Resultado da pesquisa (23)

Termo utilizado na pesquisa doppler

#1 - Effect of eCG on the follicular dynamics and vascularization of crossbred cows with different circulating progesterone concentrations during synchronization of ovulation in an FTAI protocol

Abstract in English:

This study aimed to evaluate the effect of treatment with equine chorionic gonadotrophin (eCG) on the follicular dynamics and function of crossbred cows with different circulating progesterone (P4) concentrations during synchronization of ovulation in a fixed-time artificial insemination (FTAI) protocol. To this end, 30 crossbred cows were submitted to a pre-synchronization protocol to ensure that all of them presented corpus luteum (CL) at the beginning of the protocol, and were evaluated by transrectal ultrasonography (TRUS) to verify the presence of CL. After that, the animals underwent an ovulation synchronization protocol and evaluation of follicular dynamics and vascularization by B-mode and power-Doppler ultrasound (US). High plasma P4 concentrations at the time of ovulation synchronization negatively influenced follicle diameter on day 10 (D10), preovulatory follicle diameter, and preovulatory follicle wall vascularization area (p<0.05). Cows with high P4 concentration at the time of ovulation synchronization that were treated with eCG showed follicle diameter on D10 and preovulatory follicle diameter and wall vascularization area (p>0.05) similar to those of animals with low P4 concentration at the time of ovulation synchronization. Therefore, high P4 concentrations at the time of ovulation synchronization negatively influence follicular diameter and vascularization, and eCG can be used as a strategy to favor better follicular and luteal response in crossbred cows with high P4 concentrations submitted to an FTAI protocol.

Abstract in Portuguese:

Objetivou-se neste estudo avaliar o efeito do tratamento com gonadotrofina coriônica equina (eCG) sobre a dinâmica e função folicular em fêmeas mestiças com diferentes concentrações circulantes de P4 durante a sincronização da ovulação em um protocolo de IATF. Para tanto, foram utilizadas 30 fêmeas mestiças e submetidas a um protocolo de pré-sincronização para garantir que todos os animais apresentassem corpo lúteo (CL) no início do protocolo, sendo avaliadas por ultrassonografia (US) transretal para a verificação da presença ou não de CL. Em seguida foram submetidas a um protocolo de sincronização da ovulação e avaliação da dinâmica e vascularização folicular por ultrassonografia (US) em modo B e Doppler colorido. Altas concentrações de P4 no momento da sincronização da ovulação impactaram negativamente no diâmetro do folículo no D10, o diâmetro do folículo pré-ovulatório e na área de vascularização da parede do folículo pré-ovulatório (P<0,05). As vacas com alta concentração de P4 no momento da sincronização da ovulação e que foram tratadas com eCG apresentaram diâmetro do folículo no D10 e no diâmetro e a área de vascularização da parede do folículo pré-ovulatório (P>0,05), semelhantes às vacas que com baixa concentração de P4 no momento da sincronização da ovulação. Conclui-se que elevadas concentrações de P4 no momento da sincronização da ovulação impactam negativamente no diâmetro e vascularização folicular e que o eCG pode ser utilizado como uma estratégia para favorecer uma melhor resposta folicular e luteal em fêmeas mestiças com altas concentrações de P4 submetidas a um protocolo de IATF.


#2 - B-mode and Doppler ultrasonography in the assessment of the common carotid arteries of equines and mules and the relation with body mass, age and neck circumference

Abstract in English:

As age increases, changes in cardiovascular anatomy and physiology occur, even in the absence of disease. Thus, studies of vessel hemodynamics are considered primordial to detect any cardiovascular changes. The objective of this study has been to describe the parameters of B-mode and spectral Doppler ultrasonography in the evaluation of the common carotid arteries of 11 equine and 11 mules, and correlate with age, body mass and neck circumferences. The diameters, intima - media thickness (IMT), resistivity index (RI), pulsatility index (PI), systolic velocity (SV), diastolic velocity (DV), maximum velocity (MV), vascular flow index (VFI), body mass, age, circumference and neck length. Ultrasonographic variables were evaluated in three different region called cranial, middle and caudal. Equine females presented higher values regarding the body mass, age and neck length, as compared to the neck circumferences of the animals, those of the mules were superior. The age of the mules had a positive correlation with the body mass, diameter and neck circumferences, it has a negative correlation between age and vessel diameters. The body mass of the mules had a positive correlation with age and vessel diameters, and with vessel diameters and neck circumferences in equine females. The RI and PI variables had a positive correlation with body mass for mules, and with age for equine females. The DV had a negative correlation with body mass for both equine and mule females. Regarding the variables MV and VFI, age correlated negatively for mules, while it was not significant for equine females. It found a difference between equine females and mules in the correlations performed, with body mass, age, neck circumferences and between B-mode and Doppler ultrasonography variables.

Abstract in Portuguese:

Com o aumento da idade ocorrem alterações na anatomia e fisiologia cardiovascular, mesmo na ausência de doenças. Assim, os estudos da hemodinâmica dos vasos são considerados primordiais para detectar quaisquer alterações cardiovasculares. Esse trabalho tem como objetivo descrever as variáveis de ultrassonografia modo-B e Doppler espectral na avaliação das artérias carótidas comuns de 11 fêmeas equinas e 11 muares, e correlacionar com idade, massa corpórea e circunferências dos pescoços. Para tais procedimentos foram avaliados os diâmetros, espessura da camada íntima média (EIM), índice de resistividade (IR), índice de pulsatilidade (IP), velocidade sistólica (VS), velocidade diastólica (VD), velocidade máxima (VM), índice de vascularização de fluxo (IVF), massa corpórea, idade, circunferências e comprimentos dos pescoços. As variáveis ultrassonográficas foram avaliadas em três regiões diferentes denominados de crania médio e caudal. As fêmeas equinas apresentaram valores maiores referente ao massa corpórea, idade e comprimento dos pescoços, já em relação às circunferências dos pescoços dos animais, as dos muares foram superiores. A idade dos muares possuiu correlação positiva com a massa corpórea, diâmetro e com as circunferências dos pescoços, com as fêmeas equinas, possui correlação negativa entre idade e os diâmetros dos vasos. A massa corpórea dos muares teve correlação positiva com idade e diâmetros dos vasos, já às fêmeas equinas com diâmetros dos vasos e as circunferências dos pescoços. As variáveis IR e IP tiveram correlação positiva com a massa corpórea para os muares, e com idade para fêmeas equinas. O VD teve correlação negativa com a massa corpórea tanto para as fêmeas equinas quanto nos muares. Já as variáveis VM e IVF, a idade correlacionou negativamente para os muares, enquanto não foi significativo para as fêmeas equinas. Averiguou diferença entre fêmeas equinas e muares nas correlações realizadas, com a massa corpórea, idade, circunferências dos pescoços e entre as variáveis da ultrassonografia modo-B e Doppler.


#3 - Morphological evaluation of corpus luteum for the diagnosis of 20-day pregnancy after IATF in crossbred cows., 38(10):2006-2011

Abstract in English:

ABSTRACT.- Silva M.A.A., Rodrigues A.S., Brandão T.O., Maggitti Junior L.P., Carôso B.S.S., Chalhoub M., Bittencourt R.F. & Ribeiro Filho A.L. 2018. [Morphological evaluation of corpus luteum for the diagnosis of 20-day pregnancy after IATF in crossbred cows.] Avaliação morfofuncional do corpo lúteo para diagnóstico precoce de gestação 20 dias após IATF em vacas mestiças leiteiras. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(10):2006-2011. Departamento de Anatomia, Patologia e Clínicas Veterinárias, Universidade Federal da Bahia, Rua Ademar de Barros 500, Ondina, Salvador, BA 40170-110, Brazil. E-mail: marianadeandradesilva@gmail.com The super early gestation detection is of great relevance considering the increase of the herds’ productivity, in an attempt to reduce the time of service of these animals. Due to this relevance, this study aimed to use Doppler ultrasonography as a tool for gestation prediction, evaluating the luteal body (CL) irrigation twenty days after FTAI. 73 crossbred cows were evaluated 20 days after FTAI through trans rectal US. In order to obtain the diameter of the CL (DCL) and its area (ACL), B mode was used. The Color Doppler was applied to measure the&#8203;&#8203; vascularization area (CLV) and its percentage in the CL (VCL %). The images were classified, based on the number of colored pixels and their distribution in CL, in two groups: negative predictive diagnosis of gestation (NPD) and positive predictive value (PPV). On the same day, LC functionality was determined based on P4 plasma concentration. The definitive gestation diagnosis was confirmed through US 35 days after the FTAIs. Student’s T test (with P<0.05) was used to evaluate the variables. Pregnant group presented higher averages (P<0.05) for all variables compared to the Non-Pregnant Group. The predictive diagnosis showed 83.33% of specificity, 100% of sensitivity and 91.79% of accuracy. The conclusion is that the US Doppler at 20 days post FTAI is a reliable method for early gestation diagnosis.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Silva M.A.A., Rodrigues A.S., Brandão T.O., Maggitti Junior L.P., Carôso B.S.S., Chalhoub M., Bittencourt R.F. & Ribeiro Filho A.L. 2018. [Morphological evaluation of corpus luteum for the diagnosis of 20-day pregnancy after IATF in crossbred cows.] Avaliação morfofuncional do corpo lúteo para diagnóstico precoce de gestação 20 dias após IATF em vacas mestiças leiteiras. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(10):2006-2011. Departamento de Anatomia, Patologia e Clínicas Veterinárias, Universidade Federal da Bahia, Rua Ademar de Barros 500, Ondina, Salvador, BA 40170-110, Brazil. E-mail: marianadeandradesilva@gmail.com A detecção superprecoce de gestação é de grande relevância quando se trata do aumento da produtividade dos rebanhos, na tentativa de redução do tempo de serviço desses animais. Por tal relevância, objetivou-se utilizar a ultrassonografia (US) Doppler como ferramenta para predição de gestação, avaliando a irrigação do corpo lúteo (CL), vinte dias após IATF. Setenta e três vacas mestiças foram avaliadas 20 dias após IATF por US transretal. Para obtenção do diâmetro do CL (DCL) e sua área (ACL) utilizou-se o modo B, na mensuração da área de vascularização (VCL) e seu percentual no CL (VCL%) empregou-se o Doppler Colorido. As imagens foram classificadas com base na quantidade de pixels coloridos e sua distribuição no CL, em dois grupos: diagnóstico preditivo negativo de gestação (DPN) e preditivo positivo (DPP). No mesmo dia, a funcionalidade do CL foi determinada pela concentração plasmática de P4. O diagnóstico de gestação definitivo foi realizado por US 35 dias após as IATFs. Utilizou-se o teste t de Student (com P<0,05) na avaliação das variáveis. Grupo gestantes apresentou médias superiores (P<0,05) para todas as variáveis ao Grupo Não Gestantes. O diagnóstico preditivo demonstrou 83,33% de especificidade, sensibilidade de 100% e acurácia de 91,79%. Conclui-se que a US doppler do CL aos 20 dias pós IATF é um método confiável no diagnóstico precoce de gestação.


#4 - Doppler echocardiography in goats Moxotó, 38(5):997-1004

Abstract in English:

ABSTRACT.- Mendes R.S., Oliveira S.L., Melo A.V., Oliveira U.P. & Souza A.P. 2018. [Doppler echocardiography in goats Moxotó.] Estudo ecodopplercardiográfico em caprinos da raça Moxotó. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(5):997-1004. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Av. Universitária s/n, Bairro Sta Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: rodrigo.souza.mendes@gmail.com This study describes the two-dimensional echocardiographic sections, M-mode cardiac dimensions, and Doppler flow indices in Moxotó goats. A total of 32 Moxotó goats were divided into four equal groups (n = 8) according to body weight class: G1 (5-10 kg), G2 (10-15kg), G3 (15-20kg) and G4 (>20kg). All animals underwent echocardiographic tests, two-dimensional and M-mode, and pulsed (PW), continuous (CW) and color flow (CF) Doppler. The spectral formation of echocardiographic images was satisfactory, although some adjustments were necessary to obtain adequate cuts/sections for goats above 20 kg. One-dimensional echocardiographic parameters (IVSD, IVSS, LVIDd, LVIDs, VPWd, LVPWs) and cardiac function index (EF and FS) showed a positive descriptive correlation with body weight in the categories studied. The septal separation of point E was constant among the weight categories investigated, ranging from 0.1 to 0.41cm. The Em/Am ratio was predominantly “>1”, with Emax> Amax in all weight categories, and not affected by the heart rate among the studied weight classes. The IVRT was also uniform among the studied weight classes. The individual flow rates of the aortic valve were higher than the maximum flow rate of the pulmonary valve. The ejection times of the aortic and pulmonary flows were positively correlated with increasing body weight, something also observed on the VTI of flow spectra, given the direct relationship of this variable with the stroke volume inversely to FC. The acceleration time (AT) of pulmonary blood flow was greater than the aortic flow, and directly related to increasing body weight and inversely with heart rate. Thus, the standardization of Doppler echocardiographic variables in goats, should always consider breed, age and body weight as well as repeatability and reproducibility studies and adoption of individual reference elements for reliable development of normal values.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Mendes R.S., Oliveira S.L., Melo A.V., Oliveira U.P. & Souza A.P. 2018. [Doppler echocardiography in goats Moxotó.] Estudo ecodopplercardiográfico em caprinos da raça Moxotó. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(5):997-1004. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Av. Universitária s/n, Bairro Sta Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: rodrigo.souza.mendes@gmail.com Objetivou-se com este estudo reportar descrições acerca dos cortes ecocardiográficos no modo bidimensional, das dimensões cardíacas pelo modo unidimensional e dos índices de fluxo Doppler em caprinos da raça Moxotó. Foram utilizados 32 caprinos da raça Moxotó, distribuídos em quatro grupos por categoria de peso corporal, de igual número (n=8), em: G1 (5-10kg), G2 (10-15kg), G3 (15-20kg) e G4 (>20kg). Todos foram submetidos a um registro ecocardiográfico pelos modos bidimensional, modo-M, Doppler pulsado (PW), contínuo (CW) e de fluxo de cores (CF). A formação espectral das imagens ecocardiográficas foi satisfatória, contudo algumas adaptações foram necessárias para obtenção adequada dos cortes nos caprinos acima de 20 kg. Os parâmetros ecocardiográficos em modo unidimensional (IVSd, IVSs, LVIDd, LVIDs, VPWd, LVPWs) e índices de função cardíaco (EF e FS) apresentaram uma correlação descritiva positiva com peso corporal enquadradas nas categorias estudadas. A separação septal do ponto E, mostrou-se constante dentre as categorias de peso investigadas, variando entre 0,1 a 0,41cm em caprinos da raça Moxotó. A relação Em/Am foi predominantemente “ >1” em todos os caprinos estudados, com Emax > Amax em todas as categorias, não sendo sujeito a influência da frequência cardíaca dentre as categorias de peso estudados. O mesmo pode ser aplicado ao TRIV, que se mostrou uniforme dentre os intervalos de peso estudados. As velocidades de fluxo da valva aórtica individuais foram superiores a velocidade máxima do fluxo da valva pulmonar. Os tempos de ejeção dos fluxos aórtico e pulmonar apresentaram correlação positiva descritiva com o aumento do peso corporal. Condição também observada sobre o VTI dos espectros de fluxo, dada a relação direta desta variável com o volume sistólico inversamente à FC. O tempo de aceleração (TA) do fluxo pulmonar foi superior ao fluxo aórtico, sendo este relação direta com aumento do peso corporal por categoria estudada e inversamente à frequência cardíaca. Desta forma, a padronização das variáveis ecodopplercardiográficas na espécie caprina, deve sempre considerar particularidades relacionadas ao padrão racial, faixa etária e peso corporal, bem como estudos de repetibilidade e reprodutibilidade e adoção de elementos individuais referenciais para elaboração confiável de valores de normalidade.


#5 - Ultrasonography aspects, biometry and Doppler of howler monkey (Alouatta fusca) ocular bulb, 38(5):1005-1013

Abstract in English:

ABSTRACT.- Souza L.P., Merlini N.B., Bortolini Z., Muller T.R., Teixeira C.R., Luciani M.G., Souza D.S. & Vulcano L.C. 2018. [Ultrasonography aspects, biometry and Doppler of howler monkey (Alouatta fusca) ocular bulb]. Aspectos ultrassonográficos, biometria e dopplerfluxometria ocular do bugio ruivo (Alouatta fusca). Pesquisa Veterinária Brasileira 38(5):1005-1013. Centro de Ciências Agroveterinárias, Universidade do Estado de Santa Catarina, Avenida Luiz de Camões 2090, Conta Dinheiro, Lages, SC 88520-000, Brazil. E-mail: li.pasini.vet@gmail.com This study aimed to describe the sonographic features of normal ocular structures, the ocular biometry and Doppler parameters of the internal ophthalmic artery and central retinal artery of the Alouatta fusca. Twenty ocular ultrasonographic examinations were perform in ten primate species of the Alouatta fusca. Proceeded to the sonographic description of the ocular structures and later biometrics was obtained in four distances: (D1) corresponding to the anterior chamber (D2) lens thickness (D3) vitreous chamber and (D4) axial length of the eyeball. Doppler ultrasound evaluated internal ophthalmic artery and central retinal artery as for the resistivity Index (RI), pulsatility index (PI), peak systolic velocity (PSV) and end diastolic velocity (EDV). The values &#8203;&#8203;of biometrics and flowmetry underwent comparison test between genders and sonographic views, by Student t test. The anatomical sonographic description of the ocular structures and vasculature of the red howler were similar to species such as dog, cat and man. The biometric average values &#8203;&#8203;found were 2.1±0.38mm for D1, 3.7±0.30mm for D2, 10.4±0.78mm for D3 and 19.3±1.64mm for D4. The Doppler values &#8203;&#8203;of the ophthalmic artery and central retinal artery found were: PSV of 25.6cm/s and 14.6cm/s; VDF 15.8cm/s and 10.7cm/s; IR 0.7 and 0.5; IP 1.4 and 0.8.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Souza L.P., Merlini N.B., Bortolini Z., Muller T.R., Teixeira C.R., Luciani M.G., Souza D.S. & Vulcano L.C. 2018. [Ultrasonography aspects, biometry and Doppler of howler monkey (Alouatta fusca) ocular bulb]. Aspectos ultrassonográficos, biometria e dopplerfluxometria ocular do bugio ruivo (Alouatta fusca). Pesquisa Veterinária Brasileira 38(5):1005-1013. Centro de Ciências Agroveterinárias, Universidade do Estado de Santa Catarina, Avenida Luiz de Camões 2090, Conta Dinheiro, Lages, SC 88520-000, Brazil. E-mail: li.pasini.vet@gmail.com Este estudo teve como objetivo geral descrever os aspectos ultrassonográficos normais das estruturas do bulbo ocular de primatas da espécie Alouatta fusca, determinando ainda os valores da biometria ocular, e os parâmetros da dopplerfluxometria ocular das artérias oftálmica interna e central da retina. Vinte exames ultrassonográficos oculares foram realizados em dez primatas da espécie Alouatta fusca clinicamente saudáveis, sem sinais de doença ocular ao exame oftalmológico. Procedeu-se a descrição ultrassonográfica das estruturas oculares e posteriormente a biometria foi obtida em quatro distâncias distintas: (D1) correspondentes à câmara anterior, (D2) espessura da lente, (D3) profundidade da câmara vítrea e (D4) comprimento axial do bulbo ocular. Na dopplerfluxometria foram avaliadas as artérias oftálmica interna e central da retina quanto ao índice de resistividade (IR), de pulsatilidade (IP), e as velocidades do pico sistólico (VPS) ediastólica final (VDF). Os valores de biometria foram submetidos a teste de comparação quanto ao gênero dos animais e cortes ultrassonográficos, utilizando o teste t de Student. O mesmo teste foi realizado para comparação dos resultados de dopplerfluxometria entre fêmeas e machos. A descrição ultrassonográfica das estruturas oculares e vascularização do bugio ruivo mostraram-se semelhantes a espécies como o cão, o gato e o homem. Os valores biométricos médios encontrados foram de 2,1±0,38 mm para D1, 3,7±0,30mm para D2, 10,4±0,78mm para D3 e 19,3±1,64mm para D4. Os valores de dopplerfluxometria da artéria oftálmica e da artéria central da retina foram respectivamente: VPS de 25,6cm/s e 14,6cm/s; VDF de 15,8cm/s e 10,7cm/s; IR de 0,7 e 0,5; IP de 1,4 e 0,8.


#6 - Abdominal B-mode and Doppler ultrasonography of chemically restrained agouti (Dasyprocta prymnolopha Wagler, 1831), 38(4):785-793

Abstract in English:

ABSTRACT.- Pessoa G.T., Sousa F.C.A., Rodrigues R.P.S., Moura L.S., Sanches M.P., Ambrósio C.E., Silva A.B.S & Alves F.R. 2018. Abdominal B-mode and Doppler ultrasonography of chemically restrained agouti (Dasyprocta prymnolopha Wagler, 1831). [Ultrassonografia abdominal em Modo B e Doppler de cutias (Dasyprocta prymnolopha Wagler, 1831) contidas quimicamente.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(4):785-793. Departamento de Morfofisiologia Veterinária, Universidade Federal do Piauí, Campus Universitário Ministro Petrônio Portela, Bairro Ininga, Teresina, PI 64049-550, Brazil. E-mail: flavioribeiro@ufpi.edu.br Agoutis are small-sized wild animals whose body weight can reach up to 4kg, and are found throughout Brazil. They are considered important seed dispersers, especially for big trees and there are species that rely almost exclusively on these animals for their territorial distribution. The objective of the present study was B scan and Doppler ultrasound characterization of the abdominal organs of healthy agoutis reared in captivity. Fifteen agoutis, chemically restrained, were used from the Nucleus for Wild Animal Studies and Conservation (Núcleo de Estudos e Preservação de Animais Silvestres - NEPAS), CCA-UFPI, submitted to B scan and Doppler ultrasound examination. The urinary bladder wall was hyperechogenic, thin, smooth and regular throughout its anatomic path, with 0.09±0.03cm mean thickness. The kidneys showed fine and homogeneous echotexture, preserved global echogenicity, hyperechogenic in relation to the spleen and isoechogenic or discreetly hyperechogenic in relation to the liver. The spectral Doppler trace showed systolic and diastolic peaks, wide and thread-like, with low flow resistance and a continuous and full diastolic portion that decreased gradually during the diastole (75.83±1.42cm/s, for the right kidney and 80.43±1.22cm/s, for the left kidney). The right adrenal gland was 0.61-1.18cm long and 0.17-0.32cm in diameter, while the left adrenal gland was 0.62-1.16 long with 0.14-0.25cm diameter. The agouti spleen was filiform in shape, with pointed poles and 1.02±0.18cm in diameter. The agouti liver occupied all the abdominal cavity cranial space in direct contact with the diaphragm. The intrahepatic vascular flow allowed individualization of the portal vein (PV) and hepatic vein (HV). The portal veins were distinguished from the hepatic veins mainly by their wall echogenic pattern. The pancreas was 0.51±0.1 cm thick and the pancreatic duct measured 0.12±0.02cm. The stomach was placed to the left the spleen and to the right of the proximal intestine and the transversal colon and the walls were 0.16±0.05cm thick. The abdominal aorta was 0.43±0.04cm in diameter and showed 95.2±2.16cm/s vascular flow. This study characterized agouti organs and abdominal blood vessels by B scan and Doppler ultrasound, that permitted definition of the size, shape, position, echogenicity and echotexture of the anatomic constituents and established reference values for the vascular network and blood flow in the species.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pessoa G.T., Sousa F.C.A., Rodrigues R.P.S., Moura L.S., Sanches M.P., Ambrósio C.E., Silva A.B.S & Alves F.R. 2018. Abdominal B-mode and Doppler ultrasonography of chemically restrained agouti (Dasyprocta prymnolopha Wagler, 1831). [Ultrassonografia abdominal em Modo B e Doppler de cutias (Dasyprocta prymnolopha Wagler, 1831) contidas quimicamente.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(4):785-793. Departamento de Morfofisiologia Veterinária, Universidade Federal do Piauí, Campus Universitário Ministro Petrônio Portela, Bairro Ininga, Teresina, PI 64049-550, Brazil. E-mail: flavioribeiro@ufpi.edu.br As cutias são animais silvestres de pequeno porte, cujo peso corpóreo pode chegar até 4kg, e existem em todo território brasileiro. São considerados importantes dispersores de sementes, especialmente para árvores de grande porte, existindo espécies que dependem quase que exclusivamente destas para sua distribuição territorial. Este trabalho teve por objetivo a caracterização ultrassonográfica modo B e Doppler dos órgãos abdominais de cutias hígidas criadas em cativeiro. Foram utilizadas 15 cutias, contidas quimicamente, oriundas do Núcleo de Estudos e Preservação de Animais Silvestres – NEPAS, CCA-UFPI, submetidas a exame ultrassonográfico em modo B e Doppler. A parede da vesícula urinária presentou-se hiperecogênica, fina, lisa e regular em todo seu trajeto anatômico, com espessura média de 0,09±0,03cm. Os rins demonstraram ecotextura fina e homogênea, ecogenicidade global preservada, hipoecogênico em relação ao baço e isoecogênico ou discretamente hipoecogênico em relação ao fígado. O traçado em Doppler espectral mostrou pico sistólico e diastólico, amplo e afilado, exibindo baixa resistência de fluxo, com uma porção diastólica contínua e cheia, que diminui gradativamente no decorrer da diástole (75,83±1,42cm/s para o rim direito e 80,43±1,22 cm/s para o esquerdo. A adrenal direita apresentou uma variação de comprimento entre 0,61 a 1,18cm e diâmetro variando entre 0,17 a 0,32cm, enquanto a adrenal esquerda evidenciou comprimento de 0,62 a 1,16 e diâmetro de 0,14 a 0,25cm. O baço das cutias mostrou formato filiforme, com polos pontiagudos e diâmetro de 1,02±0,18cm. O fígado da cutia ocupa todo o espaço cranial da cavidade abdominal, em contato direto com o diafragma. O fluxo vascular intrahepático permitiu individualizar as veias porta (VP) e veias hepáticas (VH). As veias porta foram distinguidas, particularmente pelo padrão ecogênico de suas paredes, quando comparadas com as veias hepáticas. A espessura do pâncreas foi de 0,51±0,1cm e o ducto pancreático mediu 0,12±0,02cm. O estômago relaciona-se à esquerda com o baço e a direita com o duodeno proximal e colón transverso. Sua espessura de parede mensurada foi de 0,16±0,05cm. A aorta abdominal possui diâmetro de 0,43±0,04cm e fluxo vascular de 95,2±2,16cm/s. Este estudo caracterizou os órgãos e vasos sanguíneos abdominais de cutias, por meio de ultrassonografia modo B e Doppler, o que permitiu definir o tamanho, formato, posição, ecogenicidade, ecotextura dos constituintes anatômicos, além de estabelecer valores de referência para a rede vascular e fluxo sanguíneo na espécie.


#7 - Biometric, B-mode and color Doppler ultrasound assessment of eyes in healthy dogs, 38(3):565-571

Abstract in English:

ABSTRACT.- Silva E.G., Pessoa G.T., Moura L.S., Guerra P.C., Rodrigues R.P.S., Sousa F.C.A., Ambrósio C.E & Alves F.R. 2018. Biometric, B-mode and color Doppler ultrasound assessment of eyes in healthy dogs. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(3):565-571. Departamento de Morfofisiologia Veterinária, Universidade Federal do Piauí, Campus Universitário Ministro Petrônio Portela, Bairro Ininga, Teresina, PI 64049-550, Brazil. E-mail: flavioribeiro@ufpi.edu.br B-scan ultrasonography is an important diagnostic tool that allows characterization of internal organ anatomy and, when complemented by Doppler ultrasound, allows vascular hemodynamic assessment, increasing the diagnostic accuracy. Thus, the aim of the present study was the B-scan ultrasound characterization and measurement of the eyeball segments and assessment of the external ophthalmic artery by color and pulsed Doppler. Sixty eyeballs were assessed from 30 dogs of different breeds using an 8.5MHz microconvex transductor. First, biometry was performed by B-scan of the following segments: axial length (M1), anterior chamber depth (M2), lens thickness (M3), lens length (M4), vitreous chamber depth (M5), optical disc length (M6) and optic nerve diameter (M7). Colored Doppler identified the external ophthalmic article and pulsed Doppler assessed its flow, and the following were measured: systolic peak velocity (VPS), final diastolic velocity (VDF), resistivity index (IR) and pulse index (IP). No statistical difference was observed for the biometric values of the eye segments between the right and left eyes (p>0.05). The vitreous chamber depth (M5) was shown to be the biometric variable with greatest bilateral symmetry, varying from 0.79 to 0.87cm and 0.78 to 0.86cm for the right and left eye, respectively. The ophthalmic artery was visualized over the optic nerve towards the eyeball, with flow stained red. There was no significant statistical difference between the Doppler velocimetric values for the ophthalmic artery between the right and left eye of the animals assessed (p>0.05). The mean resistivity index (RI) showed average values equal to 0.63±0.03, bilaterally. The mean base velocity was 17.50cm/s and 18.18cm/s at the systolic peak and 6.21cm/s and 6.68cm/s at the end of the diastole, for the right and left eyes respectively. The anatomic, biometric and hemodynamic characterization using the ultrasound B-scan and the Doppler modalities permitted the ultrasonographic and Doppler velocimetric assessment of the eyeball components in dogs of different breeds, and it can be used in ophthalmic clinical routine to identify eye pathologies.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Silva E.G., Pessoa G.T., Moura L.S., Guerra P.C., Rodrigues R.P.S., Sousa F.C.A., Ambrósio C.E & Alves F.R. 2018. Biometric, B-mode and color Doppler ultrasound assessment of eyes in healthy dogs. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(3):565-571. Departamento de Morfofisiologia Veterinária, Universidade Federal do Piauí, Campus Universitário Ministro Petrônio Portela, Bairro Ininga, Teresina, PI 64049-550, Brazil. E-mail: flavioribeiro@ufpi.edu.br O exame ultrassonográfico modo-B é uma importante ferramenta diagnóstica que permite caracterizar a anatomia interna dos órgãos e, complementada pelo exame modo Doppler, possibilita realizar a avaliação hemodinâmica vascular, aumentando a acurácia diagnóstica. Desta forma, este trabalho teve como objetivo a caracterização ultrassonográfica e mensuração dos segmentos do bulbo ocular modo-B, assim como a avaliação da artéria oftálmica externa pelo Doppler colorido e pulsado. Foram avaliados 60 bulbos oculares de 30 cães de diferentes raças utilizando transdutor microconvexo de 8,5MHz. Inicialmente foi realizada biometria por meio do exame em modo-B dos seguintes seguimentos: comprimento axial (M1), profundidade da câmara anterior (M2), espessura da lente (M3), comprimento da lente (M4), profundidade da câmara vítrea (M5), comprimento do disco óptico (M6) e diâmetro do nervo óptico (M7). A artéria oftálmica externa foi identificada pelo Doppler colorido e seu fluxo foi avaliado por meio do Doppler pulsado, sendo mensurados: velocidade do pico sistólico (VPS), velocidade diastólica final (VDF), índice de resistividade (IR) e índice de pulsatilidade (IP). Não foi verificada diferença estatística para os valores biométricos dos seguimentos oculares entre os olhos direito e esquerdo (p>0,05). A profundidade da câmera vítrea (M5), mostrou-se a variável biométrica com maior simetria bilateral, variando entre 0,79 a 0,87cm e 0,78 a 0,86cm para o olho direito e esquerdo, respectivamente. A artéria oftálmica foi visibilizada sobre o nervo óptico em direção ao bulbo ocular, com fluxo marcado em vermelho. Não houve diferença estatística significativa entre os valores Dopplervelocimétricos da artéria oftálmica entre do olho direito e esquerdo dos animais avaliados (p>0.05). O índice de resistividade (IR) médio evidenciou valores médios sendo igual a 0,63±0,03, bilateralmente. A velocidade basal média foi 17,50cm/s e 18,18cm/s no pico sistólico e 6,21cm/s e 6,68cm/s no final da diástole, para os olhos direito e esquerdo, respectivamente. A caracterização anatômica, biométrica e hemodinâmica utilizando o exame ultrassonográfico modo-B e as modalidades do Doppler permitiram a avaliação ultrassonográfica e Dopplervelocimétrica dos componentes do bulbo ocular nos cães de diferentes raças, podendo ser utilizados na rotina clínica oftalmológica para identificação de patologias oculares.


#8 - Portal Vein Dopplerflowmetry in healthy sheep according to age, 37(10):1172-1176

Abstract in English:

ABSTRACT.- Belotta A.F., Santarosa B.P., Ferreira D.O.L., Carvalho S.M.F., Gonçalves R.C., Padovani C.R. & Mamprim M.J. 2017. Portal Vein Dopplerflowmetry in healthy sheep according to age. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(10):1172-1176. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Unesp Campus de Botucatu, Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: biancasantarosavet@gmail.com Pulsed Doppler ultrasound was used to evaluate portal blood flow, portal velocity and portal congestion index in 24 healthy sheep divided into groups (lambs, yearlings and ewes), according to age. Measurements were performed at the 11th right intercostal space using ideal insonation angle and uniform insonation method. Mean values obtained in each group were compared with one-way ANOVA, followed by Tukey post-hoc test. Portal velocity and portal blood flow were statistically similar between the groups (P>0.05). Mean portal velocity were 17.75; 17.13 and 16.75; while mean portal blood flow were 26.65; 31.04 and 24.32 for lambs, yearlings and ewes, respectively. Portal congestion index was statistically distinct between the groups and values for lambs, yearlings and ewes were 0.009; 0.058 and 0.09, respectively (P<0.01). Statistical differences were observed in portal vein diameter, portal vein area and portal congestion index between the groups, presumably due to influence of weight and not to age.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Belotta A.F., Santarosa B.P., Ferreira D.O.L., Carvalho S.M.F., Gonçalves R.C., Padovani C.R. & Mamprim M.J. 2017. Portal Vein Dopplerflowmetry in healthy sheep according to age. [Dopplerfluxometria da veia portal em ovinos hígidos de acordo com a idade.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(10):1172-1176. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Unesp Campus de Botucatu, Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: biancasantarosavet@gmail.com A ultrassonografia com Doppler pulsado foi utilizado para avaliar o fluxo sanguíneo portal, velocidade portal e índice de congestão portal em 24 ovinos saudáveis divididos em grupos (cordeiros, borregos e ovelhas), de acordo com a idade. As medições foram realizadas no 11o espaço intercostal direito utilizando ângulo de insonação ideal e método de inclusão uniforme. Os valores médios obtidos em cada grupo foram comparados com ANOVA, seguido pelo teste post-hoc de Tukey. A velocidade portal e o fluxo de sangue portal foram estatisticamente semelhantes entre os grupos (P>0,05). A velocidade portal média foram 17,75; 17,13 e 16,75; enquanto o fluxo de sangue portal médios foram 26,65; 31,04 e 24,32 para cordeiros, borregos e ovelhas, respectivamente. O índice de congestão portal foi estatisticamente diferente entre os grupos e os valores para cordeiros, novilhos e ovelhas foram 0,009; 0,058 e 0,09, respectivamente (P<0.01). Observaram-se diferenças estatísticas nos diâmetros da veia porta, na área da veia porta e nos índices de congestão portal entre os grupos, provavelmente devido à influência do peso e não pela idade.


#9 - Uterine vasculature of pregnant mares of donkey and stallion through the Doppler ultrasonography spectral mode, 37(8):877-882

Abstract in English:

ABSTRACT.- Lemos S.G.C., Campos D.G., Ferreira C.S.C., Balaro M.F.A., Cunha L.E.R., Pinna A.E. & Brandão F.Z. 2017. [Uterine vasculature of pregnant mares of donkey and stallion through the Doppler ultrasonography spectral mode.] Vascularização uterina de éguas prenhes de jumento e de garanhão monitoradas por ultrassonografia Doppler. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(8):877-882. Faculdade de Veterinária, Universidade Federal Fluminense, Rua Vital Brazil Filho 64, Vital Brazil, Niterói, RJ 24230-340, Brazil. E-mail: binagaiacl@gmail.com This study aimed to evaluate and describe the ultrasonographic findings of uterus of pregnant mares of different ages, mated by either ass or stallion, using the spectral Doppler ultrasonography, aiming to characterize the resistance (RI) and pulsatility (PI) Doppler indices up to 154 days of pregnancy. A total of 20 mares in reproductive age of non-defined breed were used. The evaluations were performed in uterine arteries. There was no interaction between RI and PI values obtained in uterine horns (that initiated or not the pregnancy) with time of pregnancy (P>0.05), thus, data were discussed separately. There were no differences between RI and PI evaluations when compared to the uterine horns that initiated or not the pregnancy (P>0.05). A time effect was observed (P<0.05) on PI, when D70 presented lower averages than D0, D7, D14 and D21. There was no time effect (P>0.05) on RI. Pregnant mares mated by asses presented higher uterine vascularization in non-pregnant horn than pregnant mares mated by stallions. With the exception of RI in non-pregnant horn, there was a female age effect on the side of pregnancy (P<0.05), where aged mares in both – pregnant and non-pregnant horns – showed higher PI and RI, so less vascularized. It is possible to conclude that the uterine vascularization did not present any difference between uterine horns. There is an increase in the uterine vascularization on the 70th day of pregnancy. Pregnant mares mated by assess presented higher uterine vascularization when compared to those mated by stallions. Mares aging over 15 years old presented lower uterine vascularization, when compared to those younger.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Lemos S.G.C., Campos D.G., Ferreira C.S.C., Balaro M.F.A., Cunha L.E.R., Pinna A.E. & Brandão F.Z. 2017. [Uterine vasculature of pregnant mares of donkey and stallion through the Doppler ultrasonography spectral mode.] Vascularização uterina de éguas prenhes de jumento e de garanhão monitoradas por ultrassonografia Doppler. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(8):877-882. Faculdade de Veterinária, Universidade Federal Fluminense, Rua Vital Brazil Filho 64, Vital Brazil, Niterói, RJ 24230-340, Brazil. E-mail: binagaiacl@gmail.com Este estudo teve como objetivo analisar e descrever os achados ultrassonográficos do útero de éguas gestantes de diferentes idades, de jumento e garanhão, utilizando a técnica de ultrassonografia Doppler Espectral, visando caracterizar os índices de resistência (RI) e pulsatilidade (PI) até 154 dias de gestação. Foram utilizadas 20 éguas em idade reprodutiva, sem raça definida. As avaliações foram realizadas nas artérias uterinas. Não foi constatada interação entre os valores de RI e PI obtidos nos cornos uterinos (que iniciaram ou não a gestação) com o tempo da gestação (P>0,05), desta forma os dados foram discutidos separadamente. Não foram encontradas diferenças entre as avaliações de RI e PI quando comparado os cornos que iniciaram ou não a gestação (P>0,05). Verificou-se efeito de tempo (P<0,05) sobre o PI, onde no D70 foi constatada a menor média quando comparado aos tempos D0, D7, D14 e D21. Não f oi encontrado efeito de tempo sobre o RI (P>0,05). As éguas gestantes de jumento apresentaram maior vascularização uterina no corno não gestante, que as éguas gestantes do garanhão. Com exceção do RI no lado não gravídico, foi verificado efeito de idade da fêmea sobre o lado da gestação (P<0,05), onde as éguas idosas, tanto no corno que iniciou a gestação e o contralateral, tiveram PI e RI mais altos, ou seja, menos vascularizados. Concluiu-se que a vascularização uterina não apresentou diferença entre os cornos uterinos. Há um aumento da vascularização uterina no 70º dia de gestação. Éguas gestantes de jumentos apresentaram maior vascularização uterina, quando comparada às éguas gestantes de garanhões. Éguas com idade acima de 15 anos apresentaram menor vascularização uterina, quando comparadas com idade inferior a 15 anos.


#10 - B-mode and Doppler ultrasonography in the renal evaluation of dogs undergoing computed tomography after intravenous administration of different iodinated contrast media, 37(7):759-772

Abstract in English:

ABSTRACT.- Martín C.M., Kogika M.M., Miyashiro S.I. & Fonseca-Pinto A.C.B.C. 2017. [B-mode and Doppler ultrasonography in the renal evaluation of dogs undergoing computed tomography after intravenous administration of different iodinated contrast media.] Ultrassonografia modo B e Doppler na avaliação renal de cães submetidos à tomografia computadorizada após administração intravenosa de diferentes meios de contraste iodado. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(7):759-772. Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Orlando Marques de Paiva 87, Cidade Universitária, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: cmmartin@uol.com.br Contrast-induced nephropathy (CIN) is an acute disease, secondary to intravascular administration of iodinated contrast media (ICM). The most important mechanisms of this nephropathy are intrarenal prolonged vasoconstriction, medular hypoxia, and ischemia associated with renal tubular damage due to contrast cytotoxicity. Owing to the limited information available in veterinary literature regarding these mechanisms this study aims to compare the renal effects of intravenous administration of two nonionic ICM of different osmolarities in groups of dogs with risk factors for CIN development, by using a B-mode, color, power- and pulsed-wave Doppler ultrasonography, and other laboratory tests, in order to indirectly estimate the nephrotoxic potential of each contrast. The following two groups were established according to the nonionic ICM used: the GIH group [11 dogs administered iohexol (low osmolarity)] and the GID group [seven dogs administered iodixanol (iso-osmolarity)]. Both the groups were administered the same dose (600mgI/kg/IV). The following renal aspects were evaluated before administration of ICM (baseline) and after 1h30min, 24h, and 48h: renal morphometry (length and volume), renal morphology, cortical echogenicity, renal perfusion, and intrarenal vascular resistance (resistive and pulsatility indices); in addition, urinalysis was performed, and urinary gamma-glutamyl transferase:creatinine ratio (GGT:C), urinary protein:creatinine ratio (UPC), and serum creatinine were also measured. Both groups showed similar characteristics with respect to the length, volume, UPC ratio, urinalysis, and serum creatinine levels. No similarity was observed with respect to the pulsatility index (PI) in both the groups and there were no significant differences between baseline and 1h30min, 24h and 48h time points. With respect to the IR and urinary GGT:C, both groups showed no similarity, and significant increases were observed in the resistive index (RI) and urinary GGT:C only in the GIH group, 1h30min after contrast administration. In conclusion, RI can be used to monitor intrarenal hemodynamics, and along with the urinary GGT:C, revealed that iohexol had higher nephrotoxic potential than iodixanol. Thus, iodixanol is considered a favorable option for dogs with risk factors for CIN development.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Martín C.M., Kogika M.M., Miyashiro S.I. & Fonseca-Pinto A.C.B.C. 2017. [B-mode and Doppler ultrasonography in the renal evaluation of dogs undergoing computed tomography after intravenous administration of different iodinated contrast media.] Ultrassonografia modo B e Doppler na avaliação renal de cães submetidos à tomografia computadorizada após administração intravenosa de diferentes meios de contraste iodado. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(7):759-772. Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Orlando Marques de Paiva 87, Cidade Universitária, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: cmmartin@uol.com.br A nefropatia induzida por contraste (NIC) é uma doença de caráter agudo, secundária à administração intravascular de meios de contraste iodado (MCI). Dentre os mecanismos fisiopatológicos desta enfermidade destacam-se a vasoconstrição intrarrenal prolongada, consequente redução da perfusão renal, hipóxia e isquemia medulares, associada ao dano tubular renal devido à citotoxicidade do contraste. Frente à existência de poucas informações relacionadas a estes mecanismos na literatura médico-veterinária, objetivaram-se comparar os efeitos renais da administração intravenosa de MCI não iônicos de diferentes osmolaridades, em grupos de cães com fatores de risco para o desenvolvimento da NIC, por meio das avaliações ultrassonográficas modo B, Doppler colorido, de amplitude e pulsado, pareada aos exames laboratoriais, a fim de estimar indiretamente o potencial nefrotóxico de cada contraste. Constituíram-se dois grupos de acordo com o MCI utilizado: o grupo GIH [11 cães receberam iohexol (baixa osmolaridade)] e o grupo GID [sete cães receberam iodixanol (isosmolar)]. Administrou-se a dose de 600mgI/kg/IV em ambos. Avaliaram-se os seguintes aspectos renais antes da administração do MCI (momento basal) e após 1h30min, 24 horas e 48 horas: morfometria (comprimento e volume), morfologia, ecogenicidade cortical e perfusão renais e resistência vascular intrarrenal (índices hemodinâmicos de resistividade e pulsatilidade). Realizou-se ainda exame de urina e se mensuraram as razões gama-glutamil transferase:creatinina (GGT:C) e proteína:creatinina (RPC) urinárias e a concentração sérica de creatinina. Os grupos apresentaram comportamentos similares para comprimento, volume, RPC, exame de urina e creatinina sérica. Em relação ao índice de pulsatilidade (IP), os grupos apresentaram comportamentos não similares, mas sem diferenças significantes entre o momento basal e os demais. Para o índice de resistividade (IR) e a razão GGT:C urinária, os grupos revelaram comportamentos não similares e se constataram aumentos significantes do IR e da razão GGT:C urinária no período de 1h30min após a administração do contraste, somente para o grupo que recebeu iohexol. Concluiu-se que o IR pode ser utilizado para monitorar a hemodinâmica intrarrenal, visto que junto com a razão GGT:C urinária, demonstrou a existência de maior potencial nefrotóxico do iohexol, quando comparado ao iodixanol. Dessa forma, considera-se o uso do iodixanol, opção favorável para cães com fatores de risco para o desenvolvimento da NIC.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV