedlot sheep with or without ammonium chloride supplementation.] Avaliação clínica, laboratorial e anatomopatológica do sistema urinário de ovinos confinados com ou sem suplementação de cloreto de amônio. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(1):1-12. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu. Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: biancasantarosavet@gmail.com The urinary acidification with ammonium chloride (AC) is an efficient preventive method for urolithiasis in sheep. The objectives of this study with feedlot sheep receiving concentrated diet with high protein content were (1) to verify the effect of diet on urolith formation and development of the disease, (2) to analyze the macroscopic and histopathological characteristics of the urinary system, and (3) to relate the clinical, laboratory and necropsy findings with the presence of uroliths. Sixty male sheep were used: AC group (n=40), 400mg/kg AC/day, orally treated for 42 consecutive days, and control group (n=20), untreated. Seven times were determined for sampling with a seven-day interval, totaling 56 days of feedlot. Small uroliths were found in the renal pelvis of five sheep in both groups. The most relevant microscopic renal lesions were vascular congestion and tubular necrosis. It was concluded that the highly concentrated diet caused renal injury in both groups, without changing the renal function, what was proven by laboratory tests of urea and creatinine. Ammonium chloride provided to the CA group did not prevent urolith formation, but reduced its prevalence in comparison with the control group. Sheep of the control group had increased kidney damage, which resulted in higher incidence of crystalluria and tubular necrosis induced by the consumption of a diet rich in grains.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Santarosa B.P., Ferreira D.O.L., Rodrigues M.M.P., Dantas G.N., Sacco S.R., Lopes R.S., Dias A. & Gonçalves R.C. 2016. [Clinical, laboratory and anatomopathological evaluation of the urinary system of feedlot sheep with or without ammonium chloride supplementation.] Avaliação clínica, laboratorial e anatomopatológica do sistema urinário de ovinos confinados com ou sem suplementação de cloreto de amônio. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(1):1-12. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu. Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: biancasantarosavet@gmail.com A acidificação urinária com cloreto de amônio (CA) é um método preventivo eficiente em urolitíase obstrutiva em ovinos. Os objetivos deste estudo com ovinos confinados, que receberam dieta concentrada com elevado teor proteico, foram: verificar o efeito da dieta sobre a formação de urólitos e o desenvolvimento da doença; analisar as características macroscópicas e histopatológicas do sistema urinário; relacionar os achados clínicos, laboratoriais e necroscópicos com a presença de urólitos. Utilizaram-se 60 ovinos machos: grupo CA (n=40), 400 mg/kg CA/dia, tratados via oral, por 42 dias consecutivos; grupo-controle (n=20), não tratado. Determinaram-se sete momentos de colheita de amostras com intervalos de sete dias, no total de 56 dias de confinamento. Encontraram-se microcálculos na pelve renal em cinco animais de ambos os grupos. As lesões renais microscópicas mais relevantes foram congestão vascular e necrose tubular. Concluiu-se que a dieta rica em concentrado provocou lesão renal em ambos os grupos, embora sem alterar a função renal, o que foi comprovado em testes pela ureia e creatinina séricas. O cloreto de amônio fornecido ao grupo CA não impediu a calculogênese, mas reduziu sua prevalência em relação ao grupo-controle. Os ovinos do grupo-controle tiveram maior comprometimento renal, pela alta incidência de cristalúria e pela necrose tubular, induzidas pelo consumo da dieta rica em grãos.


#10 - Supplementation of fetal bovine serum alters histone modification H3R26me2 during preimplantation development of in vitro produced bovine embryos, 35(7):605-612

Abstract in English:

ABSTRACT.- Arnold D.R., Corrêa C.A.P., Lorena L.L.G., Gaspar R.C., Rossi G.F., Ifran A.M., Penteado J.C.T., Mingoti G. & Lopes F.L. 2015. Supplementation of fetal bovine serum alters histone modification H3R26me2 during preimplantation development of in vitro produced bovine embryos. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(7):605-612. Departamento de Apoio, Produção e Saúde Animal, Faculdade de Medicina Veterinária de Araçatuba, Universidade Estadual Paulista, Rua Clovis Pestana 793, Araçatuba, SP 16050-680, Brazil. E-mail: flavialopes@fmva.unesp.br In vitro production (IVP) of bovine embryos is not only of great economic importance to the cattle industry, but is also an important model for studying embryo development. The aim of this study was to evaluate the histone modification, H3R26me2 during pre-implantation development of IVP bovine embryos cultured with or without serum supplementation and how these in vitro treatments compared to in vivo embryos at the morula stage. After in vitro maturation and fertilization, bovine embryos were cultured with either 0 or 2.5% fetal bovine serum (FBS). Development was evaluated and embryos were collected and fixed at different stages during development (2-, 4-, 8-, 16-cell, morula and blastocyst). Fixed embryos were then used for immunofluorescence utilizing an antibody for H3R26me2. Images of stained embryos were analyzed as a percentage of total DNA. Embryos cultured with 2.5% FBS developed to blastocysts at a greater rate than 0%FBS groups (34.85+5.43% vs. 23.38+2.93%; P<0.05). Levels of H3R26me2 changed for both groups over development. In the 0%FBS group, the greatest amount of H3R26me2 staining was at the 4-cell (P<0.05), 16-cell (P<0.05) and morula (P<0.05) stages. In the 2.5%FBS group, only 4-cell stage embryos were significantly higher than all other stages (P<0.01). Morula stage in vivo embryos had similar levels as the 0%FBS group, and both were significantly higher than the 2.5%FBS group. These results suggest that the histone modification H3R26me2 is regulated during development of pre-implantation bovine embryos, and that culture conditions greatly alter this regulation.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Arnold D.R., Corrêa C.A.P., Lorena L.L.G., Gaspar R.C., Rossi G.F., Ifran A.M., Penteado J.C.T., Mingoti G. & Lopes F.L. 2015. Supplementation of fetal bovine serum alters histone modification H3R26me2 during preimplantation development of in vitro produced bovine embryos. [Suplementação com soro fetal bovino altera a modificação de histona H3R26me2 durante o período pré-implantacional em embriões bovinos produzidos in vitro.] Pesquisa Veterinária Brasileira 35(7):605-612. Departamento de Apoio, Produção e Saúde Animal, Faculdade de Medicina Veterinária de Araçatuba, Universidade Estadual Paulista, Rua Clovis Pestana 793, Araçatuba, SP 16050-680, Brazil. E-mail: flavialopes@fmva.unesp.br A produção in vitro (PIV) de embriões de bovinos não é apenas de grande importância econômica para a pecuária, mas é também um importante modelo para estudar o desenvolvimento embrionário. O objetivo deste estudo foi avaliar a modificação de histona, H3R26me2 durante o desenvolvimento pré-implantacional em embriões bovinos produzidos in vitro, cultivados com ou sem suplementação de soro fetal bovino (SFB), bem como comparar essa modificação específica entre mórulas produzidas in vitro e in vivo. Após a maturação in vitro e fertilização, embriões foram cultivados com suplementação de 0 ou 2,5% SFB. O desenvolvimento embrionário foi avaliado e embriões foram coletados e fixados em diferentes fases durante o desenvolvimento (2, 4, 8 e 16 células, mórula e blastocisto). Os embriões fixados foram avaliados por imunofluorescência utilizando um anticorpo para H3R26me2. Imagens de embriões corados foram analisadas baseadas na porcentagem do DNA total. Embriões cultivados com 2,5% SFB tiveram uma taxa de desenvolvimento ao estágio de blastocisto maior que o grupo que não recebeu suplementação com SFB (34.85±5,43% vs 23.38±,93%; P<0,05). Níveis de H3R26me2 variaram para ambos os grupos ao longo do desenvolvimento. No grupo 0% SFB, a marcação para H3R26me2 foi mais intensa nos estágios de 4 células (P<0,05), 16 células (P<0,05) e mórula (P<0.05). No grupo 2.5% SFB, apenas os embriões de 4 células tiveram marcação significativamente maior que todas as outras fases (P<0,01). Mórulas produzidas in vivo apresentaram níveis de H3R26me2 semelhantes ao grupo 0% SFB, e ambos foram significativamente maiores que o grupo 2.5% SFB. Estes resultados sugerem que a modificação de histona H3R26me2 é regulada durante o desenvolvimento pré-implantacional de embriões bovinos, e que as condições de cultura alteram de maneira importante esta regulação.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV